ACU­SA­ÇÕES CON­TRA CU­NHA NA LA­VA JA­TO

Correio da Bahia - - Variedades - Mais@cor­rei­o24ho­ras.com.br

O ex-pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos Edu­ar­do Cu­nha (PMDB-RJ) foi pre­so on­tem em Bra­sí­lia. A no­tí­cia da pri­são do ho­mem que é apon­ta­do co­mo ar­qui­te­to da des­ti­tui­ção da ex-pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff agi­tou a quar­ta-fei­ra em Bra­sí­lia. Ele foi cap­tu­ra­do, pre­ven­ti­va­men­te, per­to do pré­dio on­de mo­ra na ca­pi­tal fe­de­ral, por or­dem do juiz fe­de­ral Sér­gio Mo­ro. A pri­são foi de­cre­ta­da no âm­bi­to da Ope­ra­ção La­va Ja­to, in­for­mou a Po­lí­cia Fe­de­ral.

Após o anún­cio da pri­são de Cu­nha, a Câ­ma­ra dos de­pu­ta­dos pa­rou. O pre­si­den­te in­te­ri­no da ca­sa, Wal­dir Ma­ra­nhão (PP-MA), en­cer­rou a ses­são, adi­an­do mais uma vez a vo­ta­ção de emen­das do pro­je­to de lei que al­te­ra as re­gras de ex­plo­ra­ção do pré-sal. A ins­ta­la­ção da co­mis­são que vai tra­tar da re­for­ma po­lí­ti­ca tam­bém foi adi­a­da. O re­tor­no do pre­si­den­te Mi­chel Te­mer, em vi­a­gem ao Ja­pão, tam­bém foi adi­an­ta­do, em­bo­ra o Pa­lá­cio do Pla­nal­to ne­gue que is­so te­nha re­la­ção com a pri­são.

Cu­nha em­bar­cou pa­ra o Pa­ra­ná às 15h, no ho­rá­rio de Bra­sí­lia. De­sem­bar­cou em Cu­ri­ti­ba às 16h50, segundo a Po­lí­cia Fe­de­ral. Nes­se in­ter­va­lo, ali­a­dos e ad­ver­sá­ri­os do ex-pre­si­den­te da Câ­ma­ra já dis­cu­ti­am de ma­nei­ra re­ser­va­da e aber­ta­men­te a pos­si­bi­li­da­de de uma de­la­ção pre­mi­a­da.

O ANÚN­CIO

Foi o de­pu­ta­do Chi­co Alen­car (PSOL-RJ) quem deu a no­tí­cia da pri­são de Edu­ar­do Cu­nha. Ad­ver­sá­rio po­lí­ti­co do ex-pre­si­den­te da Câ­ma­ra, o de­pu­ta­do do PSOL dis­se es­pe­rar que o pe­e­me­de­bis­ta te­nha am­plo di­rei­to de de­fe­sa du­ran­te o pro­ces­so.

Não hou­ve gran­des ma­ni­fes­ta­ções den­tro do ple­ná­rio. Fora de­le, os par­la­men­ta­res se con­cen­tra­ram na bus­ca de in­for­ma­ções so­bre o pro­ces­so. Com a Câ­ma­ra va­zia, a vo­ta­ção de emen­das ao pro­je­to de lei que al­te­ra as re­gras de ex­plo­ra­ção do pré-sal fi­cou pa­ra quin­ta-fei­ra. Pe­lo mes­mo mo­ti­vo, a ins­ta­la­ção da co­mis­são es­pe­ci­al da re­for­ma po­lí­ti­ca na Câ­ma­ra foi adi­a­da pa­ra a pró­xi­ma ter­ça-fei­ra.

Mem­bros do Con­se­lho de Éti­ca da Câ­ma­ra de­fen­de­ram que o pe­e­me­de­bis­ta fa­ça de­la­ção pre­mi­a­da pa­ra aju­dar “a pas­sar o país a lim­po”.

