Porto vai re­ce­ber R$ 398 mi­lhões pa­ra du­pli­car área de con­têi­ne­res

Correio da Bahia - - Economia -

SALVADOR O Ter­mi­nal de Con­têi­ne­res (Te­con) do Porto de Salvador, ope­ra­do pe­la Wil­son sons, as­si­nou on­tem um adi­ti­vo con­tra­tu­al com o Mi­nis­té­rio dos Trans­por­tes, Por­tos e Avi­a­ção Ci­vil que vai per­mi­tir a am­pli­a­ção do cais prin­ci­pal de 357 me­tros pa­ra 800 me­tros nos pró­xi­mos anos. A am­pli­a­ção foi vi­a­bi­li­za­da gra­ças a um acor­do pa­ra a an­te­ci­pa­ção de in­ves­ti­men­tos, da or­dem de R$ 398 mi­lhões e te­ve co­mo con­tra­par­ti­da a pror­ro­ga­ção da con­ces­são do ter­mi­nal por mais 25 anos, fi­na­li­za­dos em 2050. Se so­ma­dos os cus­tos com a ma­nu­ten­ção da área, o adi­ti­vo con­tra­tu­al pre­vê um de­sem­bol­so to­tal de R$ 715 mi­lhões do Te­con até 2050.

Se­gun­do o di­re­tor-exe­cu­ti­vo do Te­con, De­mir Lou­ren­ço, as obras de am­pli­a­ção, que de­vem se ini­ci­ar em dois anos, vão co­lo­car o Porto de Salvador em con­di­ção pri­vi­le­gi­a­da no país. “Em 2019 ou 2020, quan­do uma no­va fro­ta de su­per­na­vi­os com 366 me­tros de cum­pri­men­to en­trar no mer­ca­do, te­re­mos con­di­ções de atra­car dois ao mes­mo tem­po”, afir­mou ao blog Fa­rol Econô­mi­co, que in­te­gra o si­te do COR­REIO. Ago­ra, com­ple­men­ta ele, o de­sa­fio é con­cluir o pro­je­to exe­cu­ti­vo e bus­car as li­cen­ças ne­ces­sá­ri­as nos pró­xi­mos no­ve me­ses. As obras de­vem ge­rar 500 em­pre­gos di­re­tos, e in­clu­em a cons­tru­ção de um no­vo cais e pi­er de atra­ca­ção com 423 me­tros, além de ur­ba­ni­za­ção, pa­vi­men­ta­ção e ater­ro hi­dráu­li­co da área, am­pli­an­do em 75% a ca­pa­ci­da­de de pro­ces­sa­men­to do ter­mi­nal, de acor­do com a Com­pa­nhia Do­cas da Bahia (Co­de­ba). O Es­tu­do de Vi­a­bi­li­da­de Téc­ni­ca, Econô­mi­ca e Am­bi­en­tal (EVTEA) apro­va­do pe­la An­taq pre­vê, du­ran­te to­do o pe­río­do do con­tra­to, uma re­cei­ta de pou­co mais de R$ 1 bi­lhão pa­ra a Co­de­ba. “A ex­pan­são do ter­mi­nal pa­ra a área con­tí­gua per­mi­te o au­men­to da ca­pa­ci­da­de ope­ra­ci­o­nal e ga­nhos de efi­ci­ên­cia e pro­du­ti­vi­da­de pa­ra o Porto de Salvador”, dis­se o pre­si­den­te da Co­de­ba, Pedro Dan­tas.

De acor­do com o se­cre­tá­rio exe­cu­ti­vo do Pro­gra­ma de Par­ce­ri­as de In­ves­ti­men­tos (PPI), Moreira Fran­co, a pri­o­ri­da­de do go­ver­no fe­de­ral é en­fren­tar o de­sa­fio da ge­ra­ção de em­pre­gos. “Va­mos mo­bi­li­zar uma par­ce­ria com o ca­pi­tal pri­va­do pa­ra fa­zer os in­ves­ti­men­tos de in­fra­es­tru­tu­ra e ge­rar os em­pre­gos ne­ces­sá­ri­os”, dis­se Moreira Fran­co. O mi­nis­tro dos Trans­por­tes, Mau­rí­cio Quin­tel­la, dis­se, on­tem, que o se­tor por­tuá­rio po­de ge­rar in­ves­ti­men­to de R$ 40 bi­lhões nos pró­xi­mos 25 anos. A pro­je­ção do mi­nis­tro é pror­ro­gar con­tra­tos e in­cen­ti­var a ins­ta­la­ção de ter­mi­nais pri­va­dos (TUPs). “Se tu­do se efe­ti­var, o se­tor por­tuá­rio po­de ter in­ves­ti­men­tos de R$ 40 bi­lhões a lon­go pra­zo”, pro­je­ta.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.