Fe­cha­do

Correio da Bahia - - Esporte - Moy­sés Su­zart moy­ses.su­zart@re­de­bahia.com.br

Não es­tá fá­cil pa­ra o téc­ni­co Ar­gel Fucks es­co­lher um ti­me pa­ra jo­gar no Bra­si­lei­rão. A ca­da trei­no do Vi­tó­ria, pa­re­ce que ele re­a­fir­ma um con­cei­to do fi­ló­so­fo fran­cês Re­né Des­car­tes: “Não exis­tem mé­to­dos fá­ceis pa­ra re­sol­ver pro­ble­mas di­fí­ceis”. Com qua­tro der­ro­tas se­gui­das e pro­ble­mas cons­tan­tes de sus­pen­são ou le­são, ca­da trei­no se tor­na uma va­ri­an­te de mu­dan­ças.

Pa­re­ce que Ar­gel re­sol­veu ra­di­ca­li­zar pa­ra a par­ti­da con­tra o Flu­mi­nen­se, ama­nhã, às 18h30, no Ma­ra­ca­nã. De­pois de in­sis­tir no sis­te­ma com três ata­can­tes, pre­fe­riu mu­dar a sua fi­lo­so­fia ofen­si­va. Com di­ver­sas mu­dan­ças, o co­man­dan­te saiu da for­ma­ção com três ata­can­tes e op­tou pe­lo tra­di­ci­o­nal 4-4-2, com três vo­lan­tes no meio-cam­po.

No ata­que, com o re­tor­no de Ma­ri­nho, mas com a sus­pen­são de Zé Lo­ve, Fucks não quis fa­zer tes­tes. Na saí­da de Ma­ri­nho, ma­chu­ca­do, du­ran­te o du­e­lo com o Grê­mio, Van­der foi tes­ta­do. De­pois, nas der­ro­tas pa­ra Pon­te Pre­ta e Sport, Ti­a­go Re­al foi es­co­lhi­do. Con­tra o Cru­zei­ro, Da­vid. Ne­nhum agra­dou e o trei­na­dor re­sol­veu não tes­tar mais. Ti­rou uma pe­ça do ata­que e re­for­çou o meio de cam­po: três vo­lan­tes.

Com ape­nas Ma­ri­nho e Ki­e­za na fren­te, o meio fi­cou com Wil­li­an Fa­ri­as, Ama­ral e Mar­ce­lo, além de Cár­de­nas mais na fren­te. Zé We­li­son es­tá sus­pen­so. Mais atrás, Di­o­go Ma­teus per­deu va­ga pa­ra Di­e­go Re­nan. Na de­fe­sa, Vic­tor Ra­mos e Ra­mon co­me­ça­ram, só que de­pois Ar­gel pre­fe­riu co­lo­car Ka­nu e sa­car Ra­mon.

“Ló­gi­co que faz tem­po que a gen­te não jo­ga com qua­tro ho­mens no meio, mas o Ar­gel achou que des­se jei­to a gen­te po­de mu­dar nos­sa for­ma de atu­ar. A gen­te tem que com­prar a ideia e pen­sar na sex­ta-fei­ra à noi­te, em bus­car a vi­tó­ria, o úni­co re­sul­ta­do que nos in­te­res­sa”, dis­se Di­e­go Re­nan, so­bre a mu­dan­ça. A úl­ti­ma vez que o Leão jo­gou as­sim, ain­da com Man­ci­ni, foi no triun­fo por 2x1 di­an­te do Grê­mio, fo­ra de ca­sa.

No trei­no, as­sim co­mo Di­e­go Re­nan re­tra­tou, o ti­me pa­re­ceu con­fu­so. Re­tor­nan­do de le­são, Ma­ri­nho não re­ce­beu ne­nhum pas­se e se ir­ri­tou du­ran­te a ati­vi­da­de. Pre­ci­sou pa­rar pa­ra con­ver­sar com Ar­gel Fucks por al­guns mi­nu­tos. Du­ran­te to­do co­le­ti­vo, o ti­me ti­tu­lar não con­se­guiu fi­na­li­zar no gol da equi­pe re­ser­va.

Vi­si­vel­men­te ir­ri­ta­do, Ar­gel não pou­pa­va ne­nhum jo­ga­dor. Du­ran­te o trei­no de fi­na­li­za­ção, ele che­gou a bra­dar com al­guns ata­can­tes que, após os lan­ces, fi­ca­vam pa­ra­dos den­tro da área. “De­pois do lan­ce, vol­ta no tro­te! Con­tra o Cru­zei­ro, nós só vol­tá­va­mos ca­mi­nhan­do”, gri­ta­va o co­man­dan­te. No fim, Ar­gel Fucks ain­da te­ve tem­po pa­ra dis­cu­tir com um tor­ce­dor que acom­pa­nha­va o trei­no. “Vo­cê de­ve ser tor­ce­dor de rá­dio. Não vem ao es­tá­dio”, re­cla­mou Fucks. Cal­ma, jo­vem!

Ar­gel Fucks ti­ra um ata­can­te e tes­ta ti­me com três vo­lan­tes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.