Ex-pre­si­den­te da An­dra­de mu­da ver­são so­bre pro­pi­na

Correio da Bahia - - Brasil -

CHA­PA DE DIL­MA O exe­cu­ti­vo Otá­vio Mar­ques de Aze­ve­do, ex-pre­si­den­te da An­dra­de Gu­ti­er­rez, apre­sen­tou um no­vo de­poi­men­to ao Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral (TSE) na úl­ti­ma quin­ta-fei­ra, 17, e, se­gun­do ad­vo­ga­dos, mu­dou a ver­são da­da an­te­ri­or­men­te: afir­mou que não hou­ve pro­pi­na pa­ra a cam­pa­nha de Dil­ma Rous­seff e Mi­chel Te­mer em 2014. O de­poi­men­to foi to­ma­do pe­lo mi­nis­tro Her­man Ben­ja­min no âm­bi­to de uma ação mo­vi­da pe­lo PSDB que in­ves­ti­ga ir­re­gu­la­ri­da­des na cam­pa­nha da cha­pa elei­ta. Em se­tem­bro, Aze­ve­do ha­via di­to ao TSE que R$ 1 mi­lhão que en­trou no cai­xa da cam­pa­nha de Dil­ma e Te­mer foi pro­ve­ni­en­te de um pa­ga­men­to de pro­pi­na fei­to em mar­ço de 2014, an­tes do pe­río­do elei­to­ral, ao di­re­tó­rio na­ci­o­nal do PT. Ago­ra, se­gun­do ad­vo­ga­dos de de­fe­sa e de acu­sa­ção que pre­sen­ci­a­ram o no­vo de­poi­men­to, Aze­ve­do “re­ti­fi­cou” sua ver­são e afir­mou ter se con­fun­di­do quan­to à na­tu­re­za da do­a­ção, que te­ria si­do lí­ci­ta. A mu­dan­ça no te­or do de­poi­men­to ocor­re após a de­fe­sa de Dil­ma de­mons­trar no pro­ces­so que o R$ 1 mi­lhão che­gou ao cai­xa da cam­pa­nha por meio do PMDB de Te­mer, e não do PT. A in­for­ma­ção de que a do­a­ção des­se va­lor su­pos­ta­men­te ile­gal ti­nha si­do fei­ta via PMDB po­de­ria tra­zer pre­juí­zos ao go­ver­no de Te­mer e, no pi­or ce­ná­rio, até sua cas­sa­ção. O PMDB tem sus­ten­ta­do que as cam­pa­nhas da en­tão can­di­da­ta a pre­si­den­te e do can­di­da­to a vi­ce eram in­de­pen­den­tes. De­pois de de­por por cer­ca de du­as ho­ras, Aze­ve­do saiu sem fa­lar com a im­pren­sa. “Da mi­nha par­te, es­tou bas­tan­te tran­qui­lo, co­mo ve­jo que tem que ser. As coi­sas são o que são, va­mos con­ti­nu­ar olhan­do pa­ra a fren­te”, dis­se.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.