“Se ele tem al­go a re­ve­lar, acho bom que o fa­ça. É pre­ci­so ti­rar de­bai­xo do ta­pe­te mui­ta coi­sa que es­ta­va es­con­di­da. Acho que é um bom mo­men­to”, dis­se o de­pu­ta­do Marcos Rogério (DEM-RO), que foi re­la­tor do pro­ces­so de cas­sa­ção de Cu­nha.

Em­bo­ra a pri­são já fos­se es­pe­ra­da há me­ses en­tre os ex-co­le­gas de Cu­nha, o fa­to do juiz Sér­gio Mo­ro de­cre­tar sua pri­são pre­ven­ti­va sur­pre­en­deu o ex-re­la­tor. Pa­ra Rogério, Cu­nha foi pre­so ou por­que con­ti­nu­ou co­me­ten­do cri­mes, ou po­de ter ame­a­ça­do tes­te­mu­nhas, des­truí­do pro­vas ou di­fi­cul­ta­do o pros­se­gui­men­to da ação pe­nal. O de­pu­ta­do lem­brou que, du­ran­te a fa­se de pre­si­dên­cia da Câ­ma­ra, Cu­nha obs­truiu o an­da­men­to dos tra­ba­lhos no Con­se­lho de Éti­ca.

Ar­qui-ini­mi­go po­lí­ti­co de Cu­nha, o tam­bém con­se­lhei­ro Júlio Del­ga­do (PSB-MG) dis­se que a pri­são do ex-de­pu­ta­do po­de com­pro­me­ter o gru­po po­lí­ti­co do qual Cu­nha fa­zia par­te. “A pri­são traz mais re­ceio pa­ra quem con­vi­veu com ele”, des­ta­cou. Ele de­fen­deu que Cu­nha co­la­bo­re com a Jus­ti­ça e fa­ça a de­la­ção “não pa­ra re­du­zir sua pe­na, mas pa­ra con­tri­buir com o país”.

Já o pre­si­den­te do co­le­gi­a­do, Jo­sé Car­los Araú­jo (PR-BA), la­men­tou a pri­são, mas dis­se que o ex-de­pu­ta­do pro­cu­rou es­se des­ti­no. “Es­sa pri­são já era es­pe­ra­da”, dis­se.

Par­la­men­ta­res ad­ver­sá­ri­os de Cu­nha tam­bém fi­ze­ram co­ro pa­ra que ele fa­ça um acor­do de de­la­ção pre­mi­a­da. “Mui­tos de­pu­ta­dos vão au­men­tar o uso de Le­xo­tan, e eu sei que lá no Pa­lá­cio do Pla­nal­to tem mui­ta gen­te pe­din­do en­tre­ga a do­mi­cí­lio de cal­man­te”, dis­se Sil­vio Cos­ta (PT­doB-PE).

Ape­sar de a or­dem ser evi­tar co­men­tá­ri­os so­bre a pri­são do ex-de­pu­ta­do Edu­ar­do Cu­nha an­tes da che­ga­da do pre­si­den­te Mi­chel Te­mer ao Bra­sil, o Pa­lá­cio do Pla­nal­to afir­mou que a pre­o­cu­pa­ção do go­ver­no com uma pos­sí­vel de­la­ção do pe­e­me­de­bis­ta “é ze­ro”. “Não há pre­o­cu­pa­ção ne­nhu­ma”, in­for­mou a Se­cre­ta­ria de Im­pren­sa da Pre­si­dên­cia. A se­cre­ta­ria es­cla­re­ceu ain­da que os ru­mo­res de que Te­mer te­ria an­te­ci­pa­do seu re­tor­no do Ja­pão pa­ra po­der “aba­far a cri­se Cu­nha” não fa­ri­am sen­ti­do, já que a de­ci­são te­ria si­do to­ma­da há al­guns di­as.

