Des­mon­te se­rá ca­ro e de ‘al­tís­si­mo ris­co’

Correio da Bahia - - Mais - Ale­xan­dre Ly­rio ale­xan­dre.ly­rio@re­de­bahia.com.br

Um a um, os re­pre­sen­tan­tes das 16 em­pre­sas saíam on­tem à tar­de pe­lo por­tão 3 do Cen­tro de Con­ven­ções da Bahia (CCB). A vi­si­ta téc­ni­ca, 25 di­as de­pois do des­mo­ro­na­men­to que bo­tou abai­xo dois pa­vi­men­tos do pré­dio, foi o pri­mei­ro pas­so pa­ra de­fi­nir com qu­em fi­ca­rá a res­pon­sa­bi­li­da­de de “lim­par” a área de 9 mil me­tros qua­dra­dos que en­trou em co­lap­so na noi­te do dia 23 de se­tem­bro, dei­xan­do três pes­so­as fe­ri­das.

A em­pre­sa que ven­cer a li­ci­ta­ção vai des­mon­tar as es­tru­tu­ras me­tá­li­cas e de­mo­lir as de con­cre­to. Uma ope­ra­ção ca­ra, com­pli­ca­da e “de al­tís­si­mo ris­co”, con­for­me os en­ge­nhei­ros e di­re­to­res das pró­pri­as cons­tru­to­ras. “An­tes de tu­do, se­rá pre­ci­so ela­bo­rar um ma­pa de se­gu­ran­ça. So­men­te de­pois um pla­no de des­mon­ta­gem. É um tra­ba­lho de al­tís­si­mo ris­co”, adi­an­tou Má­rio Cé­sar Po­li­car­po, di­re­tor da JO.X Mon­ta­gem e Des­mon­ta­gem, em­pre­sa pau­lis­ta com 20 anos de mer­ca­do.

“Bas­tan­te com­pli­ca­do, viu? Uma es­tru­tu­ra di­fe­ren­te, sus­pen­sa. Vai ser ne­ces­sá­rio mui­ta téc­ni­ca”, des­ta­cou Ed­son Ma­ga­lhães, re­pre­sen­tan­te da cons­tru­to­ra Ma­ga­lhães Jú­ni­or. Os cus­tos do des­mon­te, por mo­ti­vos ób­vi­os, não fo­ram es­ti­ma­dos. Mas... “Não é ba­ra­to, não. É ca­ro”, ga­ran­tiu ele.

“É mes­mo uma ope­ra­ção mui­to di­fí­cil. Se­rá ne­ces­sá­rio cui­da­do com a se­gu­ran­ça e ma­qui­ná­rio pe­sa­do”, con­fir­mou o en­ge­nhei­ro ci­vil Car­los Emí­lio Strau­ch, au­tor do pro­je­to es­tru­tu­ral do CCB, e que acom­pa­nhou a vis­to­ria de on­tem jun­to com re­pre­sen­tan­tes da Su­pe­rin­ten­dên­cia de Pa­trimô­nio do Es­ta­do (Su­pat), Cor­po de Bom­bei­ros e De­fe­sa Ci­vil do Es­ta­do.

A im­pren­sa não pô­de acom­pa­nhar a vi­si­ta. Em no­ta, a Se­cre­ta­ria de Co­mu­ni­ca­ção (Se­com) dis­se que os en­ge­nhei­ros e téc­ni­cos das em­pre­sas vi­si­ta­ram as áreas con­si­de­ra­das se­gu­ras e co­nhe­ce­ram lo­cais es­tra­té­gi­cos, co­mo a en­tra­da de veí­cu­los pe­sa­dos. Eles ob­ti­ve­ram ain­da de­ta­lhes so­bre a es­tru­tu­ra e, ao fi­nal da vi­si­ta, re­ce­be­ram um ter­mo de re­fe­rên­cia e do­cu­men­ta­ção com a plan­ta do imó­vel e in­for­ma­ções de pro­je­to.

De­zes­seis gru­pos que­rem re­a­li­zar ope­ra­ção, que se­rá em 2 eta­pas

PRO­POS­TAS

As 16 em­pre­sas têm até quar­ta-fei­ra pa­ra apre­sen­tar su­as pro­pos­tas, no pré­dio da Go­ver­na­do­ria, no CAB. A aber­tu­ra da li­ci­ta­ção foi pu­bli­ca­da sex­ta-fei­ra no Diá­rio Ofi­ci­al do Es­ta­do. “Ago­ra, uma co­mis­são vai jul­gar os pro­je­tos e co­ta­ções. Uma em­pre­sa se­rá es­co­lhi­da pa­ra fa­zer o ser­vi­ço”, ex­pli­cou Strau­ch.

Se­gun­do o go­ver­no, a ope­ra­ção de re­ti­ra­da dos es­com­bros

PARCIAL

A li­ci­ta­ção em ca­rá­ter emer­gen­ci­al pre­vê a con­tra­ta­ção pa­ra o des­mon­te e de­mo­li­ção ape­nas parcial da es­tru­tu­ra. So­men­te a es­tru­tu­ra de con­cre­to e me­tal que ruiu, e que es­ta­ri­am em uma área de 9 mil m², de­ve­rá ser re­ti­ra­da do lo­cal. Fi­ca­rão de pé o 3º e 4º an­da­res do pa­vi­lhão prin­ci­pal, além de to­do o pa­vi­lhão de fei­ras, pré­dio lo­go ao la­do.

O des­mon­te e de­mo­li­ção do res­tan­te da es­tru­tu­ra de­ve ocor­rer de­pois de ou­tro pro­ces­so li­ci­ta­tó­rio ain­da sem pra­zo, o que foi cri­ti­ca­do por uma das em­pre­sas que vão par­ti­ci­par des­sa pri­mei­ra dis­pu­ta. “O cor­re­to se­ria des­mon­tar tu­do de uma vez. Pe­la ex­pe­ri­ên­cia que te­nho, acho

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.