Ati­vi­da­de econô­mi­ca cres­ce 0,41% em ju­lho, se­gun­do o BC

Correio da Bahia - - Economia -

PRÉ­VIA A ati­vi­da­de econô­mi­ca re­gis­trou o se­gun­do mês se­gui­do de cres­ci­men­to. O Ín­di­ce de Ati­vi­da­de Econô­mi­ca do Ban­co Cen­tral (IBC-Br) des­sa­zo­na­li­za­do (ajus­ta­do pa­ra o pe­río­do) cres­ceu 0,41%, em ju­lho, se­gun­do da­dos di­vul­ga­dos on­tem. Em ju­nho, o cres­ci­men­to fi­cou em 0,55%, de­pois da re­tra­ção de 0,28% em maio, de acor­do com os da­dos re­vi­sa­dos. Na com­pa­ra­ção com ju­lho de 2016, o cres­ci­men­to che­gou a 2,65% (sem ajus­te). Em 12 me­ses en­cer­ra­dos em ju­lho, o in­di­ca­dor tem re­tra­ção de 1,44%. Até ju­lho, hou­ve cres­ci­men­to de 0,14%. O IBC-Br é uma for­ma de ava­li­ar a evo­lu­ção da ati­vi­da­de econô­mi­ca bra­si­lei­ra e aju­da o BC a to­mar su­as de­ci­sões so­bre a ta­xa de ju­ros. O in­di­ca­dor foi cri­a­do pa­ra ten­tar an­te­ci­par a evo­lu­ção da ati­vi­da­de econô­mi­ca. Mas o in­di­ca­dor ofi­ci­al é o Pro­du­to In­ter­no Bru­to (PIB), cal­cu­la­do pe­lo IBGE. O mi­nis­tro da Fa­zen­da, Hen­ri­que Mei­rel­les, dis­se on­tem que ain­da tra­ba­lha com as mes­mas pre­vi­sões pa­ra cres­ci­men­to do PIB (de 0,5% pa­ra es­te ano e 2% pa­ra o pró­xi­mo), mas que os nú­me­ros po­dem ser re­vi­sa­dos pa­ra ci­ma, acom­pa­nhan­do o mo­vi­men­to do mer­ca­do. “Co­mo eu te­nho di­to, es­sas pro­je­ções atu­ais de cres­ci­men­to têm um viés de al­ta, a ten­dên­cia é de re­vi­são pa­ra ci­ma”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.