Apos­ta ou­sa­da

Correio da Bahia - - Vida - Moy­sés Su­zart moy­ses.su­zart@re­de­bahia.com.br

O Vi­tó­ria gi­ra em tor­no de Ma­ri­nho. Num pro­ces­so de trans­la­ção, o ru­bro-ne­gro aguar­da o bri­lho do ata­can­te pa­ra en­fren­tar o Cru­zei­ro, do­min­go, no Bar­ra­dão, às 16h. Ape­nas ho­je de­ve sair o ve­re­di­to se o ca­mi­sa 7 es­tá apto pa­ra re­tor­nar após le­são na co­xa. En­quan­to a pre­sen­ça do jo­ga­dor não es­tá de­fi­ni­da, o Vi­tó­ria do téc­ni­co Ar­gel Fucks tem dificuldade de gi­rar no pró­prio ei­xo. No trei­no de on­tem, o trei­na­dor con­fir­mou is­so ao com­por a equi­pe.

No iní­cio da ati­vi­da­de, as mu­dan­ças pro­vo­ca­ram sur­pre­sa. Nos úl­ti­mos jo­gos sem Ma­ri­nho, Ar­gel man­te­ve o es­que­ma com três ata­can­tes, co­lo­can­do Ti­a­go Re­al. No co­le­ti­vo de on­tem, o meia foi pa­ra a re­ser­va e quem fez o pa­pel de subs­ti­tuir Ma­ri­nho foi Eul­ler. O la­te­ral fi­cou no ata­que pe­lo la­do es­quer­do, en­quan­to Di­e­go Re­nan ga­nhou mais uma opor­tu­ni­da­de na la­te­ral es­quer­da. A op­ção pa­re­ce não ter da­do mui­to cer­to. O ti­me le­vou 2x0 dos re­ser­vas.

Vi­si­vel­men­te pre­o­cu­pa­do, Ar­gel Fucks mu­dou no­va­men­te o ata­que no segundo tem­po. Eul­ler vol­tou pra la­te­ral e Da­vid foi o no­vo du­blê de Ma­ri­nho. No meio, so­brou tam­bém pa­ra Cár­de­nas, que per­deu seu lu­gar pa­ra Ser­gi­nho. As mu­dan­ças sur­ti­ram efei­to e os ti­tu­la­res vi­ra­ram pa­ra 3x2, com gols de Jo­sé We­li­son, Ki­e­za e Vi­ní­cius, que subs­ti­tuiu Ra­mon du­ran­te a ati­vi­da­de.

DE­FE­SA

Se o ata­que é o mai­or pro­ble­ma pa­ra Ar­gel, a de­fe­sa pa­re­ce es­tar de­fi­ni­da. Ao la­do de Ra­mon, Vic­tor Ra­mos re­tor­na ao ti­me após no­ve jo­gos se re­cu­pe­ran­do de uma in­fla­ma­ção na so­la do pé. Pa­ra Vic­tor, es­te é o mo­men­to do ti­me se unir, com ou sem Ma­ri­nho, e ven­cer o Cru­zei­ro com ra­ça.

“Ma­ri­nho é um jo­ga­dor que dis­pen­sa co­men­tá­ri­os. To­dos vo­cês sa­bem da qua­li­da­de de­le. Se es­tá no Vi­tó­ria, tem qua­li­da­de. A gen­te pe­ga no pé de­le, co­bra bas­tan­te por­que sa­be o po­ten­ci­al que ele tem. Qu­e­re­mos que ele jo­gue, mas is­so eu dei­xo pa­ra o de­par­ta­men­to mé­di­co. Ma­ri­nho é mui­to im­por­tan­te pa­ra a gen­te, mas te­mos jo­ga­do­res à al­tu­ra, co­mo Lo­ve e Ki­e­za”, dis­se Vic­tor Ra­mos. “Ma­ri­nho é mui­to im­por­tan­te. Se jo­gar, óti­mo. Se não, va­mos com os guer­rei­ros que te­mos, pe­gar um na mão do ou­tro. Coração vai lá em­bai­xo, na pon­ta da chu­tei­ra”, com­ple­tou.

Pa­ra ele, a tor­ci­da tam­bém se­rá cru­ci­al pa­ra ven­cer o Cru­zei­ro. Os in­gres­sos es­tão em pro­mo­ção. Pa­ra ar­qui­ban­ca­da, R$ 10, en­quan­to ca­dei­ra cus­ta R$ 30. Até on­tem, fo­ram ven­di­dos 5.660 in­gres­sos, sem in­cluir os só­ci­os.

“Sei que ti­ve meus pro­ble­mas com os tor­ce­do­res, mas pe­ço do fun­do do coração que eles lo­tem o Bar­ra­dão, pois pre­ci­sa­mos de­les. Va­mos apoi­ar, gri­tar, vai­ar o ti­me dos ca­ras. Po­de con­tar com a gen­te. Pro­fes­sor Ar­gel es­tá fa­zen­do um tra­ba­lho sen­sa­ci­o­nal. Va­mos jun­tos, por­que o Vi­tó­ria não me­re­ce es­sa si­tu­a­ção. Tor­ce­dor tem que apoi­ar, ba­ter pal­ma, co­mo sem­pre apoi­ou. Va­mos lo­tar o Bar­ra­dão, sem vai­da­de, sem pi­cui­nha”, pe­diu o za­guei­ro.

No trei­no de on­tem, as­sim co­mo ocor­reu na úl­ti­ma quar­ta, Ma­ri­nho che­gou a fa­zer um tra­ba­lho fí­si­co, dan­do vol­tas no gra­ma­do. Po­rém, as­sim que terminou, foi ao de­par­ta­men­to mé­di­co. Ho­je o Vi­tó­ria di­vul­ga a lis­ta de re­la­ci­o­na­dos com o ve­re­di­to fi­nal.

Ain­da sem sa­ber se Ma­ri­nho jo­ga, Ar­gel es­ca­la Eul­ler no ata­que

Ain­da sem sa­ber se po­de­rá com Ma­ri­nho, téc­ni­co Ar­gel Fucks es­ca­la Eul­ler co­mo ata­can­te do la­do es­quer­do. Co­man­dan­te ru­bro-ne­gro tam­bém tes­ta Da­vid na po­si­ção. Ha­ja dú­vi­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.