Igre­ja de São Do­min­gos te­rá área pa­ra re­ce­ber even­tos

Correio da Bahia - - Mais -

ta­rão a se reu­nir, em bre­ve, pa­ra dis­cu­tir o uso cul­tu­ral do bem e pa­ra tra­çar o pla­no de ges­tão do mo­nu­men­to, no qual fo­ram in­ves­ti­dos R$ 7,5 mi­lhões.

IN­TER­VEN­ÇÕES

Inau­gu­ra­do em 1623, e ti­do co­mo úni­co for­te com plan­ta cir­cu­lar das Amé­ri­cas, as obras do For­te de São Mar­ce­lo ti­ve­ram um ca­rá­ter mais es­tru­tu­ral, segundo o co­or­de­na­dor do PAC na Bahia, Má­rio Ví­tor Bas­tos. “Nos­so prin­ci­pal de­sa­fio foi a re­cons­tru­ção das mu­ra­lhas ex­ter­nas, que es­ta­vam com mui­ta ero­são, por cau­sa da maré. Na Bahia, o Iphan nun­ca ha­via fei­to na­da do ti­po”, co­men­tou ele.

Ao to­do, 44 pro­fis­si­o­nais es­ti­ve­ram en­vol­vi­dos na obra, en­tre en­ge­nhei­ros, mer­gu­lha­do­res e res­tau­ra­do­res. A re­for­ma en­vol­veu tam­bém pin­tu­ra e im­per­me­a­bi­li­za­ção, além da de­mo­li­ção da es­tru­tu­ra do an­ti­go res­tau­ran­te. “Qu­an­do che­ga­mos aqui, as pa­re­des es­ta­vam pre­tas, o ma­to qua­se na al­tu­ra das por­tas das ce­las”, lem­brou Má­rio. “O tra­ba­lho aqui foi mui­to mais téc­ni­co, di­fe­ren­te da igre­ja, que foi mais de­li­ca­do, de­vi­do às obras de ar­te”, com­ple­tou ele.

Pa­ra o su­pe­rin­ten­den­te do Iphan na Bahia, Bru­no Ta­va­res, a re­a­ber­tu­ra dos mo­nu­men­tos po­de, além de me­lho­rar a es­tru­tu­ra tu­rís­ti­ca lo­cal, se tor­nar um no­vo pon­to de en­con­tro dos so­te­ro­po­li­ta­nos. “Eles de­vem ser uti­li­za­dos pe­la so­ci­e­da­de, o uso é a con­ser­va­ção”, co­men­tou.

IM­POR­TAN­TE AVAN­ÇO

O se­tor tu­rís­ti­co co­me­mo­rou a no­tí­cia da re­a­ber­tu­ra do São Mar­ce­lo. “É um equi­pa­men­to mui­to im­por­tan­te. An­ti­ga­men­te ti­nha vi­si­ta­ção. Dá até pa­ra ter res­tau­ran­tes, fa­zer shows”, su­ge­riu o pre­si­den­te da Fe­de­ra­ção Bai­a­na de Hos­pe­da­gem, Sil­vio Pes­soa.

Já o pre­si­den­te da sec­ci­o­nal bai­a­na da As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra da In­dús­tria de Ho­téis, Gli­cé­rio Le­mos, “é mui­to po­si­ti­vo pa­ra o for­ta­le­ci­men­to do tu­ris­mo de Salvador”. “Es­ta­mos an­si­o­sos. Ele nun­ca po­de­ria ter dei­xa­do de ser ex­plo­ra­do e mos­tra­do”, com­ple­tou.

A se­gun­da fa­se do PAC Ci­da­des His­tó­ri­cas, ini­ci­a­da em 2013, pre­vê apor­te de R$ 1,3 bi­lhão em 44 ci­da­des bra­si­lei­ras. Na Bahia, 40 obras es­tão pre­vis­tas, com in­ves­ti­men­to pre­vis­to de R$ 240 mi­lhões, mas só seis es­tão na fa­se de cons­tru­ção, to­das na ca­pi­tal — on­de a pre­vi­são de apor­te é de R$ 140 mi­lhões.Além do for­te e da igre­ja, em fa­se de en­tre­ga há ain­da a restauração da Ca­te­dral Ba­sí­li­ca (81% con­cluí­da); do ane­xo ao Pla­no In­cli­na­do Gonçalves (64%); da Igre­ja do Pas­so (60%) e dos ca­sa­rões vi­zi­nhos à Igre­ja da Con­cei­ção da Praia (22%). Além da vi­si­ta ao For­te São Mar­ce­lo, o COR­REIO tam­bém foi con­fe­rir co­mo fi­cou a Igre­ja de São Do­min­gos, no Ter­rei­ro de Je­sus. An­te­on­tem, a pre­si­den­te do Iphan, Ká­tia Bo­géa, vi­si­tou as obras já con­cluí­das do tem­plo, on­de fo­ram in­ves­ti­dos R$ 11 mi­lhões no res­tau­ro e na cons­tru­ção de uma ala no­va pa­ra even­tos. “A ideia da ala é re­sol­ver o pro­ble­ma da con­ser­va­ção des­ses mo­nu­men­tos. A or­dem do­mi­ni­ca­na po­de co­brar pa­ra fa­zer even­tos no es­pa­ço e, com o di­nhei­ro, man­ter a igre­ja”, su­ge­riu a di­ri­gen­te.

Com exa­tos 285 anos, es­ta é a pri­mei­ra restauração que a igre­ja re­ce­be em cin­co dé­ca­das. “Es­sa foi a restauração mais com­ple­ta que ti­ve­mos. Re­cu­pe­ra­ram a edi­fi­ca­ção, o acer­vo, o te­lha­do e o for­ro, on­de ha­vi­am pin­tu­ras do sé­cu­lo XVIII que es­ta­vam co­ber­tas”, con­tou o mem­bro da Or­dem Ter­cei­ra de São Do­min­gos de Gus­mão, De­nil­son San­tos de Je­sus, res­pon­sá­vel pe­la administração do lo­cal.

Segundo ele, an­tes das obras do Iphan, as mis­sas es­ta­vam ocor­ren­do na ca­pe­la­mor e a igre­ja não es­ta­va re­a­li­zan­do even­tos por con­ta da fal­ta de es­pa­ço. “A ir­man­da­de es­tá an­si­o­sa pa­ra re­a­brir e vol­tar a fa­zer as mis­sas, os ca­sa­men­tos e ba­ti­za­dos na igre­ja. Com is­so, es­pe­ra­mos con­se­guir fa­zer a ma­nu­ten­ção”, de­cla­rou.

Mo­bi­liá­rio e obras de ar­te tam­bém fo­ram res­tau­ra­dos pe­lo Iphan

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.