PO­DE­RO­SOS DO PRO­CES­SO SE­LE­TI­VO

Correio da Bahia - - Mais - Laura.fer­nan­des@re­de­bahia.com.br

1 João Mi­guel O ator bai­a­no in­ter­pre­ta Eze­qui­el, um ho­mem com­ple­ta­men­te a ser­vi­ço de um sis­te­ma opres­sor e de­su­ma­no

2 Vi­vi­a­ne Por­to A atriz ca­ri­o­ca in­ter­pre­ta Ali­ne, uma fun­ci­o­ná­ria efi­ci­en­te, que não me­de es­for­ços pa­ra che­gar no po­der

3 Mel Fronc­kowi­ak A atriz dá vi­da à mu­lher do po­de­ro­so Eze­qui­el, fun­ci­o­ná­ria do pro­ces­so que vi­ve pre­sa a seu pas­sa­do Ima­gi­ne um mun­do di­vi­di­do en­tre um mi­se­rá­vel con­ti­nen­te e uma ilha tec­no­ló­gi­ca on­de a vi­da é per­fei­ta. A úni­ca opor­tu­ni­da­de de pas­sar de um lu­gar (Con­ti­nen­te) pa­ra o ou­tro (Mar Al­to) é en­fren­tar, aos 20 anos, um pro­ces­so se­le­ti­vo com­pe­ti­ti­vo, in­jus­to e de­su­ma­no, on­de ape­nas 3% dos can­di­da­tos são apro­va­dos. “Vo­cê é cri­a­dor do seu pró­prio mé­ri­to”, de­cla­ra o che­fe do pro­ces­so des­pro­vi­do de po­lí­ti­cas in­clu­si­vas, di­an­te de cen­te­nas de can­di­da­tos, en­tre eles um ca­dei­ran­te.

A ce­na fic­tí­cia faz par­te da sé­rie 3%, pri­mei­ra pro­du­ção bra­si­lei­ra da Net­flix, as­si­na­da pe­la Bou­ti­que Fil­mes que es­treia sex­ta, com os oi­to epi­só­di­os dis­po­ni­bi­li­za­dos de uma só vez. Quem en­ca­be­ça o elen­co é o ator bai­a­no João Mi­guel, que in­ter­pre­ta o po­de­ro­so Eze­qui­el, che­fe do pro­ces­so de se­le­ção, e a atriz ca­ri­o­ca Bi­an­ca Com­pa­ra­to, que dá vi­da a Mi­che­le, lí­der do gru­po de can­di­da­tos dis­pos­tos a fa­zer de tu­do por uma vi­da me­lhor. Tu­do mes­mo: tra­pa­ças, rou­bos e fal­si­da­de ide­o­ló­gi­ca.

Qual­quer se­me­lhan­ça com a re­a­li­da­de bra­si­lei­ra não é me­ra coin­ci­dên­cia, já que a sé­rie 3% traz pa­ra o cen­tro do de­ba­te a me­ri­to­cra­cia, a de­si­gual­da­de e ou­tros te­mas que re­ve­lam mui­to so­bre a sociedade bra­si­lei­ra. “O Bra­sil é um dos paí­ses mais de­si­guais do mun­do e, de al­gu­ma for­ma, na sé­rie es­sa de­si­gual­da­de es­tá to­tal­men­te cris­ta­li­za­da den­tro do sis­te­ma. Uma de­si­gual­da­de ofi­ci­al, pro­pos­ta e até ‘que­ri­da’”, des­ta­ca o cri­a­dor e ro­tei­ris­ta de 3%, Pe­dro Agui­le­ra, 27 anos.

Di­ri­gi­da pe­lo uru­guaio Cé­sar Char­lo­ne, que tam­bém as­si­na a di­re­ção de fo­to­gra­fia de fil­mes co­mo Ci­da­de de Deus (2002), O Jar­di­nei­ro Fi­el (2005) e En­saio So­bre a Ce­guei­ra (2008), 3% mer­gu­lha no uni­ver­so da dis­to­pia. Ou se­ja, aque­le lu­gar on­de se vi­ve em con­di­ções de ex­tre­ma opres­são, de­ses­pe­ro ou pri­va­ção.

“O Bra­sil, de cer­ta ma­nei­ra, é uma dis­to­pia, a gen­te não pre­ci­sa nem in­ven­tar. Foi mui­to sen­sí­vel do Pe­dro Agui­le­ra tra­zer is­so pa­ra o Bra­sil. O con­cei­to faz mui­to sen­ti­do e a en­tra­da do Cé­sar Char­lo­ne dá mais bra­si­li­da­de, mais la­ti­ni­da­de, de um fu­tu­ro mais pre-

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.