O no­vo xo­dó

Correio da Bahia - - Esporte - Da­ni­e­la Le­o­ne da­ni­e­la.le­o­ne@re­de­bahia.com.br

Ele ves­tiu a ca­mi­sa do Bahia ape­nas du­as ve­zes, mas foi o su­fi­ci­en­te pa­ra mos­trar que tem es­tre­la. Aos 21 anos, Wes­ley Na­tã ga­ran­tiu que o tri­co­lor des­se um pas­so im­por­tan­te na ca­mi­nha­da em bus­ca do re­tor­no à Sé­rie A. Foi de­le o gol que ga­ran­tiu o triun­fo por 1x0 con­tra o Bra­sil de Pe­lo­tas, ad­ver­sá­rio di­re­to do ti­me na bri­ga pe­lo aces­so.

“Es­ta­va no lu­gar cer­to, na ho­ra cer­ta e dei um pou­co de sor­te”, sim­pli­fi­cou o ata­can­te so­bre o ten­to as­si­na­la­do na úl­ti­ma sex­ta-fei­ra, na Fon­te No­va, o se­gun­do gol de­le co­mo pro­fis­si­o­nal. O pri­mei­ro tam­bém foi mar­ca­do no es­tá­dio, na ro­da­da an­te­ri­or, du­ran­te a go­le­a­da por 4x0 so­bre o Tu­pi-MG.

O loi­ri­nho dos olhos azuis deu no­vo bri­lho pa­ra a ca­mi­sa 7 tri­co­lor, con­quis­tou a ga­le­ra da ar­qui­ban­ca­da e saiu aplau­di­do de cam­po nas du­as par­ti­das que dis­pu­tou.

Ape­sar de ter se apre­sen­ta­do bem, Wes­ley Na­tã não con­se­guiu per­ma­ne­cer em cam­po até o fi­nal dos jo­gos. Can­sa­do, pre­ci­sou ser subs­ti­tuí­do. Re­ve­la­do na Chapecoense, o ata­can­te es­ta­va dis­pu­tan­do a se­gun­da di­vi­são do Cam­pe­o­na­to Ca­ta­ri­nen­se pe­lo Con­cór­dia an­tes de vir pa­ra o Bahia e ain­da pas­sa por fa­se de adap­ta­ção. Além dis­so, an­tes de es­tre­ar no úl­ti­mo dia 9, ele não jo­ga­va há um mês.

“Ain­da es­tou sen­tin­do o rit­mo de jo­go, mas vou tra­ba­lhar pa­ra es­tar bem fi­si­ca­men­te pa­ra o pró­xi­mo jo­go”. O Bahia jo­ga sá­ba­do, às 15h20, con­tra o Oes­te, na Are­na Ba­ru­e­ri.

O pre­pa­ra­dor fí­si­co do Bahia, Marcos Ce­zar, co­nhe­ce Wes­ley Na­tã des­de a di­vi­são de ba­se da Chapecoense e já pre­via que a adap­ta­ção ao clima de Sal­va­dor e ao rit­mo da Sé­rie B fa­ria o atle­ta en­fren­tar di­fi­cul­da­de nas pri­mei­ras par­ti­das pe­lo Es­qua­drão.

“Tí­nha­mos mais ou me­nos a ideia de que ele não sus­ten­ta­ria 90 mi­nu­tos. Ele vi­nha dis­pu­tan­do uma com­pe­ti­ção de ní­vel mais bai­xo e vem de uma re­gião on­de, me­ses atrás, es­ta­va mui­to frio. Tu­do is­so le­va um tem­po pa­ra adap­ta­ção, mes­mo ele de­sem­pe­nhan­do bons trei­nos e em in­ten­si­da­de boa”, ex­pli­cou Marcos Ce­zar.

Com fa­ro de gol, Wes­ley Na­tã ten­ta se adap­tar ao clima e à Sé­rie B

Ata­can­te Wes­ley Na­tã, 21 anos, é só sor­ri­sos com a ca­mi­sa do Bahia. Em du­as par­ti­das pe­lo clu­be, fez dois gols. Sá­ba­do é dia de en­ca­rar o Oes­te

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.