AMI­GO

Um dos prin­ci­pais ali­a­dos de Edu­ar­do Cu­nha, o de­pu­ta­do Pau­lo Pe­rei­ra da Sil­va (SD-SP), o Pau­li­nho da For­ça Sin­di­cal, dis­se que o ex-pre­si­den­te da Câ­ma­ra já es­pe­ra­va que se­ria pre­so. Pau­li­nho co­men­tou que Cu­nha tem di­to que não fa­rá de­la­ção, mas que po­de­rá op­tar por is­so ago­ra que es­tá pre­so. “Uma coi­sa é o Edu­ar­do Cu­nha fora da ca­deia, outra é o Edu­ar­do Cu­nha na ca­deia. Po­de ter a pos­si­bi­li­da­de [de de­la­ção]. Quan­tos fo­ram pre­sos que di­zi­am que não iam fa­zer de­la­ção e de­pois fa­la­ram”, afir­mou Pau­li­nho.

Pau­li­nho dis­se que es­te­ve com Cu­nha no iní­cio da se­ma­na pas­sa­da. Ele co­men­tou que, mes­mo an­tes de ser cas­sa­do, o ex-de­pu­ta­do já es­pe­ra­va ser pre­so e tam­bém te­mia a pri­são de sua mu­lher, Cláu­dia Cruz.

DE­FE­SA DE CU­NHA

O ex-de­pu­ta­do Edu­ar­do Cu­nha afir­mou em no­ta en­vi­a­da por meio de seus ad­vo­ga­dos, que sua pri­são é uma “de­ci­são ab­sur­da” e sem mo­ti­va­ções. “Tra­ta-se de uma de­ci­são ab­sur­da, sem ne­nhu­ma mo­ti­va­ção e uti­li­zan­do-se dos ar­gu­men­tos de uma ação cau­te­lar ex­tin­ta pe­lo Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF)”, afir­mou o pe­e­me­de­bis­ta na no­ta. Segundo ele, Mo­ro não é o “juiz com­pe­ten­te” pa­ra de­li­be­rar so­bre sua pri­são, pois a ação cau­te­lar do Su­pre­mo e fa­tos re­la­ci­o­na­dos a ou­tros inqué­ri­tos do qual é al­vo não es­tão sob a ju­ris­di­ção do juiz. “Meus ad­vo­ga­dos to­ma­rão as me­di­das ca­bí­veis pa­ra en­fren­tar es­sa ab­sur­da de­ci­são”, con­cluiu Cu­nha. Con­tas na Suí­ça Ele é acu­sa­do de ter re­ce­bi­do 1,3 mi­lhão de fran­cos suí­ços (R$ 5,2 mi­lhões) pa­ra vi­a­bi­li­zar aqui­si­ção de um cam­po de pe­tró­leo em Be­nin (Áfri­ca), pe­la Pe­tro­bras, em 2011. A pro­pi­na te­ria abas­te­ci­do con­tas se­cre­tas na Suí­ça, usa­das, segundo o pro­cu­ra­dor-ge­ral da Re­pú­bli­ca, Ro­dri­go Ja­not, pa­ra ban­car lu­xos da fa­mí­lia de Cu­nha. Vi­rou réu em ju­nho de 2016.

Navios-son­da O ex-de­pu­ta­do é acu­sa­do de ter re­ce­bi­do US$ 5 mi­lhões de con­tra­tos en­tre Pe­tro­bras, Sam­sung e Mit­sui. Cu­nha é acu­sa­do de atu­ar pa­ra vi­a­bi­li­zar a pro­pi­na a po­lí­ti­cos ao pe­dir in­ves­ti­ga­ções so­bre os pa­ga­do­res na Câ­ma­ra. Se tor­nou réu em mar­ço des­te ano.

Por­to Ma­ra­vi­lha É acu­sa­do pe­lo re­ce­bi­men­to de cer­ca de R$ 52 mi­lhões das em­prei­tei­ras que atu­a­vam na obra do Por­to Ma­ra­vi­lha, no Rio de Ja­nei­ro. Re­cur­sos se­ri­am van­ta­gens in­de­vi­das por ter li­be­ra­do re­cur­sos do Fun­do de In­ves­ti­men­tos do FGTS, con­tro­la­do pe­la Cai­xa Econô­mi­ca Fe­de­ral.

Edu­ar­do Cu­nha é con­du­zi­do em avião da Po­lí­cia Fe­de­ral de Bra­sí­lia pa­ra Cu­ri­ti­ba, on­de fi­ca­rá pre­so por tem­po in­de­ter­mi­na­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.