Es­por­te

Correio da Bahia - - Vida - Da­ni­e­la Le­o­ne da­ni­e­la.le­o­ne@re­de­bahia.com.br

Gu­to Fer­rei­ra espera ba­ta­lha pa­ra o jo­go di­an­te do Vi­la No­va

“É guer­ra”, de­cla­ra o téc­ni­co Gu­to Fer­rei­ra a cin­co ro­da­das do en­cer­ra­men­to da Sé­rie B. O téc­ni­co tem to­dos os seus ho­mens à dis­po­si­ção e o Bahia vai en­trar em campo com for­ça to­tal con­tra o Vi­la No­va, ama­nhã, às 20h30, no Ser­ra Dou­ra­da, em Goi­â­nia. Quais de­les se­rão es­co­lhi­dos pa­ra ini­ci­ar a ba­ta­lha con­tra a equi­pe goi­a­na e a es­tra­té­gia que o Es­qua­drão vai ado­tar pa­ra ven­cê-la, Gu­to não re­ve­la nem sob tor­tu­ra.

“In­for­ma­ção é de su­ma im­por­tân­cia. Nu­ma guer­ra, se vo­cê tem a in­for­ma­ção de por on­de es­tão vin­do, com quan­tos ho­mens, quan­to tem­po vão de­mo­rar pa­ra che­gar, dá pa­ra mon­tar uma em­bos­ca­da. E é is­so que não pos­so ce­der pa­ra o ad­ver­sá­rio. Te­nho que cri­ar um ata­que que pos­sa sur­pre­en­der e não ser sur­pre­en­di­do. É uma bri­ga de es­tra­té­gi­as”, avi­sa o trei­na­dor.

Ape­sar da cau­te­la, as es­tra­té­gi­as de Gu­to pa­ra do­mi­nar ter­ri­tó­ri­os ri­vais só fun­ci­o­na­ram uma vez no cam­pe­o­na­to, qu­an­do o Bahia ven­ceu o Avaí por 3x0, na Res­sa­ca­da, em Flo­ri­a­nó­po­lis, no dia 20 de agos­to. Ape­sar de só ter con­quis­ta­do um triun­fo fo­ra de ca­sa, o co­man­dan­te tri­co­lor pre­fe­re não se pren­der ao pas­sa­do. “Não adi­an­ta a gen­te fi­car cri­an­do fan­tas­mas. Lo­gi­ca­men­te, es­sa cam­pa­nha po­de­ria es­tar me­lhor. Te­mos que es­tar se­gu­ros e con­fi­an­tes do que va­mos fa­zer”, pre­ga. Me­lhor man­dan­te da Sé­rie B com 80% de apro­vei­ta­men­to, o Bahia é ou­tro ti­me fo­ra de ca­sa: ape­nas 25% de apro­vei­ta­men­to, com du­as vi­tó­ri­as, seis em­pa­tes e oi­to der­ro­tas.

An­tes de Gu­to as­su­mir o pos­to no Fa­zen­dão, o Bahia tam­bém só ti­nha ven­ci­do uma vez co­mo vi­si­tan­te na Sé­rie B e jus­ta­men­te no campo de ba­ta­lha de ama­nhã. No Ser­ra Dou­ra­da, o Es­qua­drão aba­teu o Goiás, por 2x0, no dia 7 de ju­nho, qu­an­do Do­ri­va ain­da era o téc­ni­co. Na oca­sião, era o 3º co­lo­ca­do e o Goiás ape­nas o 15º. Des­sa vez, as si­tu­a­ções do tri­co­lor e do ri­val goi­a­no na ta­be­la tam­bém são bem di­fe­ren­tes. En­quan­to o Bahia so­ma 53 pon­tos, es­tá em 6º lu­gar e bri­ga pe­lo aces­so, o Vi­la No­va ocu­pa a 11ª co­lo­ca­ção, com 46 pon­tos e já não tem pre­ten­sões no cam­pe­o­na­to.

Se a si­tu­a­ção do ad­ver­sá­rio den­tro de campo é es­tá­vel, fo­ra de­le o mo­men­to é de mui­ta ins­ta­bi­li­da­de. O pre­si­den­te Gu­tem­berg Ve­ro­nez re­nun­ci­ou, o trei­na­dor Gui­lher­me Al­ves já avi­sou que não quer per­ma­ne­cer no ano que vem e o sa­lá­rio dos jo­ga­do­res es­tá atra­sa­do. Ape­sar do ce­ná­rio, Gu­to Fer­rei­ra acre­di­ta que es­ses fa­to­res não tor­na­rão o con­fron­to mais fá­cil pa­ra o Bahia.

“Na ho­ra que co­me­ça a ro­lar a bo­la, nos 90 mi­nu­tos, na­da dis­so en­tra em campo. O que vo­cê tem a fa­zer é o seu me­lhor e res­pei­tar o ad­ver­sá­rio. Fu­te­bol não se de­ci­de por me­re­ci­men­to, mas por com­pe­tên­cia”. O tri­co­lor es­tá a um pon­to do Náu­ti­co, 4º co­lo­ca­do.

ES­CA­LA­ÇÃO

Ape­sar do cli­ma de mis­té­rio ha­bi­tu­al, Gu­to não de­ve me­xer mui­to no ti­me. As dú­vi­das es­tão no meio de campo. De­pois de cum­prir sus­pen­são, o vo­lan­te Luiz An­to­nio es­tá no­va­men­te à dis­po­si­ção, mas Re­nê Jú­ni­or atu­ou bem no triun­fo por 3x1 con­tra o Ce­a­rá, sá­ba­do pas­sa­do, na Fon­te No­va, e tem chan­ce de ser man­ti­do no ti- me. Quem tam­bém po­de ter opor­tu­ni­da­de de co­me­çar em campo é o meia Ré­gis. Au­tor de um gol e uma as­sis­tên­cia, ele foi o res­pon­sá­vel pe­la re­a­ção tri­co­lor con­tra o ti­me ce­a­ren­se na úl­ti­ma ro­da­da.

Se op­tar por Ré­gis, Re­na­to Ca­já po­de sen­tar no ban­co de re­ser­vas pe­la pri­mei­ra vez. Ou­tra op­ção é fa­zer os dois mei­as atu­a­rem jun­tos. Se qui­ser pre­sen­te­ar Ré­gis pe­lo bom ren­di­men­to e ain­da co­lo­car um ti­me mais ex­pe­ri­en­te em campo, o téc­ni­co po­de es­ca­lar o meia no lu­gar do ata­can­te Wes­ley Na­tã. “De­pen­de do ad­ver­sá­rio, do mo­men­to, do que a par­ti­da vai pro­por. Os dois já jo­ga­ram jun­tos em de­ter­mi­na­dos mo­men­tos de al­guns jo­gos”, des­pis­tou o trei­na­dor.

Pou­pa­do das ati­vi­da­des de ter­ça-fei­ra por se quei­xar de cansaço mus­cu­lar, o la­te­ral-es­quer­do Moi­sés trei­nou nor­mal­men­te on­tem e es­tá re­la­ci­o­na­do pa­ra o con­fron­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.