In­cên­dio em fá­bri­ca ir­re­gu­lar dei­xa qua­tro mor­tos e 24 fe­ri­dos

Correio da Bahia - - Brasil Mundo -

SÃO PAU­LO Qua­tro pes­so­as mor­re­ram e 24 fi­ca­ram fe­ri­das em um in­cên­dio no iní­cio da ma­nhã de on­tem na re­gião do Brás, no centro de São Pau­lo. As equi­pes de bus­ca per­ma­ne­ce­ram no lo­cal até o fi­nal da tar­de em bus­ca de so­bre­vi­ven­tes. Al­guns bom­bei­ros pre­ci­sa­ram ser so­cor­ri­dos por ter ina­la­do gran­de quan­ti­da­de de fu­ma­ça. O so­cor­ro foi aci­o­na­do às 4h e o fo­go, con­tro­la­do às 5h. No imó­vel de dois an­da­res, na Ave­ni­da Cel­so Garcia, re­gião de comércio têx­til po­pu­lar, exis­te uma ocu­pa­ção de imi­gran­tes de vá­ri­as na­ci­o­na­li­da­des. No an­dar de bai­xo ha­via uma pe­que­na lan­cho­ne­te e, no an­dar de ci­ma, os imi­gran­tes mo­ra­vam e tam­bém tra­ba­lha­vam em pre­cá­ri­as ofi­ci­nas de rou­pas. Se­gun­do vi­zi­nhos, a mo­ra­dia ti­nha ema­ra­nha­dos de fi­os elé­tri­cos com gran­de ris­co de cur­to-cir­cui­to.

Nel­son Su­gui­e­da, co­or­de­na­dor da De­fe­sa Ci­vil, con­fir­ma a sus­pei­ta dos vi­zi­nhos. De acor­do com ele, a li­ga­ção elé­tri­ca era clan­des­ti­na, o que au­men­ta a pos­si­bi­li­da­de de cur­to-cir­cui­to. Nel­son re­la­ta di­fi­cul­da­de do Ser­vi­ço Social em ca­das­trar as fa­mí­li­as que ago­ra es­tão de­sa­bri­ga­das. “O gran­de pro­ble­ma é fa­zer o aten­di­men­to a es­sas pes­so­as, elas se ne­gam. Pro­va­vel­men­te, pe­lo fa­to de se­rem ile­gais, is­so po­de ser o mo­ti­vo de elas não es­ta­rem se iden­ti­fi­can­do”, dis­se ele. O pré­dio atin­gi­do pe­lo in­cên­dio te­rá de ser de­mo­li­do, se­gun­do ava­li­a­ção da De­fe­sa Ci­vil. “Vai ter que de­mo­lir, por­que to­da a es­tru­tu­ra es­tá com­pro­me­ti­da”, res­sal­tou Nel­son Su­gui­e­da. O pro­pri­e­tá­rio do imó­vel, que es­tá in­ter­di­ta­do, ain­da não foi lo­ca­li­za­do. Ele se­rá in­ti­ma­do a to­mar as pro­vi­dên­ci­as ne­ces­sá­ri­as nes­se sen­ti­do. Uma cri­an­ça, que po­de­ria ser a quin­ta ví­ti­ma do fo­go, foi en­con­tra­da em se­gu­ran­ça. Mor­re­ram dois ho­mens e du­as mu­lhe­res. En­tre eles, o res­pon­sá­vel por alu­gar es­pa­ços do pré­dio in­va­di­do pa­ra mo­ra­dia ir­re­gu­lar.

O au­di­tor fis­cal do Tra­ba­lho Re­na­to Big­na­mi in­for­mou que a si­tu­a­ção do lo­cal era ir­re­gu­lar, já que os tra­ba­lha­do­res fi­ca­vam con­fi­na­dos e fa­zi­am do mes­mo am­bi­en­te mo­ra­dia e lo­cal de tra­ba­lho. No imó­vel de dois an­da­res fo­ram en­con­tra­dos bo­ti­jões de gás, o que não é per­mi­ti­do pe­las nor­mas do tra­ba­lho.

O pré­dio de dois an­da­res on­de acon­te­ceu o in­cên­dio vai pre­ci­sar ser de­mo­li­do, apon­ta a De­fe­sa Ci­vil

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.