Con­cen­tra­ção de ga­ses do efei­to es­tu­fa atin­ge re­cor­de, diz ONU

Correio da Bahia - - Mundo -

CLI­MA Ape­sar de to­do o dis­cur­so de lí­de­res in­ter­na­ci­o­nais so­bre as ações que es­tão ado­tan­do pa­ra re­du­zir as emis­sões de ga­ses de efei­to es­tu­fa, da­dos pu­bli­ca­dos on­tem pe­la Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das (ONU) re­ve­lam que nun­ca o vo­lu­me des­ses ga­ses atin­giu tais pro­por­ções. Em 2015, a con­cen­tra­ção de CO2 e ou­tros ele­men­tos ba­teu um no­vo re­cor­de. Pa­ra a ONU, es­sa ten­dên­cia vai dei­xar o mun­do “mais pe­ri­go­so”. Se­gun­do os cál­cu­los, a con­cen­tra­ção de CO2 atin­giu pe­la pri­mei­ra vez, em 2015, a mar­ca sim­bó­li­ca de 400 par­tes por um mi­lhão (ppm) e con­ti­nua a “dis­pa­rar em 2016”. A ta­xa já ha­via si­do atin­gi­da em al­gu­mas par­tes do mun­do em 2015, “mas nun­ca em uma di­men­são mun­di­al du­ran­te um ano in­tei­ro”. Os es­tu­dos tam­bém re­ve­lam que a con­cen­tra­ção de CO2 per­ma­ne­ce­rá “aci­ma de 400 ppm du­ran­te to­do o ano de 2016 e não se­rá re­du­zi­da pa­ra bai­xo des­se ní­vel du­ran­te mui­tas ge­ra­ções”. O fenô­me­no do El Ni­no te­ria co­lo­ca­do de for­ma de­ci­si­va pa­ra que hou­ves­se uma ace­le­ra­ção na con­cen­tra­ção. As se­cas em re­giões tro­pi­cais aca­ba­ram afe­tan­do a ca­pa­ci­da­de des­sas re­giões em ab­sor­ver os ga­ses. Es­sas re­giões, de uma for­ma ge­ral, são res­pon­sá­veis por ab­sor­ver me­ta­de do CO2. Além dis­so, os in­cên­di­os cau­sa­dos jus­ta­men­te co­mo con­sequên­cia do fenô­me­no El Niño aca­ba­ram in­ten­si­fi­can­do as emis­sões. Se­gun­do a Or­ga­ni­za­ção Me­te­o­ro­ló­gi­ca Mun­di­al (OMM), hou­ve um in­cre­men­to de 37% do efei­to de aque­ci­men­to do cli­ma en­tre 1990 e 2015. Is­so foi cau­sa­do pe­la acu­mu­la­ção de ga­ses co­mo CO2, me­ta­no (CH4) e N2O.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.