Pa­ra seg­men­to, con­ces­são é a saí­da

Correio da Bahia - - Mais -

A con­ces­são do ae­ro­por­to de Salvador é vis­ta pe­lo tra­de tu­rís­ti­co co­mo uma so­lu­ção pa­ra os di­ver­sos pro­ble­mas que o equi­pa­men­to pos­sui, mes­mo após o lon­go pe­río­do de re­for­ma. “Ele pre­ci­sa ser mo­der­ni­za­do por­que es­tá to­do es­tra­ga­do. Foi o ae­ro­por­to que me­nos re­ce­beu re­cur­sos do go­ver­no pa­ra re­qua­li­fi­ca­ção”, afir­ma o pre­si­den­te da Salvador Des­ti­na­ti­on, Paulo Gau­den­zi.

Se­gun­do ele, pro­ble­mas com ele­va­do­res, ar- con­di­ci­o­na­do e fal­ta de ma­nu­ten­ção nos ba­nhei­ros são si­tu­a­ções co­muns no ae­ro­por­to. “Na úl­ti­ma chu­va que te­ve em Salvador, ti­nha água pin­gan­do no ele­va­dor do es­ta­ci­o­na­men­to. O ba­nhei­ro mas­cu­li­no do de­sem­bar­que é uma ver­go­nha, com por­ta­pa­pel que­bra­do e mic­tó­ri­os en­tu­pi­dos”, cri­ti­ca.

Na ava­li­a­ção de Gau­den­zi, a in­fra­es­tru­tu­ra dei­xa a de­se­jar e a fal­ta de ma­nu­ten­ção im­pac­ta di­re­ta­men­te no tu­ris­mo por con­ta da fal­ta de con­for­to. “Não é à toa que o ae­ro­por­to de Salvador é con­si­de­ra­do um dos pi­o­res na ava­li­a­ção fei­ta pe­la Se­cre­ta­ria de Avi­a­ção Ci­vil”, com­ple­ta.

O pre­si­den­te da Fe­de­ra­ção Bai­a­na de Hos­pe­da­gem e Ali­men­ta­ção (Febha), Sil­vio Pes­soa, tam­bém acre­di­ta que o lei­lão do ae­ro­por­to é a so­lu­ção pa­ra a im­ple­men­ta­ção das me­lho­ri­as que se fa­zem ne­ces­sá­ri­as. “En­tre 2011 e 2012, a mo­vi­men­ta­ção do ae­ro­por­to do­brou sem que obras fos­sem re­a­li­za­das. É pre­ci­so am­pli­ar as áre­as de em­bar­que e de­sem­bar­que, tan­to na­ci­o­nal quan­to in­ter­na­ci­o­nal, as­sim co­mo dis­po­ni­bi­li­zar mais pon­tes de em­bar­que”.

Pa­ra ele, a es­tru­tu­ra atu­al do ae­ro­por­to não con­diz com o ta­ma­nho da ci­da­de. “Te­mos uma ca­pi­tal com 3 mi­lhões de pes­so­as e um ae­ro­por­to pa­ra aten­der a uma ci­da­de de 500 mil ha­bi­tan­tes. É um ab­sur­do. Cons­truir a se­gun­da pis­ta é de ex­tre­ma im­por­tân­cia”.

Pa­ra o se­cre­tá­rio mu­ni­ci­pal de Cul­tu­ra e Tu­ris­mo, Éri­co Men­don­ça, a con­ces­são do ae­ro­por­to de Salvador abre no­vas pos­si­bi­li­da­des pa­ra o tu­ris­mo. “Com um me­lhor equi­pa­men­to, po­de­mos atu­ar na cap­ta­ção de no­vos vo­os pa­ra re­ver­ter aque­les que Salvador per­deu. Es­sa me­lhor es­tru­tu­ra, ali­a­da com a re­du­ção de ICMS do com­bus­tí­vel, traz um ga­nho adi­ci­o­nal na ca­pa­ci­da­de de con­cor­rên­cia por des­ti­nos, so­bre­tu­do in­ter­na­ci­o­nais”, pon­tua.

Imi­gra­ção Não há es­tru­tu­ra e fun­ci­o­ná­ri­os pa­ra dar con­ta na che­ga­da de vo­os in­ter­na­ci­o­nais. Se­gun­do o seg­men­to, quan­do dois vo­os in­ter­na­ci­o­nais che­gam ao mes­mo tem­po, o tem­po de es­pe­ra é enor­me.

Ba­nhei­ros Cos­tu­mam es­tar su­jos e sem a ma­nu­ten­ção ade­qua­da. É pos­sí­vel en­con­trar pa­pe­lei­ras que­bra­das, mic­tó­ri­os en­tu­pi­dos e mal­chei­ro­sos.

Es­ca­das ro­lan­tes Não são de boa qua­li­da­de e cos­tu­mam fi­car sem fun­ci­o­nar com frequên­cia.

Ele­va­do­res Mui­tos apre­sen­tam pro­ble­mas no abrir e fe­char das por­tas. Re­cen­te­men­te, o ele­va­dor do es­ta­ci­o­na­men­to apre­sen­tou uma gran­de in­fil­tra­ção por con­ta das chu­vas em Salvador.

Ar-con­di­ci­o­na­do Não cli­ma­ti­za ade­qua­da­men­te o am­bi­en­te, cau­san­do des­con­for­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.