Meu fi­lho tem usa­do bas­tan­te o car­tão de cré­di­to pa­ra pa­gar con­tas co­mo te­le­fo­ne e outros bo­le­tos. O que tem acon­te­ci­do é que es­sa fa­tu­ra tem vin­do com um va­lor bem ele­va­do e, por ser dé­bi­to em con­ta, le­va uma par­te sig­ni­fi­can­te do seu sa­lá­rio. Por não te

Correio da Bahia - - Mais -

Olá Ma­ria An­gé­li­ca. É sa­lu­tar es­sa sua pre­o­cu­pa­ção, in­clu­si­ve vo­cê tem to­tal ra­zão quan­do diz que seu fi­lho se en­con­tra em um ci­clo que po­de nun­ca aca­bar, cor­ren­do o ris­co de se en­vol­ver em uma ci­ran­da fi­nan­cei­ra di­fí­cil de sair. Es­sa prá­ti­ca de pa­gar fa­tu­ras com o car­tão de cré­di­to é mais co­mum do que ima­gi­na­mos, mas al­ta­men­te pe­ri­go­sa. A ma­nei­ra mais co­e­ren­te de aca­bar com is­so é con­se­guin­do um re­cur­so no­vo pa­ra pa­gar as dí­vi­das do car­tão de cré­di­to e se or­ga­ni­zar pa­ra não vol­tar a fa­zer mais dí­vi­das até que es­te­ja to­tal­men­te or­ga­ni­za­do fi­nan­cei­ra­men­te. Vo­cê po­de ten­tar uma op­ção de cré­di­to con­sig­na­do, se ti­ver aces­so, ou atra­vés de uma ne­go­ci­a­ção com o pró­prio ban­co emis­sor do car­tão pa­ra par­ce­la­men­to da dí­vi­da, as­su­min­do uma par­ce­la que cai­ba no or­ça­men­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.