Fu­te­bol, pai­xão, ca­tim­ba e mar­ke­ting

Correio da Bahia - - Esporte - Her­bem Gra­ma­cho

En­ga­no achar que a de­ci­são pa­ra Bahia e Vi­tó­ria co­me­ça­rá no sá­ba­do e na se­gun­da-fei­ra, res­pec­ti­va­men­te, quan­do os ti­mes es­ti­ve­rem jo­gan­do con­tra Atlé­ti­co Goi­a­ni­en­se e Co­ri­ti­ba. Es­ta é a se­ma­na dos bas­ti­do­res. O gra­ma­do é só o úl­ti­mo mo­men­to. Fo­ra de cam­po, a de­ci­são já co­me­çou.

Qu­em não co­nhe­ce a la­dai­nha da trans­fe­rên­cia na­ci­o­nal ou in­ter­na­ci­o­nal de Vic­tor Ra­mos? Qu­e­re­la an­ti­ga, ale­ga­da pe­lo Bahia des­de abril, ago­ra res­sur­ge no no­ti­ciá­rio gaú­cho co­mo trun­fo do In­ter­na­ci­o­nal na bri­ga con­tra o Vi­tó­ria e o re­bai­xa­men­to.

Da for­ma co­mo ocor­reu, não sei se a trans­fe­rên­cia de Vic­tor Ra­mos do Mon­ter­rey pa­ra o Vi­tó­ria é de fa­to na­ci­o­nal, co­mo en­ten­dem o ru­bro-ne­gro e a CBF, ou in­ter­na­ci­o­nal, co­mo por ló­gi­ca pa­re­ce ser qual­quer trans­fe­rên­cia que te­nha o Mé­xi­co co­mo ori­gem e o Bra­sil co­mo des­ti­no. Fal­ta ju­ris­pru­dên­cia e o te­ma é com­ple­xo até pa­ra ju­ris­tas, quan­to mais pa­ra um lei­go. Dá um bom de­ba­te, co­mo hou­ve na épo­ca.

Não ago­ra, se­te me­ses de­pois. A du­as ro­da­das do fim do Bra­si­lei­rão, o que mo­ve o In­ter­na­ci­o­nal é tão so­men­te o de­ses­pe­ro de um clu­be gran­de na imi­nên­cia de se ver na Sé­rie B pe­la pri­mei­ra vez em sua história re­che­a­da de tí­tu­los. O mes­mo de­ses­pe­ro que fez o time gaú­cho tro­car o trei­na­dor na ro­da­da pas­sa­da, quan­do de­mi­tiu Cel­so Roth e anun­ci­ou, 24 ho­ras de­pois, Lis­ca Doi­do. O time do Vi­tó­ria mos­trou-se fra­co ao lon­go da tem­po­ra­da, mas tem Ma­ri­nho, um dos me­lho­res jo­ga­do­res do cam­pe­o­na­to. O In­ter nem is­so tem. De­mo­ra­ram pa­ra acre­di­tar, mas, pe­lo time que tem, o In­ter­na­ci­o­nal me­re­ce jo­gar a Sé­rie B em 2017. Da Sé­rie A pa­ra a B, on­de o jo­go dos bas­ti­do­res es­tá ain­da mais ani­ma­do. Co­me­çou ain­da no fi­nal de se­ma­na, com o di­re­tor do Atlé­ti­co Goi­a­ni­en­se, Ad­son Sil­va, de­cla­ran­do aos qua­tro can­tos que tor­ce pa­ra o Náu­ti­co subir e que gos­ta­ria “que os dois grandes fi­cas­sem de fo­ra”. Os dois grandes, no ca­so, são Vasco e Bahia, pró­xi­mo ad­ver­sá­rio

É a se­ma­na dos bas­ti­do­res.

O gra­ma­do é só o úl­ti­mo mo­men­to. Fo­ra de cam­po, a

de­ci­são já co­me­çou pa­ra Bahia e Vi­tó­ria. Não foi à toa

que a di­re­to­ria do Náu­ti­co vi­si­tou a CBF pa­ra ‘tra­tar do sor­teio da ar­bi­tra­gem’ na úl­ti­ma ro­da­da da Sé­rie B

do cam­peão Atlé­ti­co.

Não há pro­ble­ma al­gum em que­rer vencer o jo­go, pe­lo con­trá­rio. Eti­ca­men­te, é is­so que se es­pe­ra de to­do ad­ver­sá­rio. Mas no uni­ver­so das ma­las bran­cas que, se­gun­do o téc­ni­co do Náu­ti­co, Gi­va­nil­do de Oli­vei­ra, vão e vêm “de to­dos os la­dos” nes­ta re­ta fi­nal de Sé­rie B, o gos­to do di­re­tor do time goi­a­no dá o que fa­lar. Ain­da mais que o vo­lan­te Pedro Bam­bu, do Atlé­ti­co, já es­tá acer­ta­do com o Vasco pa­ra o ano que vem.

O Náu­ti­co api­men­tou o con­tex­to. Pre­ju­di­ca­do pe­la ar­bi­tra­gem na der­ro­ta pa­ra o Avaí, há du­as se­ma­nas - e be­ne­fi­ci­a­do na ro­da­da se­guin­te, quan­do go­le­ou o Tu­pi -, o di­re­tor do clu­be per­nam­bu­ca­no foi vi­si­tar o pre­si­den­te da CBF, Marco Po­lo del Ne­ro, na ter­ça-fei­ra, com a fi­na­li­da­de de “tra­tar do sor­teio da ar­bi­tra­gem pa­ra os jo­gos de sá­ba­do”, co­mo ad­mi­tiu o di­re­tor Sér­gio Lo­pes ao Su­pe­res­por­tes, su­ple­men­to es­por­ti­vo do jor­nal Diá­rio de Per­nam­bu­co.

Se o fu­te­bol tem mui­to de pai­xão e ca­tim­ba, o fi­na­do Osó­rio Vi­las Bo­as se re­vi­ra­ria no tú­mu­lo ao sa­ber que, ho­je em dia, os bas­ti­do­res são di­vul­ga­dos es­pon­ta­ne­a­men­te com fo­to nas re­des so­ci­ais. Foi o que o Náu­ti­co fez: pu­bli­cou no Twit­ter ofi­ci­al do clu­be a ima­gem do di­re­tor Sér­gio Lo­pes com o pre­si­den­te da Fe­de­ra­ção Per­nam­bu­ca­na de Fu­te­bol, Evan­dro Car­va­lho, e Del Ne­ro se­gu­ran­do a ca­mi­sa do Náu­ti­co que re­ce­beu de mi­mo. Que­ren­do pro­va­vel­men­te dar uma sa­tis­fa­ção pa­ra a tor­ci­da de que es­tão de­fen­den­do os in­te­res­ses do clu­be, os di­ri­gen­tes do Náu­ti­co re­ve­la­ram um si­nal dos tem­pos: até a ca­tim­ba vi­rou mar­ke­ting.

her­bem.gra­ma­cho@re­de­bahia.com.br

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.