Be­ne­fí­cio as­sis­ten­ci­al: ida­de mí­ni­ma po­de su­bir pa­ra 70 anos, diz jor­nal

Correio da Bahia - - Economia -

PRE­VI­DÊN­CIA O be­ne­fí­cio as­sis­ten­ci­al que a Pre­vi­dên­cia pa­ga a ido­sos e de­fi­ci­en­tes de bai­xa ren­da de­ve pas­sar por du­as im­por­tan­tes mu­dan­ças: a des­vin­cu­la­ção do sa­lá­rio mí­ni­mo e a ele­va­va­ção da ida­de mí­ni­ma exi­gi­da pa­ra o aces­so ao be­ne­fí­cio, que pas­sa­ria pa­ra 70 anos, cin­co a mais que os 65 atu­ais. Se­gun­do o jor­nal Fo­lha de S.Pau­lo, que di­vul­gou as in­for­ma­ções, o go­ver­no fe­de­ral es­tu­da ado­tar es­tas me­di­das no pa­co­te glo­bal de mu­dan­ças na Pre­vi­dên­cia. O Be­ne­fí­cio de Pres­ta­ção Con­ti­nu­a­da (BPC) ga­ran­te o pa­ga­men­to de um sa­lá­rio mí­ni­mo por mês a ido­sos e pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia com ren­da fa­mi­li­ar per ca­pi­ta in­fe­ri­or a 25% do sa­lá­rio mí­ni­mo. Co­mo o be­ne­fí­cio tem ca­rá­ter as­sis­ten­ci­al e não exi­ge con­tri­bui­ção, o go­ver­no te­me que al­gu­mas pes­so­as re­cor­re­rão a ele em vez de pa­gar a Pre­vi­dên­cia, se o Con­gres­so apro­var as re­for­mas pro­pos­tas pe­lo pre­si­den­te Mi­chel Te­mer, en­du­re­cen­do as re­gras pa­ra apo­sen­ta­do­ria. A pro­pos­ta de re­for­ma que es­tá sen­do es­tu­da­da pre­vê a ida­de mí­ni­ma de 65 anos pa­ra a apo­sen­ta­do­ria de ho­mens e mu­lhe­res e exi­ge pe­lo me­nos 25 anos de con­tri­bui­ção com a Pre­vi­dên­cia. O go­ver­no es­tu­da co­mo fa­zer a tran­si­ção do BPC pa­ra o no­vo mo­de­lo. Uma das pos­si­bi­li­da­des é a ele­va­ção da ida­de mí­ni­ma em um ano a ca­da dois anos-ca­len­dá­rio. Se­gun­do a re­por­ta­gem, o go­ver­no ain­da não sa­be que re­gra pro­por pa­ra o re­a­jus­te do be­ne­fí­cio se ele for des­vin­cu­la­do do sa­lá­rio mí­ni­mo. Um no­vo ín­di­ce po­de­ria ser usa­do , mas os téc­ni­cos do go­ver­no acham que na­da obri­ga a lei a pre­ver re­a­jus­te au­to­má­ti­co do BPC. Ain­da se­gun­do o tex­to, o go­ver­no tam­bém te­rá de mu­dar a re­gra que dá di­rei­to ao be­ne­fí­cio, por cau­sa de uma de­ci­são do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral

(STF) que con­si­de­rou o cri­té­rio de ren­da, de 25% do mí­ni­mo, in­su­fi­ci­en­te pa­ra ca­rac­te­ri­zar a mi­sé­ria. Es­tu­do fei­to pe­lo Mi­nis­té­rio da Fa­zen­da ain­da no go­ver­no Dil­ma Rous­seff, ao qual a Fo­lha te­ve aces­so, já apon­ta­va ne­ces­si­da­de de mu­dar as re­gras do BPC se a ida­de de apo­sen­ta­do­ria au­men­tas­se. Uma com­pa­ra­ção in­ter­na­ci­o­nal fei­ta pe­lo do­cu­men­to mos­tra que be­ne­fí­ci­os as­sis­ten­ci­ais não são vin­cu­la­dos ao sa­lá­rio mí­ni­mo na mai­o­ria dos paí­ses da Or­ga­ni­za­ção pa­ra a Co­o­pe­ra­ção e o De­sen­vol­vi­men­to Econô­mi­co (OCDE). En­quan­to o BPC cor­res­pon­de a 100% do sa­lá­rio mí­ni­mo no Bra­sil, be­ne­fí­ci­os si­mi­la­res equi­va­lem a 65% na Ho­lan­da e na Bél­gi­ca, 64% na No­va Ze­lân­dia e 63% na Ir­lan­da. A pro­pos­ta de Or­ça­men­to pa­ra 2017 en­vi­a­da ao Con­gres­so pre­vê gas­tos de R$ 51 bi­lhões com o pa­ga­men­to do BPC e R$

562 bi­lhões com as apo­sen­ta­do­ri­as de tra­ba­lha­do­res da ini­ci­a­ti­va pri­va­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.