Pre­fei­tu­ra vai in­ten­si­fi­car fis­ca­li­za­ção de clan­des­ti­no

Correio da Bahia - - Mais -

ber que es­tá sen­do trans­por­ta­do por al­guém que pas­sou por uma vis­to­ria, que ago­ra tem leis rí­gi­das”, dis­se Fá­bio Mo­ta. Os pais po­dem sa­ber se o veí­cu­lo pas­sou pe­la vis­to­ria con­fe­rin­do o se­lo que é co­lo­ca­do no trans­por­te.

REN­DA COMPLEMENTAR

Pa­ra o pre­fei­to, com a re­gu­la­men­ta­ção, os con­du­to­res te­rão mais fa­ci­li­da­de pa­ra con­se­guir fi­nan­ci­a­men­tos ban­cá­ri­os des­ti­na­dos a re­no­var e até am­pli­ar a fro­ta de veí­cu­los.

Eles tam­bém po­de­rão complementar a ren­da com a au­to­ri­za­ção pa­ra que os veí­cu­los fa­çam fre­ta­men­to no pe­río­do de re­ces­so es­co­lar. “Per­mi­ti­mos que eles fa­çam pas­sei­os, fre­ta­men­tos com es­ses car­ros. É co­mo se fos­se um 13º sa­lá­rio que eles te­ri­am”, dis­se Mo­ta.

A me­di­da é co­me­mo­ra­da pe­la ca­te­go­ria. “Foi uma ideia mui­to boa, por­que nós fi­cá­va­mos com nos­sos car­ros den­tro da ga­ra­gem guar­da­dos. E ho­je, com o nos­so re­gu­la­men­to, nós va­mos po­der le­var es­se pes­so­al que vem fa­zer tu­ris­mo com se­gu­ran­ça”, dis­se a pre­si­den­te do Sin­di­ca­to dos Trans­por­ta­do­res Es­co­la­res e Tu­rís­ti­cos do Es­ta­do da Bahia (Sin­test), Si­mo­ne Ro­sas.

Ela tam­bém co­brou da pre­fei­tu­ra que, em bre­ve, os trans­por­ta­do­res es­co­la­res tam­bém pos­sam re­ce­ber isen­ção de im­pos­tos co­mo IPVA e ICMS, co­mo já ocor­re com os tá­xis. A pre­fei­tu­ra pro­me­teu in­ten­si­fi­car a fis­ca­li­za­ção e pu­nir os mo­to­ris­tas que fa­çam o trans­por­te es­co­lar de for­ma clan­des­ti­na. “A pre­fei­tu­ra vai agir com mui­to ri­gor com re­la­ção ao trans­por­te clan­des­ti­no de cri­an­ças pa­ra as es­co­las e vai apre­en­der es­ses veí­cu­los e, é cla­ro, emi­tir a pu­ni­ção pa­ra es­ses con­du­to­res”, dis­se o pre­fei­to.

Mo­to­ris­ta de trans­por­te es­co­lar há 22 anos, André

Luís Fróes Sil­va, 44 anos, é a fa­vor de que haja mais fis­ca­li­za­ção do ser­vi­ço. “A gen­te pre­ci­sa dis­so. Não é jus­to a gen­te fa­zer du­as vis­to­ri­as anu­ais, gas­tar di­nhei­ro com is­so e vir um clan­des­ti­no que­brar nos­so pre­ço e ro­dar à von­ta­de”, diz o mo­to­ris­ta.

A pre­si­den­te do Sin­test, Si­mo­ne Ro­sas, dis­se ter pre­sen­ci­a­do cri­an­ças sen­do trans­por­ta­das em por­ta-ma­las de veí­cu­los e co­brou que a fis­ca­li­za­ção se­ja re­gu­lar. “Ho­je va­mos po­der co­brar da pre­fei­tu­ra uma fis­ca­li­za­ção efe­ti­va, por­que an­tes fi­ca­va mui­to sol­to e nós fi­cá­va­mos mui­to in­dig­na­dos quan­do vi­ven­ciá­va­mos uma cri­an­ça sen­do trans­por­ta­da no por­ta-ma­las de um veí­cu­lo. A res­pon­sa­bi­li­da­de pas­sa a ser tam­bém do po­der pú­bli­co”, dis­se.

De acor­do com a Se­mob, o pra­zo pa­ra emis­são do cre­den­ci­a­men­to do trans­por­te es­co­lar é de cer­ca de 30 di­as. Pa­ra ter o cre­den­ci­a­men­to, pes­soa fí­si­ca pre­ci­sa ser mai­or de 21 anos, pos­suir na­ci­o­na­li­da­de bra­si­lei­ra, es­tar ha­bi­li­ta­da há, no mí­ni­mo, dois anos na ca­te­go­ria D, apre­sen­tar cer­ti­fi­ca­do de an­te­ce­den­tes cri­mi­nais e ates­ta­do mé­di­co que com­pro­ve con­di­ções fí­si­cas e men­tais pa­ra con­du­zir o veí­cu­lo.

Já no ca­so de pes­soa ju­rí­di­ca, é pre­ci­so apre­sen­tar CNPJ, com­pro­var re­gu­la­ri­da­de fis­cal fe­de­ral, es­ta­du­al e mu­ni­ci­pal e com­pro­var re­gu­la­ri­da­de re­la­ti­va à Se­gu­ri­da­de So­ci­al e ao Fun­do de Ga­ran­tia por Tem­po de Ser­vi­ço (FGTS). A do­cu­men­ta­ção de­ve­rá ser apre­sen­ta­da na Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de Mobilidade (Se­mob).

To­dos os veí­cu­los de­ve­rão con­ter na par­te in­ter­na e de for­ma vi­sí­vel a iden­ti­fi­ca­ção do ti­tu­lar da au­to­ri­za­ção e de seus au­xi­li­a­res ca­das­tra­dos, além do al­va­rá de cir­cu­la­ção, com nú­me­ro de au­to­ri­za­ção, pla­ca do veí­cu­lo e avi­so de que é proi­bi­do fu­mar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.