Me­di­ção­deá­guain­di­vi­du­a­la­go­raé­lei

A obri­ga­to­ri­e­da­de só pas­sa a va­ler da­qui cin­co anos e não atinge con­do­mí­ni­os cons­truí­dos an­tes dis­so

Folha de Londrina Domingo - - IMOBILIARIA - Ju­li­a­na Gonçalves Es­pe­ci­al pa­ra a FO­LHA

Ago­ra é lei: to­dos os pré­di­os cons­truí­dos a par­tir de 2021 em to­do o Bra­sil te­rão de con­tar com um sis­te­ma de me­di­ção in­di­vi­du­al de água. Ou se­ja, o con­su­mo se­rá me­di­do por apar­ta­men­to. A obri­ga­ção, que já exis­te em al­gu­mas ci­da­des, foi de­ter­mi­na­da pe­la lei fe­de­ral 13.312, san­ci­o­na­da nes­te mês pe­lo pre­si­den­te in­te­ri­no Michel Te­mer. Ela al­te­ra a Lei 11.445, de 2007, que es­ta­be­le­ce as di­re­tri­zes nacionais pa­ra o saneamento bá­si­co. A obri­ga­to­ri­e­da­de, en­tre­tan­to, só pas­sa a va­ler da­qui cin­co anos e não atinge con­do­mí­ni­os cons­truí­dos an­tes dis­so.

A me­di­da, se­gun­do di­vul­gou o go­ver­no fe­de­ral, tem o ob­je­ti­vo de pro­mo­ver a sus­ten­ta­bi­li­da­de am­bi­en­tal e fa­zer jus­ti­ça àque­les que eco­no­mi­zam água. Se­gun­do estudos do Con­se­lho Bra­si- lei­ro de Cons­tru­ção Sus­ten­tá­vel (CBCS), a me­di­ção in­di­vi­du­a­li­za­da po­de der­ru­bar o con­su­mo de água de um pré­dio em até 40%. Em Lon­dri­na, on­de já hou­ve uma ten­ta­ti­va de apro­var uma lei se­me­lhan­te, as cons­tru­to­ras se an­te­ci­pa­ram pa­ra agre­gar va­lor aos em­pre­en­di­men­tos.

Atu­al­men­te, nos con­do­mí­ni­os mais an­ti­gos, a me­di­ção é fei­ta de forma co­le­ti­va e o va­lor to­tal é ra­te­a­do en­tre os condô­mi­nos. Com is­so, o que é co­bra­do nem sem­pre cor­res­pon­de ao que os mo­ra­do­res de ca­da apar­ta­men­to re­al­men­te con­su­mi­ram. “Sem o me­di­dor in­di­vi­du­al, cria-se uma cul­tu­ra de des­per­dí­cio. Um mo­ra­dor sol­tei­ro, que vi­ve so­zi­nho no apar­ta­men­to, sa­be que a fa­mí­lia vi­zi­nha, que tem vá­ri­as pes­so­as, gas­ta mais que ele, mas pa­ga o mes­mo va­lor. En­tão, ele vai to­mar um ba­nho mais de­mo­ra­do, vai se im­por­tar me­nos em eco­no­mi­zar água”, exem­pli­fi­ca o ge­ren­te re­gi­o­nal da Pla­en­ge, Ola­vo Ba­tis­ta.

Da mes­ma forma, aque­le que gas­ta mais e aca­ba ele­van­do a mé­dia do con­su­mo no pré­dio aca­ba ten­do uma con­ta de água mais “sal­ga­da” quan­do a me­di­ção é in­di­vi­du­al. “Por is­so, a ins­ta­la­ção de hi­drô­me­tros in­di­vi­du­ais tem a tendência de re­du­zir o con­su­mo ge­ral de água nos pré­di­os”, afir­ma Ba­tis­ta.

Mui­to an­tes da pro­po­si­ção des­sa lei, al­gu­mas cons­tru­to­ras já adap­ta­ram seus pro­je­tos pa­ra a me­di­ção in­di­vi­du­al da água, como uma forma de agre­gar va­lor aos em­pre­en­di­men­tos. “Nós já tra­ba­lha­mos des­sa forma há mais de uma dé­ca­da, por­que a pre­o­cu­pa­ção com os re­cur­sos na­tu­rais faz par­te da cul­tu­ra da em­pre­sa. So­man­do as re­gi­o­nais, já são 150 pré­di­os cons­truí­dos des­sa forma”, con­ta o ge­ren­te da Pla­en­ge.

