Saú­de no tra­ba­lho

Correio da Bahia - - Variedades -

Pes­qui­sas fei­tas em con­cei­tu­a­das uni­ver­si­da­des pe­lo mun­do, en­tre elas a Uni­ver­si­da­de de East An­glia na Grã-Bre­ta­nha, apon­tam que quem tra­ba­lha qu­an­do es­tá do­en­te apre­sen­ta um de­sem­pe­nho pi­or e tem mais chan­ces de co­me­ter er­ros. A ins­ti­tui­ção bri­tâ­ni­ca clas­si­fi­cou o pro­ble­ma co­mo “pre­sen­teís­mo”, que é o fenô­me­no de es­tar de cor­po pre­sen­te no tra­ba­lho, mas sem pro­du­ti­vi­da­de. Os es­tu­dos mos­tram, por ou­tro la­do, que mui­tos se sen­tem pres­si­o­na­dos a não fal­tar por me­do de per­der o em­pre­go. Os pes­qui­sa­do­res afir­mam que ter um che­fe que tra­ba­lha do­en­te po­de ser uma in­fluên­cia, já que os fun­ci­o­ná­ri­os ten­dem a achar que ele espera o mes­mo de to­dos.

lucy.bar­re­to@re­de­bahia.com.br

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.