Três dé­ca­das pa­ra hon­rar

Correio da Bahia - - Esporte - Moy­sés Su­zart moy­ses.su­zart@re­de­bahia.com.br

Nos 30 anos do Bar­ra­dão, Leão pre­ci­sa de­le pa­ra fu­gir da Sé­rie B

Na pró­xi­ma quin­ta-fei­ra o Vi­tó­ria en­fren­ta o San­tos, fo­ra de ca­sa, pe­lo Bra­si­lei­rão. O du­e­lo con­tra o vi­ce-lí­der é di­fí­cil e o em­pa­te se­ria até bom ne­gó­cio. Pa­ra es­ca­par do re­bai­xa­men­to, po­rém, ven­cer em ca­sa se­rá o cru­ci­al. Pa­ra al­can­çar os 45 pon­tos, pon­tu­a­ção que os ma­te­má­ti­cos en­ten­dem co­mo su­fi­ci­en­te pa­ra se man­ter na Sé­rie A, o Leão só pre­ci­sa fa­zer seu de­ver de ca­sa no Bar­ra­dão, que com­ple­tou 30 anos de inau­gu­ra­ção na sex­ta-fei­ra pas­sa­da, dia 11 de no­vem­bro.

Os du­e­los em ca­sa são con­tra o qua­se re­bai­xa­do Fi­guei­ren­se, do­min­go, e con­tra o lí­der Pal­mei­ras, que pos­si­vel­men­te já es­ta­rá com o tí­tu­lo nas mãos, na úl­ti­ma ro­da­da. O pro­ble­ma, nes­te ano, é jus­ta­men­te de­pen­der do ren­di­men­to den­tro do seu san­tuá­rio inau­gu­ra­do em 1986.

Des­de que o Ma­no­el Bar­ra­das pas­sou a ser a ca­sa ru­bro-ne­gra na Sé­rie A, em 1994, o Vi­tó­ria re­a­li­zou 232 jo­gos, com um apro­vei­ta­men­to ge­ral de 61%. Es­te ano, o ren­di­men­to es­tá bem abai­xo do ha­bi­tu­al. Após 13 par­ti­das do Bra­si­lei­ro na To­ca, o Leão ven­ceu cin­co, em­pa­tou três e per­deu cin­co. Um ren­di­men­to de so­men­te 46%.

O de­sem­pe­nho no Bar­ra­dão só não per­de pa­ra a fa­tí­di­ca tem­po­ra­da 2014, ano do úl­ti­mo re­bai­xa­men­to do clu­be.

Ou­tros três jo­gos co­mo man­dan­te na atu­al Sé­rie A fo­ram re­a­li­za­dos na Fon­te No­va e um no Joia da Prin­ce­sa, em Fei­ra de San­ta­na. Na Fon­te, uma vi­tó­ria, um em­pa­te e uma der­ro­ta. No Joia, um triun­fo. Ain­da as­sim, o apro­vei­ta­men­to to­tal em ca­sa é de 49%, o quar­to pi­or do cam­pe­o­na­to.

É pre­o­cu­pan­te, mas exis­tem pos­si­bi­li­da­des de su­pe­ra­ção. Ca­so ven­ça o Fi­guei­ren­se, do­min­go, além do Pal­mei­ras, dia 4 de de­zem­bro, o de­sem­pe­nho no Bar­ra­dão so­be de 46% pa­ra 53% (e o ge­ral em ca­sa de 49% pa­ra 54%), o que não ga­ran­te a per­ma­nên­cia, em par­te. Em 2004 e 2010, anos em que o Leão tam­bém caiu, os apro­vei­ta­men­tos fo­ram de 59% e 50%, res­pec­ti­va­men­te. Po­rém, es­te ano o Vi­tó­ria tem um ren­di­men­to co­mo vi­si­tan­te su­pe­ri­or aos anos ci­ta­dos.

Nem a pon­ta­ria es­tá tão afi­a­da no Bar­ra­dão. O Vi­tó­ria ain­da não con­se­guiu apli­car uma go­le­a­da em nin­guém. A mé­dia de gols atu­al­men­te é de 1,46 por jo­go, uma das pi­o­res do Leão em sua ca­sa. Nas úl­ti­mas 10 edi­ções, só é me­lhor tam­bém que a edi­ção de 2014, que não pas­sou de 1,21 bo­la na re­de por em­ba­te.

Se­gun­do o de­par­ta­men­to de ma­te­má­ti­ca da Uni­ver­si­da­de Fe­de­ral de Mi­nas Ge­rais (UFMG), a pro­ba­bi­li­da­de do Vi­tó­ria cair é de 51%. A bri­ga in­ten­sa nes­ta re­ta fi­nal é com o In­ter, pri­mei­ro na zo­na de re­bai­xa­men­to e com 42% de chan­ce de re­bai­xa­men­to, se­gun­do os ma­te­má­ti­cos, pro­va­vel­men­te por cau­sa dos ad­ver­sá­ri­os que te­rá.

O Vi­tó­ria tem 39 pon­tos e o co­lo­ra­do tem um a me­nos. O In­ter jo­ga em ca­sa nes­ta ro­da­da, quin­ta, con­tra a Pon­te Pre­ta. No ro­da­da se­guin­te, vi­si­ta o Co­rinthi­ans na se­gun­da-fei­ra. De­pois en­fren­ta­rá Cru­zei­ro e Fluminense. Além de San­tos, Fi­guei­ren­se e Pal­mei­ras, o Leão vi­si­ta o Co­ri­ti­ba, que tem 42 pon­tos, em 15º, e tam­bém bri­ga pa­ra não cair.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.