Na Vec­tra, a in­di­vi­du­a­li­za­ção dos me­di­do­res tam- bém não é no­vi­da­de. Is­so por­que a re­cla­ma­ção dos mo­ra­do­res já era bas­tan­te an­ti­ga. “Quan­do a dis­tri­bui­ção era li­ne­ar, mui­ta gen­te re­cla­ma­va, por­que sem­pre tem al­guns mo­ra­do­res que con­so­mem mais água e ou­tros me­nos. A mu­dan­ça na dis­tri­bui­ção não traz gran- des cus­tos pa­ra a obra e re­sol­ve um pro­ble­ma”, ar­gu­men­tou o co­or­de­na­dor de pro­je­tos da Vec­tra, Márcio Gi­o­con­do.

Em Lon­dri­na, até mes­mo al­guns em­pre­en­di­men­tos mais po­pu­la­res já vêm sen­do cons­truí­dos com hi­drô­me­tros in­di­vi­du­ais. AY­ti­con, por exem­plo, que des­de a sua cri­a­ção tem ins­ta­la­do hi­drô­me­tros in­di­vi­du­ais nos em­pre­en­di­men­tos, tra­ba­lha da mes­ma forma nos em­pre­en­di­men­tos do pro­gra­ma Mi­nha Ca­sa Mi­nha Vi­da. Se­gun­do o ge­ren­te Le­o­nar­do Schi­belsky, a ro­ti­na dos con­do­mí­ni­os com hi­drô­me­tros in­di­vi­du­ais pou­co di­fe­re dos ou­tros. “A Sa­ne­par faz uma me­di­ção úni­ca em um hi­drô­me­tro da en­tra­da de água no pré­dio. O condomínio tem uma pla­ni­lha on­de é fei­ta a me­di­ção de ca­da apar­ta­men­to pe­lo ze­la­dor. O que sobra em re­la­ção à me­di­ção da Sa­ne­par, é con­su­mo da área co­mum do condomínio”. PRO­JE­TO PA­RA­DO

EM LON­DRI­NA Lon­dri­na po­de­ria não ter de es­pe­rar por es­se lon­go prazo se já ti­ves­se es­sa obri­ga­to­ri­e­da­de na le­gis­la­ção municipal, como ocor­re em Por­to Ale­gre e Cu­ri­ti­ba, por exem­plo. “Em 2015, um pro­je­to de lei foi pro­pos­to pe­lo ve­re­a­dor Rony Alves, mas em ou­tu­bro foi de­fe­ri­do um re­que­ri­men­to de in­ter­rup­ção de tra­mi­ta­ção por tem­po in­de­ter­mi­na­do. Está pa­ra­do des­de en­tão”, lem­bra o as­ses­sor ju­rí­di­co do Sin­di­ca­to da Ha­bi­ta­ção e Con­do­mí­ni­os (Se­co­vi) Re­gi­o­nal Nor­te do Pa­ra­ná, Danilo Ser­ra Gonçalves.

Ele ava­lia que, ten­do as cons­tru­to­ras já adap­ta­das à mu­dan­ça e uma ex­pec­ta­ti­va an­ti­ga da so­ci­e­da­de, Lon­dri­na po­de­ria ter se an­te­ci­pa­do. “A so­ci­e­da­de já vem pe­din­do por is­so há tan­to tem­po. Hi­drô­me­tro úni­co é in­jus­to, en­ca­re­ce o va­lor do condomínio e agri­de o meio am­bi­en­te.”

Me­di­ção in­di­vi­du­a­li­za­da po­de der­ru­bar o con­su­mo de água de um pré­dio em até 40%

Shut­ters­tock

Equi­pa­men­tos in­di­vi­du­ais já exis­tem em al­gu­mas ci­da­des, mas ago­ra fo­ram de­ter­mi­na­dos pe­la lei fe­de­ral 13.312, san­ci­o­na­da nes­te mês pe­lo pre­si­den­te in­te­ri­no Michel Te­mer

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.