Pes­qui­sar so­bre em­pre­sas e pre­ços é fun­da­men­tal

Correio da Bahia - - Mais -

apli­ca­ti­vo da empresa. Os des­con­tos con­tam tan­to pa­ra es­sa sex­ta-fei­ra, quan­to pa­ra o fi­nal de se­ma­na.

O Wal­mart es­tá pro­mo­ven­do uma se­ma­na com itens a pre­ços mais bai­xos, com pro­du­tos di­fe­ren­tes em pro­mo­ção a ca­da dia da se­ma­na. Na sex­ta, se­rão mais de 500 itens em ofer­ta. Já a Tim tem des­con­tos de até 60% em di­ver­sos smartpho­nes, com pre­ços a par­tir de R$ 199.

LO­JAS FÍ­SI­CAS Ape­sar de ter ini­ci­a­do no comércio on­li­ne, a Black Friday tem con­quis­ta­do ca­da vez mais o va­re­jo fí­si­co, que tam­bém apre­sen­ta ofer­tas com­pe­ti­ti­vas.

Pre­si­den­te do Sin­di­ca­to dos Lo­jis­tas da Bahia (Sin­di­lo­jas), Pau­lo Mot­ta acre­di­ta que a Black Friday aju­de o se­tor a su­pe­rar o pe­río­do de pou­cas ven­das ge­ra­do pe­la cri­se, já que a da­ta tam­bém é uma for­ma de as pes­so­as an­te­ci­pa­rem as com­pras do Natal.

Se­gun­do pes­qui­sa do Go­o­gle/Ibo­pe, 89% das pes­so­as têm a in­ten­ção de apro­vei­tar as ofer­tas da Black Friday, 64% pre­ten­dem com­prar ele­trô­ni­cos e ele­tro­do­més­ti­cos e 48% rou­pas, cal­ça­dos e aces­só­ri­os.

Além dis­so, 90% das pes­so­as pes­qui­sam em si­tes pa­ra sa­ber o quê e on­de com­prar. Já 47% dos en­tre­vis­ta­dos pen­sam em usar a da­ta pa­ra an­te­ci­par o pre­sen­te de Natal.

SHOP­PINGS

Em Sal­va­dor, al­guns shop­pings tam­bém es­tão pro­mo­ven­do a Black Friday, ca­san­do as ofer­tas da da­ta com su­as cam­pa­nhas de Natal. O Shop­ping Ca­ja­zei­ras é um de­les. Ama­nhã, as lo­jas es­ta­rão si­na­li­za­das com ade­si­vos e ba­lões, in­di­can­do as opor­tu­ni­da­des de com­pra. Den­tre os destaques, a Ca­cau Show, com cai­xas de tru­fas La Cre­me Kids com até 30% de des­con­to, a Dab's Pre­sen­tes, com al­mo­fa­das de pes­co­ço 50% mais ba­ra­tas, e a De­la­crois, com des­con­to de 31% nas ca­mi­sas.

No Shop­ping Bela Vis­ta, além dos pre­ços di­fe­ren­ci­a­dos nas lo­jas, o es­ta­ci­o­na­men­to te­rá ta­ri­fa úni­ca de R$ 4 ao dia, na sex­ta, no sá­ba­do (26) e no do­min­go (27), além do horário de fun­ci­o­na­men­to es­ten­di­do na sex­ta e no sá­ba­do.

NO­VOS SE­TO­RES

Nes­te ano, a Black Friday avan­çou so­bre no­vos se­to­res do va­re­jo, e ofer­tas po­dem ser apro­vei­ta­das, por exem­plo, na com­pra de pa­co­tes de vi­a­gens pa­ra in­ter­câm­bio - R$ 3.250 pa­ra qua­tro se­ma­nas de au­las de in­glês no Ca­na­dá pe­la IE In­ter­câm­bio.

Há, tam­bém, apartamentos que sa­em até 25% mais em con­ta, ofe­re­ci­dos, por exem­plo, pe­la Mou­ra Du­beux. “É a pri­mei­ra vez que par­ti­ci­pa­mos. Te­mos al­guns em­pre­en­di­men­tos já na pro­mo­ção e es­ta­mos aber­tos pa­ra ne­go­ci­ar”, diz Ma­nu­el­la Na­bu­co, ge­ren­te de mar­ke­ting da empresa. Pa­ra evi­tar pre­o­cu­pa­ções com as com­pras fei­tas na Black Friday, o ad­vo­ga­do especialista em Di­rei­to Ci­vil Gustavo Mi­la­ré ex­pli­ca que a pri­mei­ra pre­cau­ção to­ma­da pe­lo con­su­mi­dor de­ve ser pes­qui­sar os pre­ços do pro­du­to de­se­ja­do an­tes do pe­río­do da Black Friday, pa­ra ve­ri­fi­car se a ofer­ta re­al­men­te va­le a pe­na de ser apro­vei­ta­da.

“O ide­al é que, pe­lo me­nos du­as se­ma­nas an­tes da ação, a pes­soa fa­ça uma pes­qui­sa de pre­ço em al­gu­mas lo­jas pa­ra sa­ber se eles não es­tão fa­zen­do pro­pa­gan­da en­ga­no­sa”, re­co­men­da.

Se­gun­do o ad­vo­ga­do, é im­por­tan­te es­tar aten­to à pu­bli­ci­da­de en­ga­no­sa, uma vez que não é ra­ro, na Black Friday e em ou­tras da­tas pro­mo­ci­o­nais, ocor­rer a cha­ma­da “ma­qui­a­gem de pre­ços” por par­te de al­gu­mas lo­jas, ou se­ja, a ten­ta­ti­va de in­du­zir o con­su­mi­dor a acre­di­tar que exis­te um des­con­to re­al, quan­do, na ver­da­de, era o mes­mo en­con­tra­do em pe­río­do an­te­ri­or.

“Tem mui­tas lo­jas que au­men­tam o pre­ço e de­pois abai­xam pa­ra aqui­lo que já era an­tes da Black Friday. Daí a im­por­tân­cia de es­tar sem­pre aler­ta”, con­clui o ad­vo­ga­do. A re­co­men­da­ção con­tra a pro­pa­gan­da en­ga­no­sa tam­bém va­le pa­ra qu­em vai com­prar em si­tes e lo­jas on­li­ne. Mas uma for­ma de se de­fen­der des­ta “Black Frau­de” é ob­ser­var se o si­te da lo­ja tem o se­lo Black Friday Le­gal, cri­a­do pe­los or­ga­ni­za­do­res da ação pa­ra cer­ti­fi­car que as pro­mo­ções são ver­da­dei­ras.

Além dis­so, é re­co­men­dá­vel que o con­su­mi­dor que op­tar pe­la com­pra on­li­ne uti­li­ze to­do o ar­se­nal dis­po­ní­vel pa­ra de­fen­der seus da­dos si­gi­lo­sos, prin­ci­pal­men­te pro­gra­mas an­ti­ví­rus em com­pu­ta­do­res, ce­lu­la­res e ta­blets. E ob­ser­var a se­gu­ran­ça dos si­tes das lo­jas, que de­vem exi­bir um ca­de­a­do fe­cha­do na bar­ra de en­de­re­ços e usar al­gu­ma fer­ra­men­ta de crip­to­gra­fia pa­ra di­fi­cul­tar o aces­so de hac­kers ao nú­me­ro dos car­tões dos cli­en­tes.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.