Vi­a­gem pa­ra a Sé­rie A

Correio da Bahia - - Esporte - Ivan Di­as Mar­ques ivan.mar­ques@re­de­bahia.com.br

Não era um mar de gen­te, mas a for­ça das vo­zes dos cer­ca de 100 tri­co­lo­res que fo­ram on­tem ao Ae­ro­por­to In­ter­na­ci­o­nal De­pu­ta­do Luís Edu­ar­do Ma­ga­lhães acom­pa­nhar o em­bar­que do gru­po do Bahia pa­ra Goi­â­nia, on­de en­fren­ta o Atlé­ti­co-GO, ama­nhã, às 16h30, pe­la úl­ti­ma ro­da­da da Sé­rie B, pa­rou o lo­cal.

Quem não se jun­tou aos cân­ti­cos dos tri­co­lo­res - tu­ris­tas, fun­ci­o­ná­ri­os de lo­jas - pa­rou pa­ra ti­rar fo­to, fil­mar ou so­men­te ver a fes­ta dos tor­ce­do­res. E que fes­ta!

Ani­ma­dos, os tor­ce­do­res en­to­a­ram o cân­ti­co ‘Xa­laiá­laiá’, que em­ba­lou a cam­pa­nha do ti­me du­ran­te a Sé­rie B 2010 e vol­tou com for­ça nes­te ano, o hi­no do clu­be, en­tre ou­tras mú­si­cas, trans­for­man­do o ae­ro­por­to num es­tá­dio.

“Vim dar es­sa for­ça pra o ti­me ga­ran­tir o aces­so em Goi­â­nia. Tem que man­ter a pe­ga­da, ir pra ci­ma, sem re­tran­ca”, dis­se o ope­ra­dor de trá­fe­go Le­o­ne Mo­rei­ra, 22 anos. A von­ta­de era es­tar na ca­pi­tal goi­a­na, mas não vai fal­tar for­ça pa­ra os atle­tas. “Tô aqui, mas o co­ra­ção es­tá jun­to com os jo­ga­do­res”, ga­ran­te.

Ao la­do do fi­lho Da­ni­el, 11 anos, o in­dus­triá­rio Re­níl­son Bit­ten­court, 49, os­ten­ta­va tam­bém a ca­mi­sa do clu­be. “Vim dar um apoio, acre­di­to que o Bahia vai su­bir”, de­cla­rou Re­níl­son, que irá ver a pri­mei­ra par­te do jo­go. “Vou as­sis­tir ao pri­mei­ro tem­po no rá­dio, por­que vou es­tar vol­tan­do do tra­ba­lho, o se­gun­do com a fa­mí­lia, pre­pa­ra­do pa­ra ga­nhar, no mí­ni­mo, um ponto”, diz ele, con­fi­an­te.

APOIO

Quan­do o ôni­bus tri­co­lor che­gou, os tor­ce­do­res cer­ca­ram o veí­cu­lo e fi­ze­ram um cor­re­dor pa­ra os jo­ga­do­res des­ce­rem. Não sem an­tes, fa­ze­rem mui­to ba­ru­lho, ba­ten­do, in­clu­si­ve, na car­ro­ce­ria do ôni­bus.

O cen­tro­a­van­te Her­na­ne, ar­ti­lhei­ro do Es­qua­drão no cam­pe­o­na­to, com 11 gols, foi um dos mais fes­te­ja­dos. Era sel­fie, au­tó­gra­fo e in­cen­ti­vos de to­do o la­do.

Além de­le, o vo­lan­te Ju­ni­nho, que se re­cu­pe­ra de en­tor­ses no jo­e­lho e tor­no­ze­lo e ain­da é dú­vi­da pa­ra o jo­go, tam­bém re­ce­beu o ca­ri­nho da ga­le­ra e te­ve o no­me gri­ta­do. Um dos se­gu­ran­ças do clu­be pre­ci­sou ti­rar Ju­ni­nho do bo­lo de tor­ce­do­res pa­ra que ele pu­des­se em­bar­car.

“É uma fes­ta ma­ra­vi­lho­sa! A tor­ci­da es­tá fa­zen­do sua par­te, ago­ra, bas­ta a gen­te le­var es­sa ener­gia po­si­ti­va pa­ra con­quis­tar o aces­so”, afir­mou o la­te­ral-es­quer­do Moi­sés. O go­lei­ro Je­an pas­sou mal, após en­trar na sa­la de em­bar­que e te­ve que dei­xar a de­le­ga­ção. O jo­ga­dor se­rá re­a­va­li­a­do ho­je e po­de­rá, ain­da, em­bar­car pa­ra Goi­â­nia.

Com 63 pon­tos, o tri­co­lor é o 3º co­lo­ca­do na Sé­rie B e pre­ci­sa de um em­pa­te pa­ra ga­ran­tir o aces­so sem de­pen­der de ou­tros re­sul­ta­dos. O Vas­co tem 62 pon­tos e o Náu­ti­co, 60. O já cam­peão Atlé­ti­co Goi­a­ni­en­se so­ma 73, pro­me­te ir com o ti­me ti­tu­lar e vai re­ce­ber o tro­féu após a par­ti­da.

Com mui­ta fes­ta da tor­ci­da tri­co­lor, Bahia em­bar­ca pa­ra Goi­â­nia

Tri­co­lo­res fo­ram dar úl­ti­ma for­ça ao ti­me

Tor­ce­dor tri­co­lor faz sel­fie com o ata­can­te Her­na­ne no ae­ro­por­to

Vo­lan­te Ju­ni­nho é cer­ca­do por tor­ce­do­res do Bahia an­tes do em­bar­que

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.