Alí­vio e de­sa­ba­fo após triun­fo do Leão

Correio da Bahia - - Esporte -

Se en­ga­na qu­em acha que jo­ga­dor de fu­te­bol não acom­pa­nha o que ro­la nas re­des so­ci­ais e na im­pren­sa na­ci­o­nal. Após o triun­fo di­an­te do Co­ri­ti­ba, por 1x0, o ata­can­te Zé Lo­ve re­sol­veu co­me­mo­rar o triun­fo com de­sa­ba­fo con­tra al­guns jor­na­lis­tas gaú­chos que, se­gun­do Zé, des­me­re­ce­ram o Vi­tó­ria.

“Acho que to­do mun­do co­lo­ca­va o Vi­tó­ria na Se­gun­da Di­vi­são. Is­so é pa­ra mos­trar a for­ça do Vi­tó­ria, a for­ça do Nor­des­te. Ou­vi­mos mui­to nes­sa se­ma­na que o Vi­tó­ria ti­nha um es­tá­dio que era um li­xo. Tem mui­to pes­so­al in­fe­liz que dis­se que o Vi­tó­ria ti­nha que jo­gar crí­que­te. Fica o re­ca­do pa­ra ele que na úl­ti­ma ro­da­da nós va­mos jo­gar crí­que­te”, dis­se o ata­can­te.

Pa­ra o téc­ni­co Ar­gel Fucks, o Leão mos­trou sua for­ça na hora cer­ta. “A gen­te pe­gou o Vitoria nu­ma si­tu­a­ção di­fí­cil. Che­guei com o Vi­tó­ria em 18º, atrás do In­ter e Fi­guei­ren­se. Ago­ra, nes­ta re­ta fi­nal, de­mos um pas­so gi­gan­tes­co. Ain­da fal­ta aque­le 1% pa­ra es­ca­par. O Vi­tó­ria pre­ci­sa­va fa­zer um jo­go per­fei­to aqui. Foi um jo­go bem dis­pu­ta­do, mas jo­ga­mos sem­pre pra fren­te, mes­mo com Co­ri­ti­ba em al­to ní­vel. Le­va­mos o triun­fo pe­lo co­le­ti­vo, mas tam­bém pe­lo di­fe­ren­ci­al que ti­ve­mos com Ma­ri­nho e Fer­nan­do Mi­guel lá atrás”, dis­se o téc­ni­co.

Pa­ra o du­e­lo di­an­te do Pal­mei­ras, pró­xi­mo do­min­go, o Leão tem al­gu­mas bai­xas. No ata­que, Ki­e­za não jo­ga mais es­te ano, sus­pen­so. De­pois do re­tor­no, Nor­ber­to atu­ou bem, mas vai fi­car de fora do úl­ti­mo jo­go do ano, já que re­ce­beu o ter­cei­ro car­tão amarelo. Vic­tor Ra­mos idem.

“A mes­ma pres­são que se tem pa­ra bus­car o tí­tu­lo é qua­se o mes­mo pa­ra es­ca­par do re­bai­xa­men­to. Es­ta­mos no ca­mi­nho cer­to. Pre­ci­sa­mos fa­zer nosso de­ver, o me­lhor re­sul­ta­do é sem­pre o nosso. Va­mos nos pre­pa­rar pa­ra es­te úl­ti­mo ato no Cam­pe­o­na­to Bra­si­lei­ro. Pos­so ga­ran­tir que es­ta­mos em al­to ní­vel e va­mos per­ma­ne­cer as­sim, pa­ra ter­mi­nar­mos o ano da me­lhor for­ma pos­sí­vel, di­an­te de nos­sa tor­ci­da. Não se­rá um jo­go fá­cil con­tra o Pal­mei­ras, mas va­mos pra ci­ma”, ga­ran­tiu Ar­gel.

De­ses­pe­ro bate em Ar­gel Fucks du­ran­te jo­go em Cu­ri­ti­ba: o fi­nal do Vi­tó­ria na Série A 2016 ten­de a ser fe­liz

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.