Ma­ra­ca­nã

Correio da Bahia - - Mais -

A pri­va­ta­ria do go­ver­no Sér­gio Ca­bral pro­du­ziu um bu­ra­co ne­gro. In­ven­ta­ram de fa­zer uma re­for­ma e de pri­va­ti­zar o Ma­ra­ca­nã. Bem ou mal, ele fun­ci­o­na­va des­de 1950. Tor­ra­ram R$ 1,1 bi­lhão e en­tre­ga­ram o es­tá­dio à Ode­bre­cht. O go­ver­no quis fa­zer a em­prei­tei­ra de bo­ba, não en­tre­gan­do o que pro­me­te­ra no con­tra­to. A em­prei­tei­ra te­ve a mes­ma ideia, achan­do que vi­ra­ria o jo­go com con­ver­si­nhas re­ser­va­das.

Deu tu­do er­ra­do, a Ode­bre­cht não quer mais o es­tá­dio, o go­ver­no não acei­ta re­ce­bê-lo e no fim do mês o Fla­men­go aban­do­na­rá o pré­dio. Atu­al­men­te, o Ma­ra­ca­nã es­tá com o se­gu­ro ven­ci­do e sua se­gu­ran­ça es­tá en­tre­gue a dois ser­vi­do­res.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.