Cor­po de mé­di­co de­sa­pa­re­ci­do em Pi­a­tã é iden­ti­fi­ca­do na RMS

Correio da Bahia - - Bahia -

ARCADA DENTÁRIA Foi iden­ti­fi­ca­do on­tem o cor­po do mé­di­co Luiz Car­los Cor­reia Oli­vei­ra, 62 anos, de­sa­pa­re­ci­do des­de o dia 2 des­te mês. A ví­ti­ma foi en­con­tra­da no último dia 14, em um ma­ta­gal da Via Pa­ra­fu­so, em Si­mões Filho, na Re­gião Me­tro­po­li­ta­na de Sal­va­dor. Um exa­me do De­par­ta­men­to de Po­lí­cia Téc­ni­ca (DPT) na arcada dentária con­fir­mou a iden­ti­fi­ca­ção. O cor­po es­ta­va em es­ta­do adi­an­ta­do de es­que­le­ti­za­ção, que é mais avan­ça­do que o de de­com­po­si­ção. Se­gun­do a Se­cre­ta­ria da Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca (SSP-BA), o De­par­ta­men­to de An­tro­po­lo­gia Fo­ren­se ain­da es­tá fa­zen­do ou­tros lau­dos pa­ra re­ve­lar a cau­sa da mor­te do mé­di­co. De acor­do com o di­re­tor do Ins­ti­tu­to Mé­di­co Le­gal (IML), Má­rio Câ­ma­ra, a iden­ti­fi­ca­ção via arcada dentária é tão se­gu­ra quan­to a de DNA ou pe­las di­gi­tais. O cor­po foi acha­do per­to do veí­cu­lo do mé­di­co, en­con­tra­do quei­ma­do. Des­de o dia 14, es­ta­va no IML aguar­dan­do a con­clu­são dos exa­mes. O ca­so é in­ves­ti­ga­do pe­lo De­par­ta­men­to de Ho­mi­cí­dio e Pro­te­ção à Pes­soa (DHPP). Pro­cu­ra­do pe­lo CORREIO, Tho­más Cor­reia, filho de Luiz Car­los, pre­fe­riu não fa­lar so­bre a mor­te do pai. Ele afir­mou que a fa­mí­lia ain­da não tem de­ta­lhes so­bre quan­do se­rá o se­pul­ta­men­to. O di­re­tor do Sin­di­ca­to dos Mé­di­cos do Es­ta­do da Bahia (Sin­di­med), Gil Frei­re, la­men­tou a mor­te. “Lo­go no iní­cio do de­sa­pa­re­ci­men­to, fo­mos pro­cu­ra­dos pe­los co­le­gas de tur­ma de­le, que pe­di­ram que o sin­di­ca­to ten­tas­se aju­dar a es­cla­re­cer ou con­for­tar a fa­mí­lia. Fi­ze­mos um ato ecu­mê­ni­co pa­ra a fa­mí­lia e nos co­lo­ca­mos à dis­po­si­ção pa­ra aju­dar com as­ses­so­ria ju­rí­di­ca, cri­mi­na­lís­ti­ca, que po­de­ria acom­pa­nhar as in­ves­ti­ga­ções. Fi­ze­mos con­ta­tos com co­le­gas le­gis­tas, tam­bém no sen­ti­do de ten­tar fa­ci­li­tar a iden­ti­fi­ca­ção de qual­quer cor­po que che­gas­se de des­co­nhe­ci­do”, dis­se. Luiz Car­los era au­di­tor do tra­ba­lho. Ami­gos e co­le­gas do mé­di­co fi­ze­ram um ato no último dia 19 em fren­te à Su­pe­rin­ten­dên­cia Re­gi­o­nal do Tra­ba­lho, no cen­tro da ci­da­de, co­bran­do agi­li­da­de nas in­ves­ti­ga­ções. Ele foi vis­to pe­la úl­ti­ma vez sain­do do con­do­mí­nio on­de mo­ra­va, em Pi­a­tã, no pró­prio car­ro, um Po­lo pra­ta, du­ran­te a noi­te, e não vol­tou mais. Se­gun­do o so­bri­nho do mé­di­co, que pre­fe­riu o ano­ni­ma­to, um dos fi­lhos de­le foi quem per­ce­beu que ele ha­via de­sa­pa­re­ci­do. “Ele não apa­re­ceu mais. Foi o filho que per­ce­beu que ele não vol­ta­va mais pa­ra ca­sa. Não con­se­gui­ram mais con­ta­to pe­lo ce­lu­lar”, dis­se. O mé­di­co mo­ra­va so­zi­nho e não cos­tu­ma­va sair sem dar no­tí­ci­as, se­gun­do o so­bri­nho.

Luiz Car­los de­sa­pa­re­ceu no dia 2

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.