Es­te­ti­cis­ta mor­re após ser ba­le­a­da na fren­te do fi­lho; ex é sus­pei­to

Correio da Bahia - - Bahia - TAILANE MU­NIZ E GIL SANTOS

CI­DA­DE NO­VA A es­te­ti­cis­ta Isa­nei­de Sou­sa Te­les, 28 anos, foi ba­le­a­da na úl­ti­ma ter­ça-fei­ra ao che­gar em ca­sa com o fi­lho de 9 anos, no bair­ro de Ci­da­de No­va. A ví­ti­ma, atin­gi­da na ca­be­ça e no bra­ço, não re­sis­tiu aos fe­ri­men­tos e mor­reu an­te­on­tem. Se­gun­do a fa­mí­lia, Isa­nei­de foi sur­pre­en­di­da pe­lo ex-na­mo­ra­do, o es­to­fa­dor He­bert Lu­cas Oli­vei­ra dos Santos, que a es­pe­ra­va na por­ta de ca­sa. Os dois ti­ve­ram um re­la­ci­o­na­men­to de três anos, mas He­bert não se con­for­mou com o fim, se­gun­do pa­ren­tes. “Tem três me­ses que eles se se­pa­ra­ram e ele ti­nha fei­to ame­a­ças. Meu ir­mão foi pe­dir que ele a dei­xas­se em paz, já que ela não que­ria mais. Ele dis­se que tu­do bem, ia dei­xá-la em paz”, dis­se o tio da es­te­ti­cis­ta, o se­gu­ran­ça Ja­có Fa­ri­as Te­les, 55. Ele con­tou ain­da que o pai de Isa­nei­de, o pe­drei­ro Isac Fa­ri­as, que mo­ra pró­xi­mo à fi­lha, ain­da en­con­trou He­bert mi­nu­tos após os dis­pa­ros. “De­pois que ele ati­rou, ele su­biu em di­re­ção ao fi­nal da rua, viu meu ir­mão (o pai de Isa­nei­de) sain­do de ca­sa e dis­se: 'e aí, seu Isac, tu­do bem?'. Foi quan­do os vi­zi­nhos gri­ta­ram que ele ti­nha ati­ra­do em Nei­de e Isac des­ceu cor­ren­do pa­ra acu­dir a fi­lha”, lem­brou o tio. He­bert de­sa­pa­re­ceu após o cri­me. Se­gun­do o de­le­ga­do Luis Hen­ri­que Cos­ta, ti­tu­lar da 2ª De­le­ga­cia (La­pi­nha), o ca­so se­rá en­ca­mi­nha­do pa­ra o De­par­ta­men­to de Ho­mi­cí­di­os e Pro­te­ção à Pes­soa (DHPP), mas já há um in­di­ca­ti­vo de au­to­ria. “O sus­pei­to es­tá fo­ra­gi­do e em te­se já te­mos au­to­ria. Fo­mos ao lo­cal de tra­ba­lho, re­si­dên­cia, de­pois de ou­vir di­ver­sas tes­te­mu­nhas que vi­ram um ex-com­pa­nhei­ro ati­rar ne­la”, dis­se o de­le­ga­do. Se con­fir­ma­do, o ca­so é en­qua­dra­do co­mo fe­mi­ni­cí­dio, e a pe­na po­de che­gar a 30 anos. O cor­po de Isa­nei­de foi en­ter­ra­do on­tem, no ce­mi­té­rio da Or­dem 3ª do Car­mo, na Bai­xa de Quin­tas. Em um gru­po no What­sapp, He­bert, que é fi­lho ado­ti­vo de um PM, pe­diu des­cul­pas pe­lo cri­me. “Olha a lou­cu­ra que vo­cê fez, ca­ra, não pen­sou em nin­guém, nem em vo­cê mes­mo, es­tra­gou sua vi­da pra q?”, ques­ti­o­nou o co­le­ga Lá­za­ro Al­ves, 31. A res­pos­ta, mais uma vez, foi um pe­di­do de des­cul­pas. De­pois dis­so, o es­to­fa­dor vi­su­a­li­zou as men­sa­gens se­guin­tes e não res­pon­deu mais.

O cor­po de Isa­nei­de Sou­sa Te­les, 28, foi en­ter­ra­do na Bai­xa de Quin­tas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.