Aincô­mo­da­se­me­lhan­ça­en­treTe­me­reDil­ma

Folha de Londrina Domingo - - OPINIÃO - Opi­ni­ao@fo­lha­de­lon­dri­na.com.br CHAR­GE

Pa­ra o des­con­for­to do pre­si­den­te in­te­ri­no Mi­chel Te­mer (PMDB), há mui­tas se­me­lhan­ças en­tre o seu go­ver­no e o da pre­si­den­te afas­ta­da, Dil­ma Rous­seff (PT). Fo­ram ape­nas 10 di­as de ad­mi­nis­tra­ção, mas pa­ra qu­em tem seis me­ses pa­ra mos­trar ser­vi­ço, o tem­po é pre­ci­o­so. Por mais boa von­ta­de que a po­pu­la­ção de­mons­tre, é im­pos­sí­vel não fa­zer com­pa­ra­ções.

A mais for­te vem com a com­po­si­ção dos mi­nis­té­ri­os, com no­mes já bem co­nhe­ci­dos do go­ver­no Dil­ma, en­tre eles Eli­seu Pa­di­lha (Ca­sa Ci­vil), Romero Jucá (Pla­ne­ja­men­to) e Gil­ber­to Kas­sab (Ci­ên­cia, Tec­no­lo­gia, Ino­va­ções e Co­mu­ni­ca­ções). O mi­nis­tro da Fa­zen- da, Hen­ri­que Mei­rel­les, foi pre­si­den­te do Ban­co Cen­tral nos dois man­da­tos de Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va.

Ou­tra se­me­lhan­ça cons­tran­ge­do­ra é que a equi­pe de Te­mer tem no­mes in­ves­ti­ga­dos na Ope­ra­ção La­va Ja­to. Che­gan­do ao pon­to de, na úl­ti­ma sex­ta-fei­ra, o Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) au­to­ri­zar a que­bra dos si­gi­los ban­cá­rio e fis­cal de Romero Jucá.

Nos pri­mei­ros di­as após a pos­se de Te­mer, o pre­si­den­te da Or­dem dos Ad­vo­ga­dos do Bra­sil (OAB), Clau­dio La­ma­chia, de­fen­deu que po­lí­ti­cos sus­pei­tos de en­vol­vi­men­to com cor­rup­ção, no ca­so, des­vio de di­nhei­ro da Pe­tro­bras, não de­ve­ri­am ocu­par car­gos no pri­mei­ro es­ca­lão. Em uma de­mons­tra­ção de aber­tu­ra, as­sim co­mo os an­te­ces­so­res, Te­mer tam­bém bus­cou, lo­go no iní­cio, reu­nir-se com sin­di­ca­lis­tas.

O go­ver­no sa­be que vai pre­ci­sar di­a­lo­gar – e mui­to – com os tra­ba­lha­do­res pa­ra em­pla­car de vez a Re­for­ma da Pre­vi­dên­cia So­ci­al, um dos prin­ci­pais ob­je­ti­vos da no­va equi­pe. É um te­ma po­lê­mi­co, e que não po­de mais ser adi­a­do. O re­e­qui­lí­brio nas con­tas pú­bli­cas pre­ci­sa mui­to des­sas mu­dan­ças. O diá­lo­go tam­bém se­rá im­por­tan­te quan­do che­ga­rem ao Con­gres­so me­di­das bem sal­ga­das pa­ra mui­tos se­to­res da so­ci­e­da­de, co­mo a vol­ta da co­bran­ça da CPMF.

É um pe­río­do ain­da pe­que­no de ges­tão, mas já se per­ce­beu que, mes­mo com um no­vo pre­si­den­te, ha­ve­rá di­as mui­to di­fí­ceis pe­la fren­te. Fu­são de mi­nis­té­ri­os, cor­te de gas­tos e re­for­ma da Pre­vi­dên­cia são me­di­das an­ti­po­pu­la­res que pre­ci­sam ser to­ma­das pa­ra que o Bra­sil su­pe­re o ama­nhã de in­cer­te­zas.

Po­rém, exis­te uma re­for­ma igual­men­te im­por­tan­te e que an­da es­que­ci­da, mes­mo com to­das as de­nún­ci­as de cor­rup­ção no po­der pú­bli­co. Sem uma re­for­ma po­lí­ti­ca, quais são as chan­ces do País ser re­al­men­te pas­sa­do a lim­po? Es­ta­mos fa­lan­do de um sis­te­ma que man­tém o Con­gres­so Na­ci­o­nal dis­tan­te da re­a­li­da­de e dos an­sei­os do po­vo que o ele­geu.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.