24h Po­li­ci­ais ou­vem ir­mão de Val­dir Ca­be­lei­rei­ro

Correio da Bahia - - Bahia - TAILANE MUNIZ

NO HOS­PI­TAL Po­li­ci­ais do De­par­ta­men­to de Ho­mi­cí­di­os e Pro­te­ção à Pes­soa (DHPP) es­ti­ve­ram no Hos­pi­tal Ge­ral do Es­ta­do (HGE), na ma­nhã de on­tem, pa­ra con­ver­sar com Re­gi­nal­do Manuel da Sil­va, 45 anos, co­nhe­ci­do co­mo Re­gi­nho, pa­ra co­lher in­for­ma­ções que pos­sam au­xi­li­ar na in­ves­ti­ga­ção da mor­te do ir­mão Val­dir Ma­cá­rio, 45 anos, no úl­ti­mo sá­ba­do. O cri­me foi den­tro do sa­lão de pro­pri­e­da­de da ví­ti­ma, na Ave­ni­da Vas­co da Ga­ma. Re­gi­nho foi in­ter­na­do há um mês de­pois de so­frer um aten­ta­do tam­bém den­tro do sa­lão, no dia 15 de ou­tu­bro. Ele foi ba­le­a­do de ras­pão no abdô­men, per­nas e ná­de­gas, mas tem o qua­dro de saú­de es­tá­vel e es­tá lú­ci­do. Re­ve­lan­do me­do, Re­gi­nho pe­diu on­tem res­tri­ção às vi­si­tas no hos­pi­tal. Mes­mo as­sim, dis­se aos po­li­ci­ais não acre­di­tar que o seu aten­ta­do te­nha re­la­ção com a mor­te de Val­dir. A Se­cre­ta­ria da Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca (SSP-BA) in­for­mou, em no­ta, que a equi­pe de in­ves­ti­ga­ção tem ado­ta­do os pro­ce­di­men­tos ade­qua­dos pa­ra elu­ci­dar o ho­mi­cí­dio, mas que in­for­ma­ções pre­li­mi­na­res não se­rão di­vul­ga­das pa­ra não atra­pa­lhar a pri­são dos au­to­res. No dia do as­sas­si­na­to de Val­dir, pes­so­as pró­xi­mas ao ca­be­lei­rei­ro ci­ta­ram o en­vol­vi­men­to de Re­gi­nho com uma mu­lher ca­sa­da com um ho­mem li­ga­do ao trá­fi­co de dro­gas. Ou­tra ver­são é que a mor­te de Val­dir es­te­ja li­ga­da às ame­a­ças que ele so­freu após des­fa­zer uma sociedade em um ne­gó­cio de ou­tro ra­mo. “Ele des­fez a sociedade que não es­ta­va dan­do cer­to e pro­cu­rou al­gu­mas pes­so­as pa­ra ti­rar o ma­te­ri­al do es­ta­be­le­ci­men­to. Po­de ter si­do uma vin­gan­ça des­sa pes­soa, que já ti­nha fei­to al­gu­mas ame­a­ças”, dis­se um ami­go, sem se iden­ti­fi­car. Ne­nhu­ma ver­são foi con­fir­ma­da pe­la po­lí­cia. O sa­lão de Val­dir con­ti­nu­a­va fe­cha­do on­tem e só de­ve re­a­brir na pró­xi­ma se­gun­da-fei­ra. Fa­mi­li­a­res fo­ram até o es­ta­be­le­ci­men­to pe­la pri­mei­ra vez após o cri­me, pa­ra pe­dir Jus­ti­ça e ho­me­na­ge­ar Val­dir com flo­res no lo­cal em que ele foi mor­to. Val­dir, que era co­nhe­ci­do por ser es­pe­ci­a­lis­ta em ca­be­los cres­pos e por ter cons­truí­do sua his­tó­ria no En­ge­nho Ve­lho de Bro­tas, foi as­sas­si­na­do com oi­to ti­ros en­quan­to aten­dia no sa­lão. Dois ho­mens in­va­di­ram o es­ta­be­le­ci­men­to com ar­mas lon­gas e dis­pa­ra­ram con­tra a ví­ti­ma. Ima­gens de câ­me­ras de se­gu­ran­ça mos­tram cli­en­tes e fun­ci­o­ná­ri­os cor­ren­do e dois ho­mens ar­ma­dos in­do em di­re­ção a Val­dir. Ne­nhum sus­pei­to foi iden­ti­fi­ca­do ain­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.