24h Por una­ni­mi­da­de, co­mis­são apro­va relatório de pa­co­te an­ti­cor­rup­ção

Correio da Bahia - - Brasil -

ME­DI­DAS A co­mis­são es­pe­ci­al da Câ­ma­ra apro­vou na noi­te de on­tem, por una­ni­mi­da­de de 30 vo­tos, o pa­re­cer do de­pu­ta­do Onyx Lo­ren­zo­ni (DEM-RS) ao pa­co­te de me­di­das de com­ba­te à cor­rup­ção. Até o fe­cha­men­to des­ta edi­ção, os par­la­men­ta­res ain­da não ha­vi­am vo­ta­do três destaques apre­sen­ta­dos pe­la ban­ca­da do PT. So­men­te após o re­sul­ta­do das vo­ta­ções, o pro­je­to po­de­rá se­guir pa­ra o ple­ná­rio da Casa. O tex­to foi apro­va­do com ori­en­ta­ção fa­vo­rá­vel de to­dos os par­ti­dos que têm re­pre­sen­tan­tes na co­mis­são es­pe­ci­al. A apro­va­ção só foi pos­sí­vel após o re­la­tor fa­zer acor­do com par­la­men­ta­res e lí­de­res par­ti­dá­ri­os, que au­men­ta­ram a pres­são nos úl­ti­mos di­as, mi­nu­tos an­tes de o pa­re­cer ir à vo­ta­ção, pa­ra que Lo­ren­zo­ni re­a­li­zas­se uma sé­rie de mu­dan­ças no pa­re­cer. A pro­pos­ta apro­va­da pre­vê a cri­mi­na­li­za­ção do cai­xa 2 pa­ra po­lí­ti­cos, par­ti­dos, em­pre­sas e a qu­em pra­ti­car o cri­me em no­me de um can­di­da­to ou de um par­ti­do, co­mo te­sou­rei­ros de cam­pa­nha ou das si­glas. A pe­na pre­vis­ta é de re­clu­são de 2 a 5 anos. Já os par­ti­dos te­rão de pa­gar multa de 5% a 20% do va­lor de re­pas­se da co­ta do fun­do par­ti­dá­rio re­fe­ren­te ao ano em que o ato le­si­vo ocor­reu. O tex­to apro­va­do na co­mis­são não fala, po­rém, em anis­tia a qu­em pra­ti­cou cai­xa 2 an­tes da apro­va­ção da lei. A ideia é de que os par­la­men­ta­res in­clu­am a anis­tia ex­plí­ci­ta du­ran­te a vo­ta­ção do pa­co­te no ple­ná­rio da Câ­ma­ra, as­sim co­mo a ins­ti­tui­ção do cri­me de res­pon­sa­bi­li­da­de pa­ra ma­gis­tra­dos e mem­bros do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co, que foi re­ti­ra­do do pa­re­cer pe­lo re­la­tor. A pro­pos­ta tam­bém res­pon­sa­bi­li­za o elei­tor que ven­der vo­to, com pe­na de um a qua­tro anos de re­clu­são. Ou­tra pro­pos­ta apro­va­da no pa­re­cer foi a cri­a­ção da figura do “re­por­tan­te”. Ou se­ja, aque­le cu­ja de­nún­cia a ór­gãos de Jus­ti­ça ou à im­pren­sa acar­re­tar im­po­si­ção de pe­na­li­da­des po­de­rá re­ce­ber até 20% dos va­lo­res re­cu­pe­ra­dos. Se apre­sen­tar in­for­ma­ções fal­sas do­lo­sa­men­te, se­rá res­pon­sa­bi­li­za­do. O tex­to tam­bém trans­for­ma em he­di­on­do os cri­mes de cor­rup­ção con­tra ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca, quan­do o va­lor da van­ta­gem su­pe­rar os 10 mil sa­lá­ri­os mí­ni­mos. O pa­re­cer tam­bém res­trin­ge os cha­ma­dos em­bar­gos de­cla­ra­tó­ri­os, que só po­de­rão ser apre­sen­ta­dos uma úni­ca vez e de­ve­rão ser res­pon­di­dos em até cin­co di­as pe­la Jus­ti­ça. Dei­xa cla­ro ain­da que pro­vas ob­ti­das de for­ma ilí­ci­ta não se­rão acei­tas em pro­ces­sos.

De­pu­ta­dos apro­vam pa­co­te com ori­en­ta­ção fa­vo­rá­vel dos par­ti­dos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.