Pro­je­to an­ti­cor­rup­ção abre bre­cha pa­ra anis­ti­ar cai­xa 2 de cam­pa­nha

Correio da Bahia - - Brasil -

CÂMARA O anún­cio de que a cri­mi­na­li­za­ção do cai­xa 2 se­rá in­cluí­da no pa­co­te de me­di­das an­ti­cor­rup­ção re­a­cen­deu o de­ba­te so­bre a pos­sí­vel ma­no­bra pa­ra anis­ti­ar a prá­ti­ca. O de­pu­ta­do Onyx Lo­ren­zo­ni (DEM-RS) afir­mou que a ti­pi­fi­ca­ção da con­du­ta es­ta­rá em seu re­la­tó­rio. Na ava­li­a­ção de par­la­men­ta­res, a pro­pos­ta, da for­ma co­mo es­tá sen­do cos­tu­ra­da, abri­rá bre­cha ju­rí­di­ca pa­ra li­vrar po­lí­ti­cos, em­pre­sas e par­ti­dos que pra­ti­ca­ram o cri­me an­tes da apro­va­ção da lei. Ho­je, o cai­xa 2 não é des­cri­to na le­gis­la­ção pe­nal e ge­ral­men­te é in­ves­ti­ga­do e pu­ni­do com ba­se no Có­di­go Elei­to­ral. Em ra­zão dis­so, o pró­prio Mi­nis­té­rio Pú­bli­co já ha­via apre­sen­ta­do a pro­pos­ta de cri­mi­na­li­za­ção nas 10 me­di­das con­tra a cor­rup­ção, em aná­li­se pe­la co­mis­são. Ca­so ti­pi­fi­ca­do co­mo cri­me no Có­di­go Pe­nal, de­pu­ta­dos afir­mam que se­rá pos­sí­vel a in­ter­pre­ta­ção de que, an­tes da vi­gên­cia da re­gra, o cai­xa 2 não era pas­sí­vel de pu­ni­ção. Pa­ra is­so, par­la­men­ta­res ci­tam o ar­ti­go 5.º da Cons­ti­tui­ção, que es­ta­be­le­ce que uma lei pe­nal não po­de re­tro­a­gir pa­ra pre­ju­di­car o réu, ape­nas pa­ra be­ne­fi­ciá-lo. Além dis­so, em­bo­ra a pos­si­bi­li­da­de de anis­tia pa­ra quem já co­me­teu o cri­me não se­ja ex­plí­ci­ta no tex­to, de­pu­ta­dos po­de­rão apre­sen­tar emen­das em ple­ná­rio com es­se con­teú­do. De acor­do com Lo­ren­zo­ni, o tex­to vai con­si­de­rar cai­xa 2 o ato de “re­ce­ber, man­ter, mo­vi­men­tar ou uti­li­zar o can­di­da­to, o di­ri­gen­te e o integrante de ór­gão de di­re­ção de par­ti­do po­lí­ti­co ou co­li­ga­ção, re­cur­sos, va­lo­res, bens ou ser­vi­ços es­ti­má­veis em di­nhei­ro, de ori­gem lí­ci­ta, pa­ra­le­la­men­te à con­ta­bi­li­da­de exi­gi­da pe­la le­gis­la­ção”. A pe­na é de 3 a 5 anos de pri­são. Pe­la re­da­ção pro­pos­ta, cai­xa 2 só po­de­rá ser con­si­de­ra­do no ca­so de uso de di­nhei­ro lí­ci­to. Ca­so os re­cur­sos se­jam de ori­gem ilí­ci­ta, Lo­ren­zo­ni dis­se que po­lí­ti­cos, par­ti­dos e em­pre­sas de­ve­rão ser en­qua­dra­dos na Lei de La­va­gem de Di­nhei­ro, cu­ja pe­na já é de 3 a 10 anos de pri­são. Mes­mo que não se­ja apro­va­da emen­da pa­ra anis­ti­ar quem já pra­ti­cou o cri­me, o de­pu­ta­do Mi­ro Teixeira (Re­de-RJ) dis­se que a no­va lei vai abrir es­pa­ço pa­ra “au­to­a­nis­tia por via trans­ver­sal”, sob ar­gu­men­to de que cai­xa 2 não con­si­de­ra­do ato cri­mi­no­so an­te­ri­or­men­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.