Ten­tan­do en­ten­der os pró­pri­os sen­ti­men­tos

Correio da Bahia - - Vida -

Pa­trick Schwar­ze­neg­ger se­guiu os pas­sos do pai, Ar­nold, tor­nou-se ator. De­pois de atu­ar em fil­mes co­mo Os Úl­ti­mos So­bre­vi­ven­tes (2017) e Mi­nha Qu­e­ri­da Pri­mei­ra-Da­ma (2016), ele es­tá no drama O Sol da Meia-Noi­te, em que in­ter­pre­ta Char­lie, um jo­vem ga­lã que ar­ra­sa o co­ra­ção das ga­ro­tas da escola.

Uma das que se apai­xo­nam por ele é Ka­tie (Bel­la Thor­ne), que so­fre de uma do­en­ça in­cu­rá­vel que lhe im­pe­de de sair de ca­sa du­ran­te o dia. Ka­tie é uma me­ni­na tí­mi­da, sen­sí­vel e quer mui­to can­tar. Os dois, co­mo pe­de um bom ro­man­ce hollywo­o­di­a­no, vão se apai­xo­nar e, jun­tos, te­rão que en­fren­tar os pro­ble­mas de saú­de de Ka­tie. “Fi­quei apai­xo­na­do pe­lo ro­tei­ro e pe­la his­tó­ria de amor, tam­bém pe­lo mo­do que meu per­so­na­gem per­ce­be quais são os pro­ble­mas em sua vi­da quan­do co­nhe­ce Ka­tie”.

A jul­gar pe­la re­a­ção da crí­ti­ca ame­ri­ca­na, O Sol da Meia-Noi­te não pas­sa de um dra­ma­lhão pa­ra ar­ran­car lá­gri­mas, co­mo afir­mou o a re­vis­ta Va­ri­ety: “O pro­ble­ma não é ape­nas que Sol da Meia-noi­te se­le­ci­o­na os ele­men­tos mais poé­ti­cos de uma do­en­ça re­al pa­ra ser­vir co­mo fer­ra­men­tas de ma­ni­pu­la­ção, mas ain­da ofe­re­ce um retrato de ro­man­ce ir­re­a­lis­ta no pro­ces­so”.DIVULGAÇÃO

Ma­teus So­la­no e Thai­la Aya­la vi­vem Vir­gí­lio e Cla­ra em Tal­vez uma His­tó­ria de Amor, de Ro­dri­go Ber­nar­do

Pa­trick Schwar­ze­neg­ger e Bel­la Thor­ne se apai­xo­nam em O Sol da Meia-Noi­te

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.