PRO­BLE­MAS

Folha de Londrina Domingo - - POLÍTICA -

Pa­ra o con­sul­tor econô­mi­co Cid Cor­dei­ro Sil­va, um dos pri­mei­ros pro­ble­mas a se­rem en­fren­ta­dos é o fa­to de o Pa­ra­ná não es­tar cum­prin­do o mí­ni­mo cons­ti­tu­ci­o­nal em saú­de. Nos pri­mei­ros qua­tro me­ses de 2018, o go­ver­no in­ves­tiu 10,66%, ou se­ja, me­nos que os 12% pre­vis­tos em lei. Os nú­me­ros me­lho­ra­ram no se­gun­do qua­dri­mes­tre, che­gan­do a 12,71%. Ele lem­bra, con­tu­do, que o Exe­cu­ti­vo in­cluiu na con­ta gas­tos com po­lí­ti­cas que não são uni­ver­sa­li­zan­tes, co­mo o SAS no gas­to dos re­cur­sos pú­bli­cos. Exis­te tam­bém uma de­fa­sa­gem de ser­vi­do­res. Te­mos oi­to mil a no­ve mil ser­vi­do­res e apro­xi­ma­da­men­te três a qua­tro mil car­gos que se­ria ne­ces­sá­rio pre­en­cher, mas que não fo­ram por con­ta do ajus­te fis­cal”.

Na edu­ca­ção, se­gun­do Cor­dei­ro, tam­bém hou­ve re­du­ção de gas­tos. “Os da­dos do se­gun­do qua­dri­mes­tre apon­tam que ocor­reu re­du­ção de R$ 500 mi­lhões no gas­to, se com­pa­ra­do com ja­nei­ro a agos­to do ano pas­sa­do. Caiu de 34% da re­cei­ta pa­ra 32% da re­cei­ta. E es­sa fu­sões”, pon­tua.

“No ge­ral, há de­fa­sa­gem de ser­vi­do­res, in­cluin­do na se­gu­ran­ça, por­que hou­ve mui­tas res­tri­ções à re­a­li­za­ção de con­cur­sos pú­bli­cos, e is­so ge­ra tam­bém um acú­mu­lo de in­ves­ti­men­tos “, pros­se­gue. Ou­tro pro­ble­ma, con­for­me o con­sul­tor, é na pre­vi­dên­cia do Es­ta­do. “O go­ver­no, pe­las vá­ri­as me­di­das que re­a­li­zou, tem um sal­do ne­ga­ti­vo de R$ 5 bi­lhões. A mi­gra­ção da mas­sa do fun­do fi­nan­cei­ro pa­ra o fun­do pre­vi­den­ciá­rio, a não con­tri­bui­ção pa­tro­nal so­bre os ser­vi­do­res ina­ti­vos e a qu­es­tão da ta­xa de ad­mi­nis­tra­ção ge­ra­ram um pas­si­vo, que com­pro­me­teu o cál­cu­lo atu­a­ri­al e o pe­río­do de sol­vên­cia”.

De acor­do com o eco­no­mis­ta, quan­do o go­ver­no fez o no­vo pla­no de cus­teio em 2012 e a mu­dan­ça de 2015, es­ti­pu­la­va-se um pe­río­do de sol­vên­cia de 29 anos. “No úl­ti­mo pa­re­cer, o TC apon­tou 12 anos. Mas nós acre­di­ta­mos que já es­ta­ria abai­xo de dez anos já. É um pro­ble­ma gran­de, que vai re­fle­tir mui­to no pró­xi­mo go­ver­no”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.