Sai­ba co­mo não cair em frau­des

Correio da Bahia - - Mais -

O Bra­sil é o se­gun­do país do mun­do no ran­king de frau­des a car­tões de cré­di­to e nes­te fi­nal de ano, elas se mul­ti­pli­cam por cau­sa do Na­tal e prin­ci­pal­men­te pe­la Black Fri­day, que acon­te­ce ho­je. Is­so é o que re­for­ça Ed­mo Lo­pes, di­re­tor de Tec­no­lo­gia da In­for­ma­ção da Va­leCard. “A re­gra prin­ci­pal é pes­qui­sar e não com­prar por im­pul­so”, afir­ma ele.

Por es­te ser um mo­men­to que re­quer mui­ta aten­ção pa­ra não cair em frau­des e ar­ma­di­lhas de li­qui­da­ção, o es­pe­ci­a­lis­ta diz que é im­por­tan­te es­tar aler­ta pa­ra evi­tar pos­sí­veis do­res de ca­be­ça.

“A pri­mei­ra ques­tão que a gen­te tem que ter cui­da­do du­ran­te a Black Fri­day é ve­ri­fi­car a re­pu­ta­ção do si­te ou da lo­ja que ofe­re­ce o pro­du­to”, diz o es­pe­ci­a­lis­ta.

Ele ex­pli­ca que exis­tem di­ver­sos me­ca­nis­mos dis­po­ní­veis que po­dem ser uti­li­za­dos pa­ra che­car a pro­ce­dên­cia dos es­ta­be­le­ci­men­tos, a exem­plo do si­te Re­cla­me Aqui.

Al­guns si­tes tam­bém pos­su­em se­los de con­fi­a­bi­li­da­de, co­mo se­lo Black Fri­day Le­gal. Pro­gra­ma da Câ­ma­ra Bra­si­lei­ra de Co­mér­cio Ele­trô­ni­co (ca­ma­ra-e.net), ele, que é atu­a­li­za­do anu­al­men­te, tem co­mo ob­je­ti­vo cri­ar um am­bi­en­te de con­fi­an­ça e pro­mo­ver as bo­as prá­ti­cas no e-com­mer­ce du­ran­te a da­ta e con­ta com cen­te­nas de lo­jas par­ti­ci­pan­tes. As lo­jas ca­das­tra­das no pro­gra­ma Black Fri­day Le­gal 2016 já pas­sa­ram por ve­ri­fi­ca­ções pré­vi­as.

Ou­tra di­ca de Le­mos é re­a­li­zar uma pes­qui­sa so­bre a lo­ca­li­da­de da lo­ja. “Exis­tem ma­pas em que vo­cê con­se­gue vi­su­a­li­zar as ru­as. Eu in­di­co que a pes­soa fa­ça uma bus­ca so­bre o en­de­re­ço for­ne­ci­do, ve­ja a fa­cha­da e che­que se ela re­al­men­te exis­te e con­diz com as ven­das que eles pro­põem”, con­ta.

Aos que es­tão à pro­cu­ra de pre­ços mui­to ba­ra­tos, é acon­se­lhá­vel ter cui­da­do com pro­mo­ções que es­tão mui­to abai­xo do va­lor de mer­ca­do.

“Quan­do o pre­ço es­tá além da ima­gi­na­ção, tipo de R$ 50 por R$ 5, o com­pra­dor tem que fi­car com um pé atrás. Es­te tipo de pro­mo­ção ge­ral­men­te é uma gran­de ar­ma­di­lha”, ad­ver­te.

O con­su­mi­dor tam­bém de­ve fi­car aten­to ao mo­men­to em que é re­a­li­za­do o pa­ga­men­to. “Ge­ral­men­te os si­tes con­fiá­veis ofe­re­cem algum se­lo de pro­te­ção quan­do vo­cê in­for­ma os da­dos do seu car­tão. Tam­bém apa­re­ce o íco­ne de um ca­de­a­do na te­la, que sig­ni­fi­ca que a na­ve­ga­ção é se­gu­ra. De qual­quer for­ma nun­ca, em hi­pó­te­se al­gu­ma, for­ne­ça a sua se­nha de aces­so”, fa­la o es­pe­ci­a­lis­ta.

Ain­da pa­ra ter cer­te­za de que a lo­ja é con­fiá­vel, dê uma olha­da no si­te da em­pre­sa e ve­ja se exis­tem er­ros de por­tu­guês nas des­cri­ções, o que nor­mal­men­te não acon­te­ce em em­pre­sas sé­ri­as. Ou­tro ponto é o en­de­re­ço da pá­gi­na. Se o no­me es­ti­ver es­cri­to de for­ma di­fe­ren­te ou com a gra­fia di­fe­ren­te da ori­gi­nal, tal­vez se­ja a hora de li­gar o si­nal ver­me­lho. “Se vo­cê não co­nhe­ce a lo­ja on­de vai com­prar, to­mar cui­da­dos é fun­da­men­tal”, con­clui Lo­pes. Já co­tei www.ja­co­tei.com.br - é uma pá­gi­na de com­pa­ra­ção de pre­ço. O si­te de­sen­vol­veu um grá­fi­co com a va­ri­a­ção de pre­ços nos úl­ti­mos me­ses e que si­na­li­za­rá as ofer­tas que têm des­con­tos re­ais nes­ta Black Fri­day Bus­ca­pé www.bus­ca­pe.com.br - faz com­pa­ra­ção de pre­ços. Pa­ra a Black Fri­day, o si­te con­ta com o His­tó­ri­co de Pre­ços, que mo­ni­to­ra a os­ci­la­ção dos pre­ços de pro­du­tos; o Te Pro­te­ge, que re­em­bol­sa o con­su­mi­dor em compras de até R$ 5 mil ca­so a lo­ja não en­tre­gue o pro­du­to; e o Aler­ta de Pre­ços, que avi­sa quan­do o pro­du­to atin­gir o me­lhor pre­ço Bai­xou Ago­ra www.bai­xou.com.br - é um plu­gin pa­ra Ch­ro­me que per­mi­te o mo­ni­to­ra­men­to das mu­dan­ças de pre­ço de um pro­du­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.