Pro­fis­si­o­nais de ní­vel su­pe­ri­or en­tram na dis­pu­ta por va­gas

Correio da Bahia - - Mais -

Na ten­ta­ti­va de se re­co­lo­car no mer­ca­do, mui­tos pro­fis­si­o­nais de ní­vel su­pe­ri­or es­tão se can­di­da­tan­do a car­gos téc­ni­cos. O di­re­tor da As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Re­cur­sos Hu­ma­nos na Bahia (ABRH-BA) Luiz Fran­ça es­ti­ma que de 10% a 15% dos pro­fis­si­o­nais de ní­vel su­pe­ri­or que bus­cam uma opor­tu­ni­da­de de em­pre­go es­tão com es­pe­ci­fi­ca­ções aci­ma das va­gas téc­ni­cas pa­ra a qual eles se can­di­da­tam.

“Por con­ta de uma ofer­ta mai­or de em­pre­gos nas áre­as téc­ni­cas, es­ses pro­fis­si­o­nais de ní­vel su­pe­ri­or es­tão fa­zen­do o mo­vi­men­to in­ver­so e mi­gran­do pa­ra es­tes car­gos”, ex­pli­ca.

A dis­tor­ção, ain­da se­gun­do Fran­ça, é agra­va­da por con­ta do au­men­to do ín­di­ce de de­sem­pre­go, o que aca­ba pres­si­o­nan­do os dois la­dos. “Is­so aca­ba au­men­tan­do a com­pe­ti­ti­vi­da­de na área téc­ni­ca”. No en­tan­to, ga­nha a dis­pu­ta o pro­fis­si­o­nal que es­ti­ver mais ade­qua­do aos re­qui­si­tos exi­gi­dos pe­la va­ga. “A pre­fe­rên­cia é sem­pre da­da pa­ra a pes­soa cer­ta na po­si­ção cer­ta, por­que es­se pro­fis­si­o­nal gra­du­a­do, na pri­mei­ra opor­tu­ni­da­de que ofe­re­cer um sa­lá­rio mai­or, vai pe­dir pa­ra sair. En­quan­to o téc­ni­co pos­si­bi­li­ta que a em­pre­sa con­te com um en­ga­ja­men­to mai­or e au­men­ta su­as chan­ces de re­ten­ção des­se ta­len­to”.

Pa­ra o es­pe­ci­a­lis­ta de Re­cur­sos Hu­ma­nos, a di­ca é re­pen­sar a car­rei­ra: “A me­lhor ma­nei­ra de se pro­cu­rar em­pre­go vai ser sem­pre atu­ar com ex­ce­lên­cia den­tro do per­fil da­que­la va­ga”.

Re­de de con­ta­tos Use sua re­de de con­ta­tos pa­ra mo­vi­men­tar opor­tu­ni­da­des. Con­ver­se com ami­gos, co­le­gas, pro­fes­so­res, pro­fis­si­o­nais da área que atua e ven­da, de fa­to, “seu pei­xe”. Mas não vá ser eva­si­vo e nem exa­ge­rar na abor­da­gem: in­vis­ta na­qui­lo de me­lhor que vo­cê tem a ofe­re­cer pa­ra o mer­ca­do.

Co­nhe­ci­men­to Bus­que sem­pre in­for­ma­ções so­bre a em­pre­sa na qual pre­ten­de se can­di­da­tar a uma va­ga. Co­nhe­ça os ne­gó­ci­os da­que­la em­pre­sa, os cli­en­tes, quais são os va­lo­res e a cul­tu­ra.

Na­da de de­sâ­ni­mo Ao pro­cu­rar tra­ba­lho por mui­to tem­po sem ob­ter su­ces­so de ime­di­a­to, a sen­sa­ção de frus­tra­ção po­de der­ru­bar a con­fi­an­ça do can­di­da­to e pre­ju­di­cá-lo na ten­ti­va de re­co­lo­ca­ção. É pre­ci­so cui­dar da par­te emo­ci­o­nal pa­ra não de­sis­tir e se­guir em fren­te na bus­ca por uma opor­tu­ni­da­de no mer­ca­do de tra­ba­lho.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.