ACNTEAS ES­TRA­DAS

Correio da Bahia - - Front Page -

A no­va Pes­qui­sa de Ro­do­vi­as da Con­fe­de­ra­ção Na­ci­o­nal dos Trans­por­tes com­pro­vou uma re­a­li­da­de cons­ta­ta­da, di­a­ri­a­men­te, por mo­to­ris­tas e pas­sa­gei­ros que tra­fe­gam pe­las es­tra­das da Bahia: o es­ta­do de pre­ca­ri­e­da­de da mai­or par­te da ma­lha ro­do­viá­ria. O le­van­ta­men­to de­mons­trou que dos 8.584 km de ro­do­vi­as do es­ta­do co­ber­tos pe­la consulta, 5.443 km (63,45%) fo­ram con­si­de­ra­dos ruins ou pés­si­mos, en­quan­to ape­nas 3.141 km (36,6%) fo­ram ava­li­a­dos co­mo óti­mos ou bons. Os ín­di­ces ne­ga­ti­vos po­de­ri­am ser mai­o­res, ca­so o es­tu­do abran­ges­se os qua­se 20 mil km das ro­do­vi­as e es­tra­das es­ta­du­ais, in­cluin­do uma ava­li­a­ção de to­das as BAs.

Os prin­ci­pais pro­ble­mas apon­ta­dos fo­ram de­fi­ci­ên­cia de si­na­li­za­ção e ge­o­me­tria (pis­ta sim­ples ou du­pla); a pre­sen­ça de fai­xa adi­ci­o­nal (a 3ª) de su­bi­da, de pon­tes, vi­a­du­tos, cur­vas pe­ri­go­sas, acos­ta­men­tos e pa­vi­men­ta­ção. Em to­do o Bra­sil fo­ram ava­li­a­dos 103.259 km de ro­do­vi­as. Des­ses 58,2% apre­sen­ta­ram al­gum ti­po de pro­ble­ma e 41,8% con­si­de­ra­dos bons ou óti­mos. A Bahia apa­re­ceu mal na pes­qui­sa em ou­tro que­si­to, o de pi­or tre­cho en­tre as ro­do­vi­as do país, os qua­se 400 km que li­gam Bar­rei­ras, no Oes­te do es­ta­do, a Na­ti­vi­da­de no To­can­tins, uma área es­sen­ci­al ao es­co­a­men­to da pro­du­ção de grãos, si­tu­a­da na úl­ti­ma fron­tei­ra agrí­co­la bra­si­lei­ra.

Pa­ra quem tra­fe­ga pe­la Bahia, o re­sul­ta­do da pes­qui­sa não cau­sou sur­pre­sa, pois a de­te­ri­o­ra­ção pro­gres­si­va das es­tra­das já vi­nha sen­do anun­ci­a­da, por es­pe­ci­a­lis­tas em en­ge­nha­ria ro­do­viá­ria, des­de que o De­par­ta­men­to de In­fra­es­tru­tu­ra de Trans­por­tes da Bahia, o an­ti­go e ope­ro­so Der­ba, foi ex­tin­to em fe­ve­rei­ro de 2015, de for­ma aço­da­da e ir­res­pon­sá­vel, pe­la re­for­ma ad­mi­nis­tra­ti­va do go­ver­na­dor Rui Cos­ta. Nós que per­ten­ce­mos ao qua­dro téc­ni­co do Der­ba, uma ver­da­dei­ra es­co­la de en­ge­nha­ria ro­do­viá­ria re­co­nhe­ci­da na­ci­o­nal­men­te, aler­ta­mos que o fim da au­tar­quia se­ria o co­me­ço do aban­do­no de boa par­te dos qua­se 20 mil km da ma­lha ro­do­viá­ria bai­a­na.

Com 20 re­si­dên­ci­as em mi­cror­re­giões es­tra­té­gi­cas da Bahia,oDer­ba­a­tu­a­va­na­con­ser­va­ção e a ma­nu­ten­ção pre­ven­ti­va das es­tra­das. Tão lo­go de­tec­ta­do um pro­ble­ma, uma equi­pe se des­lo­ca­va ao lo­cal e lo­go co­me­ça­va a tra­ba­lhar pa­ra so­lu­ci­o­nar a de­man­da. O que não acon­te­ce com a Su­pe­rin­ten­dên­cia de In­fra­es­tru­tu­ra de Trans­por­tes (SIT), su­ces­so­ra do Der­ba que se­quer foi re­gu­la­men­ta­da, e de­mo­ra pa­ra ata­car o pro­ble­ma, por ques­tões bu­ro­crá­ti­cas e de ca­rên­cia de pessoal.

A ter­cei­ri­za­ção das obras nas es­tra­das, co­mo vem acon­te­cen­do, en­ca­re­ce­rá os cus­tos em até 400% e não te­rá o mes­mo pa­drão de qua­li­da­de do Der­ba. Se qui­ser, de fa­to, cui­dar me­lhor das nos­sas es­tra­das, ga­ran­tin­do uma me­lhor se­gu­ran­ça viá­ria, o go­ver­no da Bahia po­de­ria aca­tar a su­ges­tão apro­va­da re­cen­te­men­te no I En­con­tro de In­fra­es­tru­tu­ra de Trans­por­te Ro­do­viá­rio da Con­fe­de­ra­ção dos Ser­vi­do­res Pú­bli­cos do Bra­sil (CSPB), a do re­tor­no do Der­ba.

Quem ro­da pe­la Bahia sa­be a fal­ta que o Der­ba faz.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.