Grá­vi­das do Bol­sa Fa­mí­lia re­ce­be­rão re­pe­len­tes

En­tre­ga do pro­du­to a 484 mil mu­lhe­res se­rá fei­ta com um ano de atra­so

Folha de Londrina - - Geral - Lí­gia For­men­ti Agên­cia Es­ta­do

Brasília - A dis­tri­bui­ção de re­pe­len­tes pa­ra ges­tan­tes be­ne­fi­ciá­ri­as do Bol­sa Fa­mí­lia de­ve co­me­çar em mar­ço, mais de um ano de­pois do que ha­via si­do pro­me­ti­do pe­lo Mi­nis­té­rio da Saú­de. A par­tir do dia 24, a em­pre­sa ven­ce­do­ra de um pre­gão pro­mo­vi­do pe­la pas­ta de­ve en­tre­gar aos Es­ta­dos as pri­mei­ras re­mes­sas do pro­du­to, con­si­de­ra­do uma fer­ra­men­ta im­por­tan­te pa­ra a pre­ven­ção da sín­dro­me con­gê­ni­ta pro­vo­ca­da pe­lo ví­rus da zi­ka.

Se con­fir­ma­do o cro­no­gra­ma es­ta­be­le­ci­do pe­lo go­ver­no, os re­pe­len­tes vão che­gar em meio ao au­men­to de ca­sos de do­en­ças re­la­ci­o­na­das ao Ae­des aegyp­ti. É jus­ta­men­te no ve­rão que a in­ci­dên­cia de den­gue, chi­kun­gunya e zi­ka se ele­va. Além da zi­ka, o te­mor é que es­te ano ha­ja um au­men­to ex­pres­si­vo de ca­sos de chi­kun­gunya, que po­de pro­vo­car tam­bém do­en­ças gra­ves no be­bê. Pa­ra es­pe­ci­a­lis­tas ouvidos pe­la re­por­ta­gem, o ide­al se­ria que o pro­du­to co­me­ças­se a ser dis­tri­buí­do lo­go no iní­cio do ve­rão.

O pri­mei­ro anún­cio de que o go­ver­no fa­ria a dis­tri­bui­ção de re­pe­len­tes co­mo for­ma de se ten­tar con­ter o avan­ço da mi­cro­ce­fa­lia pro­vo­ca­da pe­lo zi­ka foi fei­to em de­zem­bro de 2015. O en­tão mi­nis­tro Mar­ce­lo Cas­tro afir­ma­ra que a me­di­da se­ria es­ten­di­da a to­das as ges­tan­tes. Um mês de­pois da de­cla­ra­ção, o al­can­ce da es­tra­té­gia foi re­du­zi­do pa­ra o gru­po de grá­vi­das aten­di­das pe­lo Bol­sa Fa­mí­lia e o pra­zo pa­ra o cum­pri­men­to da me­di­da, adi­a­do vá­ri­as ve­zes.

A pri­mei­ra da­ta pre­vis­ta pa­ra o cum­pri­men­to da pro­mes­sa era fe­ve­rei­ro de 2016. Na épo­ca, o País re­gis­tra­va a mar­ca de 508 be­bês com con­fir­ma­ção de mi­cro­ce­fa­lia e ou­tros 3.935 ca­sos em in­ves­ti­ga­ção. De lá pa­ra cá, hou­ve uma tro­ca de mi­nis­tros da Saú­de e um au­men­to sig­ni­fi­ca­ti­vo da do­en­ça. No úl­ti­mo bo­le­tim so­bre a má­for­ma­ção, com da­dos até 31 de de­zem­bro de 2016, os ca­sos con­fir­ma­dos ha­vi­am sal­ta­do pa­ra 2.366. Ha­via ain­da ou­tros 3.183 in­ves­ti­ga­dos.

A dis­tri­bui­ção de re­pe­len­tes pa­ra ges­tan­tes be­ne­fi­ciá­ri­as do Bol­sa Fa­mí­lia é con­si­de­ra­da im­por­tan­te so­bre­tu­do em ra­zão do per­fil das mães de be­bês com sín­dro­me con­gê­ni­ta de zi­ka. Uma aná­li­se fei­ta pe­lo Mi­nis­té­rio da Saú­de, no ano pas­sa­do, mos­tra­va que a ta­xa de pre­va­lên­cia de be­bês com mi­cro­ce­fa­lia era mai­or en­tre mães na fai­xa etá­ria até 24 anos, de cor ne­gra e com até se­te anos de es­co­la­ri­da­de.

