Gra­va­ções­re­ve­lam­pa­vor ge­ral­co­maLa­vaJa­to

His­to­ri­ca­men­te di­vi­di­do, PMDB vê os prin­ci­pais lí­de­res en­fra­que­ci­dos com re­ve­la­ção de con­ver­sas com­pro­me­te­do­ras

Folha de Londrina Domingo - - POLÍTICA - Ed­son Fer­rei­ra Re­por­ta­gem Lo­cal

Sem fo­ro pri­vi­le­gi­a­do e com me­do de ser pre­so pe­la Ope­ra­ção La­va Ja­to, o ex-se­na­dor e ex-pre­si­den­te da Trans­pe­tro, sub­si­diá­ria da Pe­tro­bras, Sér­gio Ma­cha­do (PMDB-CE, usou o seu trân­si­to fá­cil pe­los ga­bi­ne­tes de Bra­sí­lia (DF) – e o seu gra­va­dor – para pre­pa­rar e re­gis­trar con­ver­sas com ca­ci­ques co­mo o ex-pre­si­den­te Jo­sé Sar­ney (PMDB-MA), o pre­si­den­te do Se­na­do, Re­nan Ca­lhei­ros (PMDB-AL), e o ex­mi­nis­tro Ro­me­ro Ju­cá (PMDB-RR), para ter al­go a ofe­re­cer ao Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral (MPF). En­vol­vi­do na cor­rup­ção, Ma­cha­do te­ve a de­la­ção ho­mo­lo­ga­da pe­lo Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF). An­tes dis­so, Ju­cá já ha­via caí­do, dei­xan­do o Mi­nis­té­rio do Pla­ne­ja­men­to.

Nos diá­lo­gos são re­ve­la­das as ten­ta­ti­vas de ar­ti­cu­la­ção para fre­ar a in­ves­ti­ga­ção. A La­va Ja­to aba­lou o nú­cleo du­ro do PT, até en­tão, no fo­co do no­ti­ciá­rio, es­pe­ci­al­men­te por ter ocu­pa­do o co­man­do do go­ver­no fe­de­ral. Ago­ra, po­rém, a po­si­ção de des­ta­que é do PMDB, que se es­pe- ci­a­li­zou em fa­zer pres­são so­bre go­ver­nos para ocu­par es­pa­ços im­por­tan­tes no po­der, ali­an­do-se a Fer­nan­do Col­lor (PRB), pas­san­do por Fer­nan­do Hen­ri­que Car­do­so (PSDB), Lu­la (PT) e Dil­ma Rous­seff (PT).

Na con­di­ção de vi­dra­ça, des­de que as­su­miu in­te­ri­na­men­te a Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca após o afas­ta­men­to de Dil­ma Rous­seff (PT), o PMDB le­va as pri­mei­ras pe­dra­das. São gran­des e vêm de den­tro, do cor­re­li­gi­o­ná­rio Ma­cha­do. De acor­do com o ana­lis­ta po­lí­ti­co, El­ve Cen­ci, “is­so (con­fli­to in­ter­no) é o PMDB”. Cen­ci acre­di­ta que as con­ver­sas re­gis­tra­das e trans­cri­tas vão en­fra­que­cer o par­ti­do e os lí­de­res, mo­men­ta­ne­a­men­te. “Vão re­cu­ar um pou­co, mas não de­vem per­der o po­der que têm na po­lí­ti­ca na­ci­o­nal. Re­nan e Ju­cá são exem­plos des­sa reviravolta, pois já es­ti­ve­ram en­vol­vi­do em si­tu­a­ções gra­ves an­tes.”

De acor­do com o ana­lis­ta, o fo­ro pri­vi­le­gi­a­do trans­fe­re ao STF a res­pon­sa­bi­li­da­de de dar uma res­pos­ta à so­ci­e­da­de so­bre a par­ti­ci­pa­ção dos po­lí­ti­cos na cor­rup­ção. “Ca­be ao Su­pre­mo fa­zer a sua par­te, com ra­pi­dez, co­mo acon­te­ceu no es­cân­da­lo do men­sa­lão com o PT. Mas até ago­ra, o que vi­mos foi o mi­nis­tro Gil­mar (Men­des) de­vol­ver pe­di­dos de in­ves­ti­ga­ção con­tra o Aé­cio Ne­ves (PSDB)”, com­pa­rou Cen­ci. Por du­as ve­zes, Men­des pe­diu com­ple­men­ta­ção de in­for­ma­ções à Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca (PGR) no pe­di­do de aber­tu­ra de inqué­ri­to con­tra o tu­ca­no, ci­ta­do na de­la­ção do ex-se­na­dor Del­cí­dio do Ama­ral. “Con­tu­do, além do STF, de­pen­de tam­bém dos elei­to­res, afi­nal to­dos es­ses par­la­men­ta­res re­ce­be­ram vo­tos para che­gar ao car­go.”

‘FLA­GRAN­TE PREPARADO’

Ode­pu­ta­do­fe­de­ralOs­mar Ser­ra­glio (PMDB-PR), pre­si­den­te da Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça (CCJ) da Câ­ma­ra, re­co­nhe­ceu que a si­tu­a­ção do par­ti­do “in­co­mo­da bas­tan­te”. “Prin­ci­pal­men­te, nes­te mo­men­to em que o go­ver­no pre­ci­sa con­quis­tar a con­fi­an­ça da po­pu­la­ção”, afir­mou.

So­bre a es­tra­té­gia de Sér­gio Ma­cha­do, Ser­ra­glio dis­se que o co­le­ga de par­ti­do “fez o que a gen­te cha­ma em di­rei­to de fla­gran­te preparado, in­cen­ti­van­do a con­ver­sa com o in­ter­lo­cu­tor, tan­to que em al­guns diá­lo­gos, vo­cê po­de per­ce­ber que o Re- nan ape­nas re­pe­te as ex­pres­sões usa­das (por Ma­cha­do)”.

Ape­sar do te­or das con­ver­sas, que de­mons­tram a pre­o­cu­pa­ção com o avan­ço da Ope­ra­ção La­va Ja­to, o de­pu­ta­do pa­ra­na­en­se mi­ni­mi­zou. “Mas tam­bém, qu­al des­ses, Re­nan, Ju­cá e Sar­ney, que já não es­ta­va na ber­lin­da?” Para Ser­ra­glio, não há ar­ti­cu­la­ção con­tra a La­va Ja­to. “Nem acho que is­so se­ja pos­sí­vel, pois a ope­ra­ção já é um pa­trimô­nio.”

A re­por­ta­gem não con­se­guiu falar com os de­mais in­te­gran­tes do PMDB na ban­ca­da pa­ra­na­en­se no Con­gres­so.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.