24h Ex-mi­nis­tro diz que Te­mer o pres­si­o­nou

Correio da Bahia - - Brasil -

OBRA NA BAHIA O ex-mi­nis­tro da Cul­tu­ra Mar­ce­lo Ca­le­ro dis­se, em de­poi­men­to à Polícia Fe­de­ral, que o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer o “en­qua­drou” pa­ra ten­tar bus­car uma saí­da pa­ra o im­pas­se na li­be­ra­ção de um em­pre­en­di­men­to imo­bi­liá­rio em Sal­va­dor, on­de o mi­nis­tro da Se­cre­ta­ria de Go­ver­no, Ged­del Vi­ei­ra Li­ma, com­prou um apar­ta­men­to. Na se­ma­na pas­sa­da, ao dei­xar o car­go, Ca­le­ro acu­sou Ged­del de “pres­si­o­ná-lo” pa­ra que o Ins­ti­tu­to do Pa­trimô­nio His­tó­ri­co e Ar­tís­ti­co Na­ci­o­nal (Iphan), li­ga­do à Cul­tu­ra, li­be­ras­se a cons­tru­ção.

Aos po­li­ci­ais, Ca­le­ro dis­se que o pre­si­den­te Te­mer o pres­si­o­nou pa­ra que cons­truís­se uma saí­da no epi­só­dio do pro­ces­so da obra em­bar­ga­da en­ca­mi­nhan­do o ca­so à Ad­vo­ca­cia-Ge­ral da União (AGU). Se­gun­do Ca­le­ro, Te­mer dis­se a ele que a de­ci­são do Iphan, bar­ran­do a cons­tru­ção do pré­dio, ha­via cri­a­do “di­fi­cul­da­des ope­ra­ci­o­nais” em seu ga­bi­ne­te, já que Ged­del es­ta­va “bas­tan­te ir­ri­ta­do”.

Ca­le­ro afir­mou à PF que a con­ver­sa com Te­mer ocor­reu no Pa­lá­cio do Pla­nal­to no dia 17, vés­pe­ra de seu pe­di­do de de­mis­são. Ain­da se­gun­do o ex-mi­nis­tro, o pre­si­den­te lhe dis­se que a che­fe da AGU, Gra­ce Men­don­ça, te­ria uma “so­lu­ção” pa­ra o ca­so. No fim da con­ver­sa, Te­mer dis­se que a po­lí­ti­ca ti­nha des­sas coi­sas, es­se tipo de pres­são. O ex-mi­nis­tro con­tou ter fi­ca­do sur­pre­so por­que, um dia an­tes, Te­mer dis­se a ele pa­ra fi­car tran­qui­lo. No ou­tro dia, po­rém, o mi­nis­tro da Ca­sa Civil, Eli­seu Pa­di­lha, te­le­fo­nou pa­ra Ca­le­ro, de acor­do com o de­poi­men­to. Em no­ta pu­bli­ca­da on­tem, Pa­di­lha, ad­mi­tiu ter pro­cu­ra­do o ex-mi­nis­tro . Se­gun­do o mi­nis­tro da Ca­sa Civil, ele su­ge­riu a Ca­le­ro que, di­an­te da con­tro­vér­sia, bus­cas­se uma so­lu­ção ao im­pas­se jun­to a Ad­vo­ca­cia Ge­ral da União (AGU). “Fui in­for­ma­do do li­cen­ci­a­men­to de um edi­fí­cio pe­lo Iphan, em dis­cus­são no âm­bi­to do Po­der Ju­di­ciá­rio, en­tão com vá­ri­as de­ci­sões de­ne­gan­do o em­bar­go de tal obra, e de que tam­bém exis­ti­am dis­cor­dân­ci­as en­tre dois ór­gãos da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca so­bre o mes­mo te­ma, ra­zões pe­las quais re­sol­vi fa­lar com o ex-mi­nis­tro”, dis­se Pa­di­lha em no­ta.

Uma reu­nião de emer­gên­cia foi con­vo­ca­da on­tem à noi­te, co­man­da­da por Te­mer, pa­ra ten­tar en­con­trar for­mas de re­a­gir às acu­sa­ções de Ca­le­ro. As acu­sa­ções trou­xe­ram uma no­va pre­o­cu­pa­ção ao Pla­nal­to, prin­ci­pal­men­te por­que te­ri­am che­ga­do in­for­ma­ções ao go­ver­no de que Ca­le­ro te­ria gra­va­do a se­gun­da au­di­ên­cia que te­ve com Te­mer. Por meio do por­ta-voz Ale­xan­dre Pa­ro­la, o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer dis­se que bus­cou “ar­bi­trar con­fli­to” en­tre o ex-mi­nis­tro da Cul­tu­ra Mar­ce­lo Ca­le­ro e o mi­nis­tro da Se­cre­ta­ria de Go­ver­no, Ged­del Vi­ei­ra Li­ma, e ne­gou que te­ria “en­qua­dra­do” Ca­le­ro por uma saí­da do ca­so. “O pre­si­den­te tra­ta to­dos seus mi­nis­tros co­mo iguais. E ja­mais in­du­ziu algum de­les a to­mar de­ci­são que fe­ris­se nor­mas in­ter­nas ou su­as con­vic­ções. As­sim pro­ce­deu em re­la­ção ao ex-mi­nis­tro da Cul­tu­ra, que cor­re­ta­men­te re­la­tou es­tes fa­tos em en­tre­vis­tas con­ce­di­das”, dis­se.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.