Ope­ra­ção da PF re­a­li­za pri­são em Ilhéus con­tra por­no­gra­fia in­fan­til

Correio da Bahia - - Bahia -

DARKNET Três man­da­dos de bus­ca e apre­en­são e um man­da­do de pri­são fo­ram cum­pri­dos on­tem, nas ci­da­des de Sal­va­dor, Ilhéus e Uru­çu­ca, du­ran­te a se­gun­da fa­se da Ope­ra­ção Darknet, que com­ba­te a re­de de dis­tri­bui­ção de por­no­gra­fia in­fan­til na in­ter­net. Além da pri­são re­a­li­za­da em Ilhéus, a Po­lí­cia Fe­de­ral (PF) pren­deu ou­tras 14 pes­so­as em dez es­ta­dos. Se­gun­do a PF, as pri­sões fo­ram re­a­li­za­das em fla­gran­te, en­quan­to agen­tes cum­pri­am 61 man­da­dos de bus­ca e apre­en­são no to­tal. A PF in­ves­ti­ga 67 sus­pei­tos de com­par­ti­lhar con­teú­do por­no­grá­fi­co en­vol­ven­do cri­an­ças e ado­les­cen­tes na cha­ma­da De­ep Web - si­tes e con­teú­dos que não são aces­sí­veis por links pa­drões. Os po­li­ci­ais tam­bém apre­en­de­ram com­pu­ta­do­res, dis­cos rí­gi­dos, CDs e ou­tros ma­te­ri­ais em que, de acor­do com eles, es­tão ar­ma­ze­na­dos os con­teú­dos com por­no­gra­fia in­fan­til. Se­gun­do a Su­pe­rin­ten­dên­cia da PF no Rio Gran­de do Sul, res­pon­sá­vel pe­la ope­ra­ção, a po­lí­cia ain­da an­te­ci­pou, du­ran­te as in­ves­ti­ga­ções, o cum­pri­men­to de se­te or­dens ju­di­ci­ais pa­ra evi­tar o pos­sí­vel abu­so se­xu­al de cri­an­ças. O Rio de Ja­nei­ro, com qua­tro, foi on­de mais pes­so­as fo­ram pre­sas on­tem. Fo­ram dois de­ti­dos na ca­pi­tal flu­mi­nen­se, ou­tro em Te­re­só­po­lis e mais um no mu­ni­cí­pio de Bel­ford Ro­xo. Em San­ta Ca­ta­ri­na, fo­ram du­as pri­sões, em Join­vil­le e Na­ve­gan­tes. Pe­lo me­nos um sus­pei­to foi pre­so nos es­ta­dos do Ama­zo­nas, Mi­nas Ge­rais, Pa­rá, Pa­raí­ba, Per­nam­bu­co, Pa­ra­ná, Rio Gran­de do Sul e São Pau­lo. Ne­nhum no­me foi di­vul­ga­do. Em Ala­go­as, no Ce­a­rá, no Es­pí­ri­to San­to, no Ma­ra­nhão e no Rio Gran­de do Nor­te, on­de tam­bém se cum­pri­am man­da­dos, nin­guém foi de­ti­do. “Nós de­sen­vol­ve­mos uma fer­ra­men­ta que per­mi­tiu a aná­li­se e o ras­tre­a­men­to das in­for­ma­ções pu­bli­ca­das na Dark Web, uma por­ção da De­ep Web on­de to­do o con­teú­do é anô­ni­mo e crip­to­gra­fa­do”, ex­pli­cou o de­le­ga­do Fer­nan­do Ca­sa­rin, da De­le­ga­cia de De­fe­sa Ins­ti­tu­ci­o­nal da Po­lí­cia Fe­de­ral. “Com es­sa fer­ra­men­ta, nós iden­ti­fi­ca­mos os usuá­ri­os e o ma­te­ri­al com­par­ti­lha­do por eles”, afir­mou Ca­sa­rin. Cer­ca de 300 po­li­ci­ais par­ti­ci­pa­ram das ações da se­gun­da fa­se da Darknet em to­do o país. O iní­cio da apu­ra­ção dos cri­mes foi ain­da em 2013, de acor­do com a PF. Um ano de­pois, em ou­tu­bro de 2014, 51 pes­so­as fo­ram pre­sas em 18 es­ta­dos, du­ran­te a pri­mei­ra fa­se da ope­ra­ção, sus­pei­tas de com­par­ti­lhar por­no­gra­fia in­fan­til. À épo­ca, se­gun­do a po­lí­cia, os de­ti­dos eram to­dos ho­mens, mas com di­ver­sos per­fis: ha­via um mi­li­tar, um agen­te pe­ni­ten­ciá­rio, um se­mi­na­ris­ta e em­pre­sá­ri­os. Os no­mes de­les tam­bém não fo­ram di­vul­ga­dos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.