No­bel de eco­no­mia pre­mia es­tu­do so­bre te­o­ria dos con­tra­tos

Correio da Bahia - - Economia -

RE­CO­NHE­CI­MEN­TO Os eco­no­mis­tas Oli­ver Hart, bri­tâ­ni­co de 68 anos e pro­fes­sor da Uni­ver­si­da­de de Har­vad nos Es­ta­dos Unidos, e Bengt Holms­tröm, 67, pro­fes­sor do Ins­ti­tu­to de Tec­no­lo­gia de Mas­sa­chu­setts, tam­bém nos EUA, fo­ram lau­re­a­dos on­tem com o Prê­mio No­bel de Eco­no­mia. O co­mi­tê da pre­mi­a­ção jus­ti­fi­cou a in­di­ca­ção pe­las “con­tri­bui­ções à te­o­ria dos con­tra­tos” da­da pe­los es­tu­dos dos dois eco­no­mis­tas. “As no­vas fer­ra­men­tas teó­ri­cas cri­a­das por Hart e Holms­tröm são va­li­o­sas pa­ra a com­pre­en­são dos con­tra­tos e ins­ti­tui­ções da vi­da re­al”, dis­se a Re­al Aca­de­mia Su­e­ca, em Estocolmo, res­pon­sá­vel pe­la en­tre­ga da pre­mi­a­ção. Os es­tu­dos de Hart e Holms­tröm se ba­sei­am tan­to na re­la­ção en­tre o pú­bli­co e o pri­va­do co­mo na cul­tu­ra das em­pre­sas, ten­do co­mo ba­se ques­ti­o­na­men­tos atu­ais da so­ci­e­da­de. En­tre es­ses es­tão as ques­tões de pa­ga­men­tos de sa­lá­ri­os de ser­vi­do­res pú­bli­cos pe­lo go­ver­no ou ain­da se pro­fes­so­res e tra­ba­lha­do­res de saú­de de­vem ser pa­gos ba­se­a­dos “em sua per­for­man­ce”. O No­bel de Eco­no­mia tem uma re­com­pen­sa de 8 mi­lhões de co­ro­as su­e­cas, equi­va­len­te a R$ 3.028.000.

Bengt Holms­tröm é fin­lan­dês

Oli­ver Hart en­si­na em Har­vard

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.