Por mais di­as de paz

Correio da Bahia - - Esporte - Bru­no Qu­ei­roz bru­no.qu­ei­roz@re­de­bahia.com.br

Não po­de­ria ha­ver mo­men­to me­lhor pa­ra o Vi­tó­ria sair da zo­na de re­bai­xa­men­to. Por con­ta das ro­da­das das Eli­mi­na­tó­ri­as Sul-Ame­ri­ca­nas pa­ra a Co­pa do Mun­do de 2018, o Leão só vai vol­tar a cam­po no pró­xi­mo dia 17, con­tra o San­tos, na Vi­la Bel­mi­ro, às 18h30. Até lá, o ti­me de Ar­gel Fucks po­de­rá res­pi­rar por pe­lo me­nos 11 di­as fo­ra do Z4.

“Es­ses 11 di­as são pa­ra ter­mos um pou­co de paz. Saí­mos da zo­na de re­bai­xa­men­to. Nin­guém fa­lou, mas eu vou to­mar a li­ber­da­de de fa­lar. Is­so dá uma con­fi­an­ça mai­or, dá um âni­mo. A gen­te sa­be que é bri­ga de ca­chor­ro gran­de. Mas es­ta­mos fo­ra da zo­na a qua­tro ro­da­das do fim do cam­pe­o­na­to”, exal­tou o trei­na­dor.

Mas em sua aná­li­se após a par­ti­da, Ar­gel tam­bém ci­tou mais um er­ro, pa­ra ele co­le­ti­vo, da equi­pe em um dos gols so­fri­dos. “To­ma­mos o 2x1 num er­ro co­le­ti­vo. A gen­te fa­la, ex­pli­ca e tá can­sa­do de fa­lar. Se a gen­te er­ra, o ad­ver­sá­rio ma­ta. Ain­da mais nu­ma fa­se de com­pe­ti­ção co­mo es­sa. Um ad­ver­sá­rio que tá bri­gan­do por Li­ber­ta­do­res”.

O lan­ce en­vol­veu uma saí­da de bo­la er­ra­da do la­te­ral Eul­ler, que aca­bou nem vol­tan­do do in­ter­va­lo. Ar­gel, no en­tan­to, mi­ni­mi­zou a subs­ti­tui­ção e de­fen­deu o atle­ta. “So­bre o lan­ce do Eul­ler, o trei­na­dor tem que ter a ca­pa­ci­da­de e in­te­li­gên­cia de pre­ser­var o jo­ga­dor. Jo­go pas­sa­do, a jo­ga­da do gol foi do Eul­ler que deu três, qua­tro cor­tes no Wel­ling­ton e fez o cru­za­men­to”, lem­brou.

Ar­gel exal­ta saí­da do Z4 e co­me­mo­ra os 11 di­as sem jo­gos na ta­be­la

VE­LHO CO­NHE­CI­DO

So­bre a atu­a­ção de Ma­ri­nho, Ar­gel cre­di­tou ao fa­to de co­nhe­cer bem o atle­ta. “Ma­ri­nho é um jo­ga­dor fan­tás­ti­co, foi meu jo­ga­dor no Ca­xi­as. Eu co­nhe­ci o Ma­ri­nho no In­ter B. Foi con­tra­ta­do pa­ra o In­ter­na­ci­o­nal e eu já o co­nhe­cia (...) Eu le­vo a van­ta­gem, pois con­se­gui ex­trair o me­lhor do Ma­ri­nho. Já es­ta­va bem quan­do eu che­guei. Só que ago­ra ele tá fan­tás­ti­co”, elo­gi­ou.

Ain­da em má fa­se no ru­bro-ne­gro, Ki­e­za so­be mui­to pa­ra di­vi­dir a bo­la com os jo­ga­do­res do Atlé­ti­co-PR

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.