Co­mer na rua di­fi­cul­ta o con­tro­le de uma boa ali­men­ta­ção?

Correio da Bahia - - Mais -

As pes­so­as pro­cu­ram ca­da vez mais se ali­men­tar na rua de­vi­do à pra­ti­ci­da­de. Mas é im­por­tan­te ana­li­sar as pro­pri­e­da­des nu­tri­ci­o­nais des­tes ali­men­tos, se re­al­men­te eles são com­pos­tos de nu­tri­en­tes sau­dá­veis e ne­ces­sá­ri­os pa­ra o bom fun­ci­o­na­men­to do seu cor­po. Ge­ral­men­te os in­gre­di­en­tes e acom­pa­nha­men­tos dos lan­ches des­te ti­po de ali­men­ta­ção são mui­to ca­ló­ri­cos, ri­cos em gor­du­ras e co­les­te­rol, que se con­su­mi­dos em ex­ces­so po­dem ele­var os ní­veis de co­les­te­rol e tri­gli­cé­ri­des no san­gue, des­sa for­ma vo­cê fi­ca mais sus­cep­tí­vel a ter do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res, en­tre ou­tras. Ou­tro pon­to ne­ga­ti­vo da ali­men­ta­ção na rua é a fal­ta de hi­gi­e­ni­za­ção. A mai­o­ria dos ali­men­tos que vo­cê con­so­me na rua es­tá ex­pos­ta a bac­té­ri­as. O con­su­mo de ali­men­tos in­fec­ta­dos po­de cau­sar a cha­ma­da “in­fec­ção tó­xi­ca” ou “in­to­xi­ca­ção”, de­vi­do à li­be­ra­ção de to­xi­nas por bac­té­ri­as.

Flá­via co­me­çou com uma pá­gi­na e ho­je co­man­da uma ins­ti­tui­ção que reú­ne so­li­da­ri­e­da­de e au­to­es­ti­ma

No Ban­co de Len­ços, as in­te­res­sa­das so­li­ci­tam pe­ças sem cus­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.