Em Cú­pu­la dos Brics, Te­mer diz que Bra­sil es­tá en­tran­do nos tri­lhos

Correio da Bahia - - Brasil -

RE­CU­PE­RA­ÇÃO O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer dis­se on­tem, em Goa, na Índia, que o Bra­sil “co­me­ça a en­trar nos tri­lhos”. Em dis­cur­so pa­ra che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no do Brics (gru­po for­ma­do por Bra­sil, Rús­sia, Índia, Chi­na e Áfri­ca do Sul), o pre­si­den­te res­sal­tou que as pre­vi­sões pa­ra a eco­no­mia bra­si­lei­ra em 2017 me­lho­ra­ram e que o Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal (FMI) es­ti­ma o fim da re­ces­são e a vol­ta do cres­ci­men­to econô­mi­co no pró­xi­mo ano. “Já é pos­sí­vel ve­ri­fi­car po­si­ti­va re­ver­são de ex­pec­ta­ti­vas, com de­ci­di­da ele­va­ção nos ní­veis de con­fi­an­ça dos agen­tes econô­mi­cos”, afir­mou.

Te­mer co­me­çou o dis­cur­so di­zen­do que o mun­do ain­da se re­cu­pe­ra da cri­se fi­nan­cei­ra glo­bal. “Já di­an­te do pri­mei­ro im­pac­to da cri­se, o Brics afir­mou-se co­mo es­teio da re­for­ma da go­ver­nan­ça fi­nan­cei­ra in­ter­na­ci­o­nal. Con­so­li­da­ram-se co­mo fon­te de di­na­mis­mo e co­mo ato­res es­sen­ci­ais pa­ra a re­to­ma­da da ati­vi­da­de econô­mi­ca”, de­cla­rou. Te­mer ain­da res­sal­tou que é pre­ci­so re­sis­tir à ten­ta­ção do pro­te­ci­o­nis­mo en­tre os paí­ses: “Há um re­tor­no da ten­ta­ção pro­te­ci­o­nis­ta. Há que re­sis­ti-la. Há mui­to que po­de­mos fa­zer pa­ra ga­ran­tir mais co­mér­cio, mais cres­ci­men­to e mais pros­pe­ri­da­de”. Pa­ra o pre­si­den­te, a su­pe­ra­ção da cri­se econô­mi­ca bra­si­lei­ra es­tá de­se­nha­da e pas­sa pela apro­va­ção da PEC 241, que im­põe um li­mi­te aos gas­tos pú­bli­cos. “Se­rá a com­bi­na­ção da res­pon­sa­bi­li­da­de fis­cal com a res­pon­sa­bi­li­da­de so­ci­al. Pro­mo­ve­re­mos sim, o ajus­te das con­tas pú­bli­cas. Es­ta­mos es­ta­be­le­cen­do um te­to de gas­tos, que se­rá ins­cri­to na pró­pria Cons­ti­tui­ção”, res­sal­tou. O pre­si­den­te tam­bém dis­se que en­vi­a­rá em bre­ve ao Con­gres­so a pro­pos­ta de re­for­ma do sis­te­ma de Pre­vi­dên­cia So­ci­al.

O mi­nis­tro das Relações Ex­te­ri­o­res, Jo­sé Ser­ra, que tam­bém par­ti­ci­pou da reu­nião dos Brics, afir­mou que a queda da in­fla­ção de­ve pro­pi­ci­ar a queda da ta­xa de ju­ros nos pró­xi­mos me­ses. “Vai acon­te­cer is­so, da­das as con­di­ções atu­ais de re­tra­ção da in­fla­ção e al­guns ca­sos co­mo o da Pe­tro­bras”, afir­mou, re­fe­rin­do-se ao anún­cio pela es­ta­tal da re­du­ção do pre­ço da ga­so­li­na e do di­e­sel. Es­ta se­ma­na, o Co­mi­tê de Po­lí­ti­ca Mo­ne­tá­ria (Co­pom) do Ban­co Cen­tral se reúne pa­ra de­fi­nir os ru­mos da ta­xa de ju­ros. Em re­la­ção ao pro­je­to apro­va­do em pri­mei­ro tur­no na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos que li­mi­ta o cres­ci­men­to dos gas­tos pú­bli­cos, Ser­ra afir­mou que, “no ata­ca­do”, a me­di­da é po­si­ti­va, so­bre­tu­do do pon­to de vis­ta da po­lí­ti­ca fis­cal e das ex­pec­ta­ti­vas dos agen­tes econô­mi­cos. “Ten­dem a me­lho­rar mui­to as ex­pec­ta­ti­vas, que são uma con­di­ção pa­ra o cres­ci­men­to. É pre­ci­so tam­bém ter ou­tras con­di­ções de fi­nan­ci­a­men­to, aber­tu­ra de co­mér­cio, pa­ra que ha­ja cres­ci­men­to”.

A De­cla­ra­ção de Goa, o co­mu­ni­ca­do fi­nal da VIII Cú­pu­la dos Brics, de­fen­deu o uso de to­dos os ins­tru­men­tos de ges­tão ma­cro­e­conô­mi­ca, co­mo os mo­ne­tá­ri­os e fis­cais, se­jam eles ado­ta­dos de forma in­di­vi­du­al ou con­jun­ta, pa­ra que os paí­ses mem­bros do gru­po pos­sam atin­gir o ob­je­ti­vo de cres­ci­men­to for­te, sustentável e in­clu­si­vo.

Os che­fes de Es­ta­do de Bra­sil, Rús­sia, Índia, Chi­na e Áfri­ca do Sul en­cer­ra­ram on­tem o en­con­tro na Índia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.