Cru­zei­ros à vis­ta

Correio da Bahia - - Mundo - Ju­li­a­na Mon­ta­nha ju­li­a­na.mon­ta­nha@re­de­bahia.com.br

Co­me­ça ama­nhã, com a che­ga­da do tran­sa­tlân­ti­co MS Mid­nat­sol – que vai tra­zer 500 tu­ris­tas que pa­ra­ram pe­la úl­ti­ma vez em Ilhéus, no Sul da Bahia – a tem­po­ra­da de cru­zei­ros no Por­to de Sal­va­dor. En­tre as bo­as no­tí­ci­as des­te ano es­tá o au­men­to de dois na­vi­os com es­ca­la na ca­pi­tal baiana no com­pa­ra­ti­vo com o ano pas­sa­do, pas­san­do de 56 pa­ra 58 pa­ra­das na ci­da­de.

Ou­tra no­vi­da­de des­ta tem­po­ra­da é que a che­ga­da do pri­mei­ro na­vio mar­ca tam­bém o iní­cio da ope­ra­ção do ter­mi­nal de pas­sa­gei­ros do Por­to de Sal­va­dor pe­lo con­sór­cio No­vo Ter­mi­nal Ma­rí­ti­mo de Sal­va­dor (Con­ter­mas), ven­ce­dor do lei­lão de con­ces­são do em­pre­en­di­men­to re­a­li­za­do em maio des­te ano.

Ape­sar das bo­as no­vas, exis­te uma apre­en­são por par­te do tra­de tu­rís­ti­co. Is­so por­que se des­co­nhe­ce, por exem­plo, o pla­ne­ja­men­to es­tra­té­gi­co da con­ces­si­o­ná­ria que vai ope­rar o ter­mi­nal pe­los pró­xi­mos 25 anos. Ou­tro pon­to de pre­o­cu­pa­ção é que o ter­mi­nal irá abrir sem que to­das as su­as ins­ta­la­ções es­te­jam pron­tas.

O gru­po, for­ma­do pe­las em­pre­sas So­ci­cam Ter­mi­nais Ro­do­viá­ri­os e ABA In­fra­es­tru­tu­ra e Lo­gís­ti­ca, ar­re­ma­tou a ope­ra­ção por R$ 8,5 mi­lhões co­mo va­lor de ou­tor­ga, se com­pro­me­ten­do a re­a­li­zar in­ves­ti­men­tos de in­fra­es­tru­tu­ra no lo­cal, es­ti­ma­dos em apro­xi­ma­da­men­te R$ 7 mi­lhões pe­lo edi­tal de con­ces­são.

MAIS TU­RIS­TAS PE­LO MAR

Até abril do ano que vem, os na­vi­os de­vem tra­zer 155 mil tu­ris­tas pa­ra a ca­pi­tal baiana, 5% a mais do que no ano pas­sa­do, quan­do 148 mil vi­si­tan­tes

ES­TRAN­GEI­ROS

Do to­tal de cru­zei­ros da tem­po­ra­da, três che­ga­rão a Sal­va­dor com vi­si­tan­tes oriun­dos do ex­te­ri­or, par­tin­do de lo­cais co­mo Te­ne­ri­fe, na Es­pa­nha, e Da­car, no Se­ne­gal. Jun­tos, eles de­vem tra­zer oi­to mil tu­ris­tas en­tre no­vem­bro e de­zem­bro.

Leão res­sal­ta que a che­ga­da dos tu­ris­tas pe­los tran­sa­tlân­ti­cos mo­vi­men­ta to­da a re­de de ser­vi­ços na ci­da­de, co­mo res­tau­ran­tes, lo­jas de ar­te­sa­na­to e o co­mér­cio de um mo­do ge­ral. “Mes­mo que o pas­sa­gei­ro não se hos­pe­de aqui, ele re­tor­na quan­do é bem tra­ta­do”. Na sua opi­nião, Sal­va­dor po­de­ria até re­ce­ber mais na­vi­os se as ta­xas por­tuá­ri­as não fos­sem tão al­tas. “As em­pre­sas de na­vi­os se quei­xam mui­to des­se cus­to, que di­fi­cul­ta a vin­da de mais tran­sa­tlân­ti­cos pa­ra cá”.

O di­re­tor su­pe­rin­ten­den­te da Bahi­a­tur­sa, Di­o­go Me­dra­do, tam­bém des­ta­cou a lo­ca­li­za­ção do Por­to de Sal­va­dor co­mo um atra­ti­vo a mais pa­ra o vi­si­tan­te. “Ain­da na em­bar­ca­ção, ele já des­fru­ta da Baía de To­dos os San­tos e do be­lo re­cor­te da ci­da­de for­ma­do pe­los ca­sa­rões an­ti­gos do Co­mér­cio e do Cen­tro His­tó­ri­co com os mo­der­nos pré­di­os da Ave­ni­da Se­te de Se­tem­bro e Cor­re­dor da Vi­tó­ria”, diz.

A ex­pe­ri­ên­cia pro­por­ci­o­na­da por um por­to bem equi­pa­do, con­for­tá­vel e or­ga­ni­za­do, pa­ra Me­dra­do, es­ti­mu­la o tu­ris­ta a vol­tar pa­ra vi­si­tar com mais cal­ma a ci­da­de e re­co­men­dá-la co­mo des­ti­no.

Sal­va­dor vai re­ce­ber 58 na­vi­os tu­rís­ti­cos até abril de 2017

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.