Acor­do com go­ver­no pre­vê que es­ta­dos ado­tem li­mi­te pa­ra gas­tos

Correio da Bahia - - Economia -

AJUS­TE Os es­ta­dos bra­si­lei­ros vão ado­tar uma me­di­da se­me­lhan­te à PEC do Te­to, e tam­bém de­ve­rão fa­zer uma re­for­ma da Pre­vi­dên­cia si­mi­lar à que se­rá apre­sen­ta­da pe­lo go­ver­no fe­de­ral. Em tro­ca, es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os vão re­ce­ber cer­ca de R$ 5 bi­lhões do va­lor das mul­tas co­bra­das pe­la Re­cei­ta Fe­de­ral dos re­cur­sos re­cen­te­men­te re­pa­tri­a­dos.

O anún­cio do acor­do foi fei­to pe­lo mi­nis­tro da Fa­zen­da, Hen­ri­que Mei­rel­les, ao tér­mi­no da reu­nião en­tre o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer, a equi­pe econô­mi­ca do go­ver­no fe­de­ral e os go­ver­na­do­res. O en­con­tro acon­te­ceu on­tem, em Bra­sí­lia. A PEC do Te­to tra­mi­ta no Se­na­do de­pois de ser apro­va­da pe­la Câ­ma­ra e li­mi­ta o crescimento do gas­to pú­bli­co à in­fla­ção do ano an­te­ri­or. Tra­ta-se da prin­ci­pal me­di­da do ajus­te fis­cal pro­pos­to pe­lo go­ver­no do pe­e­me­de­bis­ta, vis­ta co­mo es­sen­ci­al pa­ra re­e­qui­li­brar as con­tas pú­bli­cas e re­con­quis­tar a con­fi­an­ça dos mer­ca­dos. Já os crí­ti­cos di­zem que a pro­pos­ta vai re­du­zir in­ves­ti­men­tos, in­cluin­do áre­as co­mo saú­de e edu­ca­ção.

“Na pró­xi­ma se­ma­na, go­ver­na­do­res vão apre­sen­tar pro­je­to de ajus­te fis­cal dos es­ta­dos se­guin­do o exem­plo do ajus­te fis­cal da União que es­tá em an­da­men­to. O ob­je­ti­vo é per­mi­tir que es­ta­dos atin­jam um equi­lí­brio”, afir­mou Mei­rel­les. Se­gun­do ele, o pró­xi­mo pon­to a ser ado­ta­do é o li­mi­te glo­bal pa­ra o crescimento das des­pe­sas dos es­ta­dos, equi­va­len­te à in­fla­ção do ano an­te­ri­or, co­mo pre­vê a PEC. “As me­di­das in­clu­em ain­da a re­du­ção de 20% dos gas­tos com co­mis­si­o­na­dos, tem­po­rá­ri­os ou gra­ti­fi­ca­ções”, adi­an­tou o mi­nis­tro da Fa­zen­da. De acor­do com Mei­rel­les, os es­ta­dos se com­pro­me­te­ram a se­guir uma de­ci­são já to­ma­da pe­lo Con­se­lho de Política Fa­zen­dá­ria (Con­faz) pa­ra a cri­a­ção de um fun­do es­ta­du­al com­pos­to de uma con­tri­bui­ção dos be­ne­fi­ciá­ri­os dos in­cen­ti­vos fis­cais que não fo­ram de­fi­ni­dos pe­lo co­le­gi­a­do. “Es­sa con­tri­bui­ção não po­de­rá ser in­fe­ri­or a 10% do in­cen­ti­vo. To­dos os go­ver­na­do­res irão im­ple­men­tar is­so”, ga­ran­tiu.

Pa­ra os es­ta­dos que es­tão em pi­or si­tu­a­ção fis­cal, co­mo o Rio de Ja­nei­ro e o Rio Gran­de do Sul - que já edi­ta­ram de­cre­tos de ca­la­mi­da­de -, ou­tras me­di­das ain­da se­rão dis­cu­ti­das. “Se­rão to­ma­das me­di­das mais abran­gen­tes, e al­guns já as anun­ci­a­ram”, com­ple­tou. Além dis­so, Mei­rel­les con­fir­mou que o go­ver­no fe­de­ral apre­sen­ta­rá uma PEC pa­ra a Re­for­ma da Pre­vi­dên­cia e os es­ta­dos fa­rão uma emen­da à pro­pos­ta con­so­li­dan­do-a com as re­for­mas das pre­vi­dên­ci­as es­ta­du­ais. “As pro­pos­tas ca­mi­nha­rão de for­ma con­jun­ta”, dis­se.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.