24h

Correio da Bahia - - Front Page - VI­NI­CIUS NAS­CI­MEN­TO, COM SU­PER­VI­SÃO DO EDI­TOR JOÃO GA­BRI­EL GALDEA.

O so­te­ro­po­li­ta­no que qui­ser ter a ex­pe­ri­ên­cia de des­cer uma ti­ro­le­sa em um pon­to tu­rís­ti­co da Bahia não pre­ci­sa mais se des­lo­car até Mor­ro de São Pau­lo ou Ita­ca­ré. Is­so por­que a ca­pi­tal agora te­rá o seu pró­prio equi­pa­men­to a par­tir do pró­xi­mo dia 21.

O no­vo atra­ti­vo tu­rís­ti­co es­tá em um dos lo­cais mais co­nhe­ci­dos da ci­da­de: o Cris­to da Bar­ra, on­de fi­ca­rá de for­ma per­ma­nen­te. A ti­ro­le­sa, que ater­ris­sa ao la­do do res­tau­ran­te Bar­ra­ven­to, fun­ci­o­na­rá das 9h às 19h e o pas­sa­por­te cus­ta­rá R$ 30 (in­tei­ra) e R$ 15 (meia), ini­ci­al­men­te, pa­ra es­tu­dan­tes.

A ti­ro­le­sa se­rá ge­ri­da pe­los mes­mos res­pon­sá­veis pe­lo equi­pa­men­to de Mor­ro de São Pau­lo, no Bai­xo Sul do estado. O di­re­tor-téc­ni­co do equi­pa­men­to, Ju­an Pa­blo Ca­a­maño, tem ex­pe­ri­ên­cia na área há mais de 10 anos. Se­gun­do ele, o pro­je­to no Cris­to da Bar­ra vem sen­do es­tu­da­do há 4 anos pa­ra pro­por­ci­o­nar aos cli­en­tes uma aven­tu­ra a 15 me­tros de al­tu­ra, des­li­zan­do em ca­bos de aço com 110 me­tros de per­cur­so. “Se­rá uma ex­pe­ri­ên­cia in­crí­vel, com um vi­su­al des­lum­bran­te de um dos pon­tos tu­rís­ti­cos mais vi­si­ta­dos da ci­da­de”, ga­ran­tiu Ca­a­maño.

Bai­a­no ra­di­ca­do em São Pau­lo, o jor­na­lis­ta Ale­xan­dre He­ça, 47 anos, co­me­mo­ra a no­vi­da­de. “Tu­do que dá opor­tu­ni­da­de pa­ra as pes­so­as brin­ca­rem e apro­vei­ta­rem a ci­da­de é in­te­res­san­te e mais do que bem-vin­do”, dis­se.

O pre­si­den­te em exer­cí­cio da As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Agên­ci­as de Vi­a­gens da Bahia (Abav-BA), Jor­ge Pin­to, tam­bém ce­le­brou a no­vi­da­de. “Es­se ti­po de in­ter­ven­ção faz a ci­da­de se va­lo­ri­zar tan­to pa­ra o tu­ris­ta qu­an­to pa­ra os próprios so­te­ro­po­li­ta­nos e bai­a­nos. Dá um au­men­to na au­to­es­ti­ma do lu­gar e is­so tam­bém é im­por­tan­te na ho­ra de ven­der a ci­da­de pa­ra quem es­tá de fo­ra”, ob­ser­vou ele.

Além dis­so, Jor­ge lem­brou que, nos úl­ti­mos anos, Sal­va­dor se con­so­li­dou co­mo um ro­tei­ro tu­rís­ti­co desejado. Nos úl­ti­mos três anos, a ci­da­de te­ve um cres­ci­men­to de ocupação que che­ga a 95% du­ran­te pe­río­dos de fe­ri­a­dão ou fes­ti­vi­da­des co­mo Ré­veil­lon e Car­na­val.

Pa­ra Ro­ber­to Du­ran, di­re­tor-pre­si­den­te da Sal­va­dor Des­ti­na­ti­on, não é só a ti­ro­le­sa que vai atrair tu­ris­tas e, sim, “ações con­jun­tas que va­lo­ri­zem a ci­da­de”. Ele acha a ideia opor­tu­na por­que a ti­ro­le­sa “não al­te­ra a be­le­za plástica do lo­cal” e, por­tan­to, ape­nas a en­gran­de­ce. “É um es­pa­ço de con­vi­vên­cia atra­ti­vo não ape­nas pa­ra os jo­vens, mas pa­ra pes­so­as de to­das as ida­des que po­dem não que­rer des­cer na ti­ro­le­sa, mas apro­vei­tam a pai­sa­gem e tu­do de bom que o lu­gar tem pa­ra ofe­re­cer”, con­tou.

A no­vi­da­de tam­bém atin­ge a eco­no­mia no lo­cal. Tra­ba­lhan­do na área do Cris­to da Bar­ra há mais de 25 anos, a ven­de­do­ra Ma­ria da Con­cei­ção, 48, dis­se que já vi­veu to­das as fa­ses pos­sí­veis do lo­cal e, agora, es­pe­ra que a mo­vi­men­ta­ção se­ja ain­da mai­or.

Ela fri­sou que a sen­sa­ção de se­gu­ran­ça au­men­ta quan­do há mais pes­so­as tran­si­tan­do e que, com a ti­ro­le­sa, “a ten­dên­cia é só pro­gre­dir”.

Fre­quen­ta­dor as­sí­duo do lo­cal, o as­sis­ten­te-ad­mi­nis­tra­ti­vo Vail­ton Santos, 35, pro­me­te ar­ran­jar mais bre­chas no tra­ba­lho a par­tir de agora. “É um dos (lo­cais) mais bo­ni­tos da ci­da­de. Sal­va­dor só tem a ga­nhar de­pois que a ti­ro­le­sa es­ti­ver pron­ta”, co­men­tou ele, ao elo­gi­ar a vis­ta pri­vi­le­gi­a­da do Fa­rol da Bar­ra que o equi­pa­men­to da­rá ao usuá­rio.

O equi­pa­men­to vai fi­car de for­ma per­ma­nen­te no Cris­to da Bar­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.