SUS­PI­RO

Folha de Londrina Domingo - - POLÍTICA -

Na ava­li­a­ção de Fer­nan­do Mot­ta Cor­reia, pro­fes­sor do De­par­ta­men­to de Eco­no­mia daUFPR,oPa­ra­ná­con­ta­com um cer­to “sus­pi­ro fis­cal” em re­la­ção a es­ta­dos co­mo o Rio de Ja­nei­ro, Rio Gran­de do Sul e Mi­nas Ge­rais. “O fa­to de ser um es­ta­do re­la­ti­va­men­te ri­co, com uma ba­se de es­tru­tu­ra pro­du­ti­va re­la­ti­va­men­te di­ver­si­fi­ca­da, é um fa­tor po­si­ti­vo pa­ra o Pa­ra­ná ter uma boa ca­pa­ci­da­de de ar­re­ca­da­ção”, ex­pli­ca.

O eco­no­mis­ta diz que, no en­tan­to, to­dos os es­ta­dos es­ta­rão “re­féns” de dis­cus­sões na­ci­o­nais pri­o­ri­tá­ri­as em 2019, co­mo a re­for­ma da Pre­vi­dên­cia. Na ava­li­a­ção do eco­no­mis­ta, a mu­dan­ça da es­tru­tu­ra de­mo­grá­fi­ca exi­gi­rá a re­vi­são do sis­te­ma tam­bém no Pa­ra­ná. “To­do che­fe de Exe­cu­ti­vo que adi­ar es­se de­ba­te vai adi­ar uma bom­ba pa­ra o fu­tu­ro”.

O al­to cus­to po­lí­ti­co e a com­ple­xi­da­de do te­ma, po­rém, po­dem di­fi­cul­tar a so­lu­ção do pro­ble­ma. “Mi­nha per­cep­ção é que não te­re­mos uma re­for­ma pro­fun­da no sis­te­ma pre­vi­den­ciá­rio tão ce­do. Acho que fa­re­mos ape­nas ajus­tes pon­tu­ais. Uma re­for­ma es­tru­tu­ral, que sa­neie os pro­ble­mas do sis­te­ma, se­rá pos­ter­ga­da. Is­so po­de­rá ser um fa­tor ne­ga­ti­vo pa­ra as con­tas pú­bli­cas des­ses en­tes fe­de­ra­dos. No fi­nal, a con­ta vai ser co­bra­da dos co­fres pú­bli­cos”. (Sis­te­ma de As­sis­tên­cia a Saú­de), o Hos­pi­tal Mi­li­tar e o pro­gra­ma Lei­te das Cri­an­ças.

“Não se con­tes­ta es­ses gas­tos, mas a clas­si­fi­ca­ção de­les na saú­de, pa­ra se atin­gir o per­cen­tu­al. Is­so dá apro­xi­ma­da­men­te R$ 300 mi­lhões. A Co­mis­são de Or­ça­men­to do Con­se­lho Es­ta­du­al da Saú­de vem de­nun­ci­an­do. A gen­te ava­lia que a qu­al­quer mo­men­to ha­ja es­se en­ten­di­men­to por par­te do Tri­bu­nal de Con­tas. E o mais gra­ve: já há ma­ni­fes­ta­ção da PGE (Pro­cu­ra­do­ria Ge­ral do Es­ta­do) aler­tan­do o go­ver­no so­bre es­se as­pec­to. Is­so se for re­tro­a­gir é uma dí­vi­da es­ti­ma­da de R$ 4 bi­lhões (?) Sem­pre foi as­sim, an­tes era até mais gra­ve, pois se in­cluía os in­ves­ti­men­tos da Sa­ne­par (Com­pa­nhia de Sa­ne­a­men­to do Pa­ra­ná). É uma bo­la de ne­ve”.

Além dis­so, o Es­ta­do não atin­giu o ín­di­ce pre­vis­to na le­gis­la­ção pa­ra os in­ves­ti­men­tos em Ci­ên­cia e Tec­no­lo­gia, apli­can­do 1,99%, e não 2% da re­cei­ta na área. “E ain­da na saú­de tem os re­pas­ses que o go­ver­no faz pa­ra os hos­pi­tais pri­va­dos e as ter­cei­ri­za­ções. Não há con­tro­le re­du­ção ocor­reu com prá­ti­cas co­mo a di­mi­nui­ção de R$ 200 nos sa­lá­ri­os dos PSS (pro­fes­so­res tem­po­rá­ri­os), a mu­dan­ça no en­ten­di­men­to da ho­ra-ati­vi­da­de, que re­duz a qua­li­da­de do en­si­no, e a qu­es­tão da dis­tri­bui­ção das au­las. O go­ver­no an­tes fa­zia an­te­ci­pa­da­men­te e ho­je faz no ini­cio do ano, ge­ran­do di­fi­cul­da­de e con- des­pe­sas com in­ves­ti­men­tos di­mi­nuí­ram em re­la­ção aos gas­tos com pes­so­al em to­do o país des­de o iní­cio dos anos 2000. Em 2017, o Pa­ra­ná ex­tra­po­lou os 90% do li­mi­te de 49% da re­cei­ta cor­ren­te lí­qui­da pre­vis­to na LRF (Lei de Res­pon­sa­bi­li­da­de Fis­cal) pa­ra es­sa des­pe­sa. “Há uma es­co­lha cla­ra de pri­o­ri­zar a des­pe­sa com pes­so­al e sa­cri­fi­car o in­ves­ti­men­to. É um de­ba­te di­fí­cil, por­que en­vol­ve a mu­dan­ça de cul­tu­ra”, diz.

Há uma es­co­lha cla­ra de pri­o­ri­zar a des­pe­sa com pes­so­al e sa­cri­fi­car o in­ves­ti­men­to” O vo­lu­me de in­ves­ti­men­tos pú­bli­cos pa­ra o ano que vem de­ve che­gar pró­xi­mo a R$ 7,5 bi­lhões”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.