A es­ti­ma­ti­va do Mi­nis­té­rio de De­sen­vol­vi­men­to So­ci­al e Agrá­rio (MDSA) é de que a es­tra­té­gia de dis­tri­bui­ção de re­pe­len­tes con­tem­ple 484 mil ges­tan­tes, o mes­mo nú­me­ro de mu­lhe­res grá­vi­das aten­di­das pe­lo be­ne­fí­cio em 2016. “Es­se in­di­ca­dor é cons­tan­te, daí nos­sa pre­vi­são”, afir­mou o se­cre­tá­rio exe­cu­ti­vo do MDSA, Al­ber­to Bel­tra­me.

A en­tre­ga no dia 24 nos Es­ta­dos, no en­tan­to, é ape­nas o pri­mei­ro pas­so até a chegada do pro­du­to nas mãos das be­ne­fi­ciá­ri­as. Dos ar­ma­zéns es­ta­du­ais, os re­pe­len­tes pre­ci­sam ser le­va­dos às pre­fei­tu­ras que, por sua vez, vão decidir a me­lhor for­ma de dis­tri­bui­ção.

Em al­guns ca­sos, ela po­de­rá ser fei­ta no pos­to de saú­de on­de a mu­lher faz o pré-na­tal. Em ou­tros, nos cen­tros de re­fe­rên­cia de as­sis­tên­cia so­ci­al. “A de­ci­são se­rá nor­te­a­da con­for­me o en­ten­di­men­to lo­cal”, dis­se Bel­tra­me.

O go­ver­no es­ti­ma que o pro­du­to co­me­ce a ser en­tre­gue às mu­lhe­res grá­vi­das da Bol­sa Fa­mí­lia a par­tir de mar­ço. Bel­tra­me ob­ser­vou, no en­tan­to, que es­se cro­no­gra­ma po­de­rá so­frer al­te­ra­ções, ca­so ha­ja al­gum atra­so da em­pre­sa for­ne­ce­do­ra. Pe­lo con­tra­to, se­rão fei­tas se­te en­tre­gas. A úl­ti­ma de­ve ocor­rer em até 300 di­as de­pois da as­si­na­tu­ra do acor­do.

De acor­do com Bel­tra­me, Es­ta­dos já fo­ram in­for­ma­dos so­bre o quan­ti­ta­ti­vo que irão re­ce­ber, pa­ra que pos­sam or­ga­ni­zar a lo­gís­ti­ca de dis­tri­bui­ção. “Em ní­vel lo­cal, uma re­la­ção de ges­tan­tes do Bol­sa Fa­mí­lia se­rá cru­za­da com a re­la­ção das ges­tan­tes em pré-na­tal, de­fi­nin­do des­ta for­ma o pú­bli­co-al­vo”, dis­se.

Ini­ci­al­men­te, dis­se o se­cre­tá­rio-exe­cu­ti­vo, ha­via uma dis­cus­são se a dis­tri­bui­ção de­ve­ria ser fei­ta nos pos­tos de saú­de ou nos cen­tros de aten­di­men­to so­ci­al. O Mi­nis­té­rio da Saú­de de­fen­dia que a en­tre­ga fos­se fei­ta nos Cen­tros de Re­fe­rên­cia de As­sis­tên­cia So­ci­al. O ar­gu­men­to era a de que a cli­en­te­la aten­di­da pe­lo be­ne­fí­cio se­ria ape­nas ges­tan­tes do Bol­sa Fa­mí­lia e o Sis­te­ma Úni­co de Saú­de, por de­fi­ni­ção, é uni­ver­sal.

O pré-na­tal, por ou­tro la­do, é fei­to nas uni­da­des de saú­de. A al­ter­na­ti­va en­con­tra­da foi dei­xar a de­ci­são a cri­té­rio das pre­fei­tu­ras. “Elas têm sob seu co­man­do tan­to a Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de Saú­de qu­an­to a de As­sis­tên­cia So­ci­al, além de co­nhe­cer, co­mo nin­guém, a re­a­li­da­de lo­cal”, dis­se Bel­tra­me.

Pre­fei­tu­ras vão decidir a me­lhor for­ma de dis­tri­buir os pro­du­tos

Juca Va­rel­la/Agên­cia Bra­sil

Re­pe­len­te é con­si­de­ra­do uma fer­ra­men­ta im­por­tan­te pa­ra a pre­ven­ção da sín­dro­me con­gê­ni­ta pro­vo­ca­da pe­lo ví­rus da zi­ka

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.