Des­ma­ta­men­to na Amazô­nia au­men­ta 29% em um ano

Correio da Bahia - - Brasil Mundo -

IN­PE Es­ti­ma­ti­vas do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Pes­qui­sas Es­pa­ci­ais (In­pe) apon­tam que o des­ma­ta­men­to da Amazô­nia te­ve cres­ci­men­to de 29% em 2016. No pe­río­do de agos­to de 2015 a ju­lho des­te ano, o ins­ti­tu­to re­gis­trou uma ta­xa de 7.989 quilô­me­tros qua­dra­dos (km2) de re­mo­ção to­tal da co­ber­tu­ra da flo­res­ta por cor­te ra­so. O país não atin­gia a mar­ca de 7 mil quilô­me­tros qua­dra­dos des­ma­ta­dos des­de 2010. O es­ta­do do Pa­rá te­ve 3.025 km2 de sua área de­vas­ta­da, o que re­pre­sen­ta a mai­or ta­xa de des­ma­ta­men­to na Amazô­nia Le­gal. O Ama­zo­nas, con­tu­do, é o es­ta­do que te­ve o mai­or au­men­to, com uma de­vas­ta­ção 54% su­pe­ri­or à re­gis­tra­da en­tre 2014 e 2015. Os úni­cos es­ta­dos que apre­sen­ta­ram que­da nas ta­xas de des­ma­ta­men­tos fo­ram Acre e Ma­to Gros­so. No en­tan­to, Ma­to Gros­so é o se­gun­do es­ta­do com a mai­or área des­ma­ta­da. Os da­dos são re­gis­tra­dos por sa­té­li­te em áre­as que têm mais 6,25 hec­ta­res.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.