Gru­po anun­cia re­es­tru­tu­ra­ção

Correio da Bahia - - Mais -

Em co­mu­ni­ca­do di­vul­ga­do on­tem à im­pren­sa, a Ode­bre­cht anun­ci­ou o pro­ces­so de re­es­tru­tu­ra­ção da em­pre­sa, com fo­co na ven­da de ati­vos, ne­go­ci­a­ção de dí­vi­das e for­ta­le­ci­men­to da es­tru­tu­ra de ca­pi­tal de par­te de seus ne­gó­ci­os. O ob­je­ti­vo, se­gun­do o co­mu­ni­ca­do, é ga­ran­tir li­qui­dez fi­nan­cei­ra di­an­te da pro­lon­ga­da cri­se econô­mi­ca bra­si­lei­ra e da ins­ta­bi­li­da­de de al­guns se­to­res on­de atua, co­mo o su­cro­al­co­o­lei­ro e óleo e gás. Uma das ações do pla­no é se des­fa­zer, até me­a­dos de 2017, de ati­vos ava­li­a­dos em qua­se R$ 12 bi­lhões.

De acor­do com o gru­po, em ju­lho de 2016 foi con­cluí­da a ne­go­ci­a­ção pa­ra for­ta­le­ci­men­to da es­tru­tu­ra de ca­pi­tal da Ode­bre­cht Agroin­dus­tri­al, bra­ço su­cro­al­co­o­lei­ro do gru­po. “A dí­vi­da da em­pre­sa era uma das mai­o­res en­tre os ne­gó­ci­os da em­pre­sa, cau­sa­da pe­lo lon­go pe­río­do em que o pre­ço da ga­so­li­na es­te­ve re­pre­sa­do, re­sul­tan­do em da­nos com­pe­ti­ti­vos ao eta­nol”, diz o tex­to.

Ain­da se­gun­do o co­mu­ni­ca­do, “a re­es­tru­tu­ra­ção con­tem­plou a ca­pi­ta­li­za­ção da em­pre­sa, pe­la Ode­bre­cht, de cer­ca de R$ 6 bi­lhões: R$ 2 bi­lhões por meio da in­te­gra­li­za­ção dos ati­vos de ener­gia renovável e R$ 4 bi­lhões em apor­te fi­nan­cei­ro, sen­do que R$ 2,5 bi­lhões são des­ti­na­dos, ex­clu­si­va­men­te, à re­du­ção ime­di­a­ta do en­di­vi­da­men­to da Ode­bre­cht Agroin­dus­tri­al, ade­quan­do a ala­van­ca­gem à ge­ra­ção de cai­xa da pró­pria em­pre­sa”.

No pro­ces­so de ven­da de ati­vos, a em­pre­sa con­cluiu ne­go­ci­a­ções co­lo­ca­das em cur­so nos úl­ti­mos me­ses. O gru­po ha­via anun­ci­a­do, em ou­tu­bro de 2016, a ven­da de 70% de sua par­ti­ci­pa­ção na Ode­bre­cht Am­bi­en­tal, que atua no se­tor de sa­ne­a­men­to, pa­ra a Bro­ok­fi­eld Bra­zil Ca­pi­tal Part­ners LLC e a BR Am­bi­en­tal Fun­do de In­ves­ti­men­to em Par­ti­ci­pa­ções. Os 30% res­tan­tes per­ten­cem ao fun­do FI-FGTS. O valor da ven­da foi de US$ 878 mi­lhões.

“Uni­da­des co­mo a Ce­trel, Ecos­te­el Ges­tão de Águas e Ecos­te­el Ges­tão de Eflu­en­tes In­dus­tri­ais, to­das da área de tra­ta­men­to de águas in­dus­tri­ais, es­tão sen­do ne­go­ci­a­das com ou­tros in­te­res­sa­dos, de for­ma in­de­pen­den­te e vão ge­rar li­qui­dez adi­ci­o­nal. A Ode­bre­cht S.A. man­tém o de­sen­vol­vi­men­to das pros­pec­ções de pro­je­tos am­bi­en­tais na Amé­ri­ca La­ti­na (ex­ce­to o Bra­sil) e Áfri­ca”, diz o co­mu­ni­ca­do.

Em car­ta aber­ta, a Ode­bre­cht faz um pe­di­do de des­cul­pa ao país. “Não im­por­ta se ce­de­mos a pres­sões ex­ter­nas. Tam­pou­co se há ví­ci­os que pre­ci­sam ser com­ba­ti­dos ou cor­ri­gi­dos no re­la­ci­o­na­men­to en­tre em­pre­sas pri­va­das e o se­tor pú­bli­co”, diz um dos tre­chos da no­ta. A com­pa­nhia se com­pro­me­teu ain­da a ado­tar prin­cí­pi­os “éti­cos, ín­te­gros e trans­pa­ren­tes” no re­la­ci­o­na­men­to com agen­tes pú­bli­cos e pri­va­dos da­qui pa­ra fren­te, ao com­ba­ter e não to­le­rar “mais a cor­rup­ção por meio de ex­tor­são e su­bor­no”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.